.

quinta-feira, 19 de julho de 2018

A FONTE

© Joao Menéres


TRATA-SE VERDADEIRAMENTE DE UM MONUMENTO 
ESTA FONTE QUE SE ENCONTRA NO INÍCIO DA AV. MONTEVIDEU
PARA QUEM A PERCORRE A PARTIR DO CASTELO DO QUEIJO.
RODEADA DE BELOS REDODENDROS, DESENVOLVE-SE
EM SUCESSIVOS PLANOS CIRCULARES, 
ERGUENDO-SE MAIS ALTO GRAÇAS 
ÀS COLUNAS  E AO CAPITEL.
PASSANDO QUASE DESAPERCEBIDO,
UM FRISO DE AZULEJOS ARTE NOVA
REMATA ESTA BELA FONTE.
UM JOGO DE ÁGUA E LUZES
VEIO PROPORCIONAR
UM EXCELENTE OLHAR NOCTURNO.

DE AUTORIA DO ARQTº MANUEL MARQUES, FOI INAUGURADA 
EM 17 DE SETEMBRO DE 1906,
DURANTE A PRESIDÊNCIA CAMARÁRIA DE
JOÃO BAPTISTA DE LIMA 
AINDA ANTES DA INAUGURAÇÃO
DA PRÓPRIA AVENIDA  ( 25/07/1926 ) !

PENA QUE ESPÍRITOS DITOS VANGUARDISTAS,
PERANTE A FEBRE DE INOVAR PARA A
PORTO 2001 - CIDADE CAPITAL EUROPEIA DA CULTURA, 
TENHAM SUBSTITUÍDO OS ROMÂNTICOS E CÓMODOS
BANCOS  DE MADEIRA, POR UM CONJUNTO
DE PEDRAS A QUE CHAMAM CADEIRAS E QUE, DADA A DISTÂNCIA
A QUE SE ENCONTRAM UMAS DAS OUTRAS,
NÃO PERMITEM UMA AMENA CAVAQUEIRA
ENQUANTO APRECIAM O MAR ESTENDIDO À SUA FRENTE !

14 comentários:

Luísa disse...

Cheguei à fonte!
Não venho tal "Leanor pela verdura", mas sequiosa de saber toda a sua história!
Bem hajas pela reportagem!
Bjnh de hpje

João Menéres disse...

LUÍSA

Consultei os inúmeros livros do Porto.
Perguntei ao Germano Silva o que sabia desta linda fonte.
Mais do que conto não apurei.
E tenho pena.

Um beijo muito amigo.

bea disse...

Vista daqui, e sem a cercadura de redodendros ou mar que a enquadre, parece algo sozinha e nem bonita.

Acho demais a designação, "castelo do queijo". Imagino logo João Ratão a arrebitar as orelhas:).

João Menéres disse...

BEA

Gotos não se discutem. E eu até os respeito, porque ninguém é dono da verdade.
Além de que VERDADE é um conceito imensamente relativo que depende da ERA e das longitudes e latitudes e até da Estação do ano.

O Castelo do Queijo ( Forte de São Francisco Xavier ) é assim conhecido e chamado há séculos por a zona onde foi implantado ser conhecida na altura de Queijo, pois o enorme rochedo que o sustém ter a forma de um queijo.
Quanto a ratos e ratazanas não duvido mesmo nada que por lá andem, não pelo queijo mas por outros não recomendáveis sustentos.


Um beijo amigo.

Eduardo P.L. disse...

Cavaqueira é um termo que não se usa aqui no Brasil. Quanto à fonte, da a impressão de que falta alguma coisa. Impressão de inacabado. Mas é só a impressão.

João Menéres disse...

EDUARDO

É somente impressão, de facto, Eduardo.
Talvez eu não devesse ter apresentado tanto do ambiente e me tivesse concentrado mais na fonte propriamente dita.
Faltavam 45' para o início da Final do Mundial e eu estava cheio de pressa.
E quando cheguei casa faltavam apenas 3' para o início !

Maria Manuela disse...

Que lindo, João !
Gostei muito de ler o que nos diz sobre esta Fonte... de uma bela simplicidade clara e redonda.
Tudo é amplo mas aconchegante. A começar pelas árvores que parecem abraçá-la.
Bonita idade ! Vem de outros tempos. O que ela não terá já apreciado em seu redor... e talvez partilhado com o céu e o mar. Com as árvores também, embora devam ser muito mais jovens.
Adorei a Foto !!!
Beijinho.:)

L.Reis disse...

Parece-me um local agradável. Tu, como romãntico cavalheiro, deste logo pela falta que os banco s de madeira faziam, claro :):) Mas deixa lá, outros recantos haverá, para a cavaqueira amorosa. (Bonito enquadramento)

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

Fica uma vez mais provado que é sempre impossível agradar totalmente a gregos e a troianos.
Muito me delicia a tua expressão " uma bela simplicidade clara e redonda ".

Tenho aqui um "histórico" postal ilustrado,impresso em Espanha para a Tabacaria Africana ( responsável por grande parte dos melhores e interessantes postais ) em que se pode apreciar na sua plenitude total a " ESPLANADA AJARDINADA LADEANDO A AVENIDA DE MONTEVIDEU ", vendo-se parte do muro daquela grandiosa moradia que conheces.
É o Postal nº 53 da colecção Portugal Turístico / Correndo Mundo.
Pois bem, onde está a fonte, era um pequeno jardim, creio que oitavado, tendo no seu centro, em forma de estrela, um buxo de pouca altura.
E AINDA não existia aqui qualquer árvore, o que me leva a supor que fonte e rododendros não se distanciem muito em termos de longevidade.

Muito obrigado pelo teu sempre tão desejado comentário.

Um beijo amigo.

João Menéres disse...

L. REIS

Considerando que os tempos são outros, as cavaqueiras amorosas encontram sítios que nem carecem ser cómodos...
Mas eu até só me referia a conversas entre pessoas sem essas motivações...
Também te agradeço o peso que me tiraste de cima da consciência quanto ao enquadramento.

BjKa.

Rasuras do Aparo disse...

... a pressa sempre a pressa de fazer algo diferente ... sem olhar o horizonte ...

João Menéres disse...

RASURAS

Não perco os horizontes por causa da pressa.
Perco-os por não viver em frente ao mar e pelos poentes, no Verão, serem horas inconvenientes.
Mas a vida tem-me oferecido horizontes sem fim.

Grande e amigo abraço.

Ana Freire disse...

É verdade, João! Essas pedras, intituladas cadeiras, andam em voga, um pouco, por toda a parte... mas nada substitui o conforto dos bancos de madeira de outrora!...
Uma belíssima fonte, e uma área admirável, que mereceria ser apreciada, de facto, com mais algum conforto, para quem deseje sentar-se, um pouco...
Beijinhos
Ana

João Menéres disse...

ANA FREIRE

É engraçado ( ? ) que estando muito perto do Castelo do Queijo ( onde os autocarros de turistas param e fazem razoável compasso de espera ), esta fonte não é muito admirada...
Também ( por exemplo ( na Praia da Rocha onde na avenida marginal havia cómodos bancos de madeira, agora estão umas pedras lineares sem costas !


Um beijo solidário.