.

terça-feira, 7 de agosto de 2018

EM TODOS OS JARDINS

© João Menéres



EM TODOS OS JARDINS

Em todos os jardins hei-de florir,
Em todos beberei a lua cheia,
Quando enfim no meu fim eu possuir
Todas as praias onde o mar ondeia.

Um dia serei eu o mar e a areia,
A tudo quanto existe me hei-de unir,
E o meu sangue arrasta em cada veia
Esse abraço que um dia se há-de abrir.

Então receberei no meu desejo
Todo o fogo que habita na floresta
Conhecido por mim como num beijo.

Então serei o ritmo das paisagens,
A secreta abundância dessa festa
Que eu via prometida nas imagens.




Sophia de Mello Breyner Andresen


22 comentários:

bea disse...

Não há forma mais bonita de ser na morte que dar-lhe essa completude que a vida procura sem conseguir. Oxalá Sophia a viva como tanto quis.

João Menéres disse...

BEA

Fico sensibilizado ( não surpreendido !) com o nível do teu comentário.

Muito obrigado e um beijo amigo.

Manu disse...

Adoro tulipas e esta ficou magnífica !
O poema da Sophia veio abrilhantar ainda mais a foto.

Beijos João

João Menéres disse...

MANU

Temos gostos semelhantes.

Um beijo amigo e grato.

Eduardo P.L. disse...

A imagem da poesia

Os olhares da Gracinha! disse...

O olhar é lindo e em tons que gosto muito!
Foi bom reler o poema!
bj

Isabel disse...

A foto está magnífica e o poema é lindo.

Já está de férias?...

Beijinhos e continuação de boa semana:)

João Menéres disse...

EDUARDO

Muto bem o seu comentário !

João Menéres disse...

GRACINHA

Sabe que tento agradar a quem me segue.

Um beijo muito amigo.

João Menéres disse...

ISABEL

Muito obrigado, Isabel.

Ainda não sei quando irei...

Um beijo amigo.

Remus disse...

A composição foi bem pensada e concretizada. O cor-de-rosa da tulipa, faz um bonito contraste com o branco e o amarelo das outras flores.

Maria disse...

Uma grande vénia pela beleza da imagem, este jogo de primeiro plano e cor com desfoque resultou numa imagem única e belíssima.
Uma segunda vénia pelas palavras escolhidas, deram a intensidade perfeita à imagem perfeita.

Rasuras do Aparo disse...

... eu a procuro ... a encontro ... e me atrai com a sua beleza e perfume ...

( estou em Lisboa e devo partir amanhã ... não não passarei pela sua Ponte D. Luís ... por mais que ela seja sedutora ... mesmo quando o nevoeiro sobe o rio ... ou me provoca com uma varanda iluminada ou um jardim cheio de côr e cheiro... )

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Maravilhoso. Excelente combinação!
Abraço

Olhar d'Ouro - bLoG
Olhar d'Ouro - fAcEbOOk

Maria Manuela disse...

Uma Foto belíssima, JOÃO !
Luz, verticalidade, mistério... em simbiose com Sophia e o seu desejo... num dos mais abrangentes e tocantes poemas da Autora.
Muito Bom !
Beijinhos.

João Menéres disse...

REMUS

MARIA

RASURAS

RUI PIRES

MARIA MANUELA



Peço desculpa, mas devido ao adiantado da hora, não estou em condições de responder e dizer MUITO OBRIGADO a cada um e tenho muita pena de a tal ser forçado.
Espero que me desculpem.
Abraços / Beijos amigos.

DiDa disse...

A tulipa é uma flor requintada, "cai bem" com muitas outras em ramalhete.
Também não vai nada mal solitária.
Pareceu-me que o fundo da foto é de amores perfeitos. É como digo, fica bem com várias outras flores.
Gostei da escolha florida do seu jardim.

DiDa disse...

… e das palavras que espalhou neste jardim.

Pedro Coimbra disse...

Uma excepcional poetisa que tinha a fama de não ser nada fácil enquanto pessoa...

Luísa disse...

Senti a fragrância das palavras (um pouco tristes e saudosistas do prometido que ha de chegar), num olhar ternurento à tulipa.
Andas bucólico?
Bjnhs mil

Luísa disse...

Vê se descansas....

ana disse...

O poema da Sophia é lindo e fica tão bem adornado com esta foto sua.
Beijinho. :))