.

terça-feira, 8 de março de 2016

SALINAS / CASTRO MARIM

© João Menéres


PONTE SOBRE O RIO GUADIANA, 
FRONTEIRA COM ESPANHA
E UM MARNOTO.

22 comentários:

Jorge Pinheiro disse...

Fronteira salgada.

Eduardo P.L. disse...

Que imagem extraordinária.

João Menéres disse...

JORGE

Bela definição !

João Menéres disse...

EDUARDO

Até eu fiquei maravilhado...

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Gosto imenso de estar nas salinas, de fotografar e também de ver, nomeadamente fotos como esta, com um enquadramento excelente!
Abraço

Remus disse...

Um período de confissão:
Só muito recentemente conheci e soube o que era o termo marnoto. Até há pouco tempo, desconhecia esse termo. Para mim, uma pessoa que trabalha nas salinas era simplesmente um salineiro.
:-)

PS: Por pouco, a torre da ponte que aparece em primeiro plano, ficava cortada... Mas será que foi sorte ou foi sabedoria? :-D

João Menéres disse...

RUI PIRES

O sal queima as solas todas !
É preciso ir com sapatos velhos...
O trabalho dos marnotos e o seu vai/vem constante proporciona momentos únicos.

Um abraço e obrigado.

João Menéres disse...

REMUS

Marnoto é mais apropriado, digo eu...
Mas salineiro também é correcto.

Como se eu tivesse sorte, Remus...

Um abraço.

Ana Freire disse...

Uma imagem lindíssima... com a ponte... parecendo ter içado as suas velas para partir à descoberta de novos horizontes, num mar de céu... sem nuvens... que parecem ter-se feito cair, em lagrimas salgadas, cobrindo tudo sobre a terra...
Fabuloso enquadramento!...
Só agora deu para passar por aqui... por isso vou espreitar o que andei perdendo, nestes últimos dias...
Esta semana, vou espreitar as tais traduções, na medida da minha disponibilidade... e talvez, na próxima semana, já tenha uma do meu agrado, para um dos poemas... fico sempre um pouco intimidada, em fazer traduções livres, de outros autores... com receio de desvirtuar o sentido, que lhes tenha sido atribuído, aos seus trabalhos...
Beijinhos, João!
Ana

João Menéres disse...

ANA FREIRE

A tua leitura, ANA, é a de uma pessoa que vive a poesia !
Viste as nuvens nos talhos ( áreas delimitadas para receberem a água salgada e deixarem que o Sol se encarregue do resto ) !
A dos tirantes da ponte transformados em velas é espantosa igualmente !

Só te posso agradecer com um beijo muito amigo.

Isabel disse...

Também não conhecia o termo "marnoto". Fiquei a saber:)

Gosto imenso da foto. Está fantástica! Nunca vi salinas.

Um beijinho:)

Maria Manuela disse...

Ao iº olhar, vi um veleiro... ou dois...
Sempre adorei aquele belo efeito... ou ilusão... dos tirantes ao longe... a agarrar as pontes..
E aqui, ficou simplesmente espectacular !...
E lá está a brancura dos campos de sal... áreas de cultura brilhante... ofuscante, mesmo... resultado final desse desbravar ao sol de cada dia... a água presa do mar...
Mais uma bela fotografia, João, a lembrar que o Verão... já está mais perto que longe...
Beijinhos.:))

Luísa disse...

Gosto das linhas, das cores, do aroma e dos sabores!
Quanta beleza encerras na foto!!!
Mil beijinhos de hoje, senhor das mil e uma belas imagens!

Rasuras do Aparo disse...

... velhos e antigos passeios pela estrada velha até Castro Marim e elas sempre vigiando-nos com o seu olhar alvo ... com um cintilar de estrelas salgadas ... de vez em quando um charco azul outras vezes só mesmo um resíduo do que já foi branca flor e que depois espanta em sabor...

João Menéres disse...

ISABEL

Além das do Algarve ( Castro Marim e Portimão, por exemplo ), podes ver na Figueira da Foz, junto à ponte e em Aveiro, na Ria.

Fico muito contente com este teu comentário ( veremos quando acontecerá outra novidade para ti...).

Um beijo amigo.

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

Olhando bem, até tens toda a razão : um veleiro ( ou dois ) !
A propósito desse desbravar ao sol, devo dizer que embora fosse de manhã o calor era tórrido.
Bem sei que Castro Marin é no Sotavento Algarvio, a parte mais quente por estar mais afastada da costa ocidental onde correm nortadas tantas vezes.

Para o Verão, que tanto anseio, ainda faltam uns meses, mas quem sabe, não se antecipará este ano...


Um beijo muito amigo.

João Menéres disse...

LUÍSA

Eu sei que tens muito cuidado com o sal !...
E se ele te penetrar por esses olhos sempre tão generosos ?
Eu só mostrei, não to dei a provar...

Um beijo, querida amiga.

João Menéres disse...

RASURAS

Tão bem escreve e descreve poeticamente que eu não posso deixar de repetir as suas palavras encantadas
para melhor as firmar !

... velhos e antigos passeios pela estrada velha até Castro Marim e elas sempre vigiando-nos com o seu olhar alvo ... com um cintilar de estrelas salgadas ... de vez em quando um charco azul outras vezes só mesmo um resíduo do que já foi branca flor e que depois espanta em sabor...

Num abraço silencioso e amigo, o meu obrigado.

Presépio no Canal disse...

Gosto muito de salinas e a fotografia está magnífica!
Também só conhecia a palavra "salineiro".
É bom lembrar as maravilhas que temos através de registos como estes.
Pode ser que ajude à sua preservação, numa época que vai deixando cair o património natural e edificado que temos.
Obrigada também por isso, João.
Beijinho muito amigo! :-)

João Menéres disse...

SANDRA

Esta saiu-me bem, realmente...
Estamos em sintonia com o RUI PIRES.

Um beijo, Sandra querida.

graça Alves disse...

Um pouco, muito, do nosso magnífico mar!
A foto está excelente!
beijinho

Luís Rodrigues disse...

Caro João Menéres;

Esta foto não é das salinas de Castro Marim, a ponte não é sobre o rio Guadiana, e na outra margem não é Espanha. Lamento.