.

quinta-feira, 26 de março de 2020

NO ESTALEIRO

© João Menéres


CONSTRUÇÃO NÃO ROBÓTICA DE UMA TRAINEIRA.

(HOJE, PARA SAIR DA BEIRA ALTA ).

14 comentários:

  1. Bom dia:- Essas pessoas não deveriam estar recolhidos em casa?
    Claro que alguém tem que fazer alguma coisa. Foto muito bonita
    .
    Saudações poéticas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda não havia o Covid 19, caro Rogério.

      Muito obrigado por também se levantar cedo e saber apreciar.

      Abraço em dia que não promete Sol.

      Eliminar
  2. Pois é, olhar esta azáfama logo pela manhã sempre aquece os ânimos :).
    Bom Dia, João.

    ResponderEliminar
  3. Respostas
    1. Este estaleiro para continuar a tradição mudou-se para a outra margem.

      Eliminar
  4. Gosto da foto. Há três anos visitei um estaleiro. E gostei
    Abraço e saúde

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma actividade muito valiosa e requer muito saber, desde a cartada escolha das madeiras até à sua aplicação e finalização.
      Fiz um livro para os CTT sobre as TRAINEIRAS DA COSTA PORTUGUESA.

      Um beijo, Elvira.

      Eliminar
  5. Agora, com a casa em Gaia, vou ver este cenário mais vezes.
    Aquele abraço, bfds

    ResponderEliminar
  6. E no entanto, alguns anos se passaram, e provavelmente hoje em dia, já ninguém sabe construir uma traineira sem ajuda robótica. Em termos de humanidade/sociedade, ganhamos novos conhecimentos, mas pelo percurso vamos perdendo outros.

    Boa fotografia documental.

    ResponderEliminar
  7. Creio que no Samuel ainda sabem !

    Um abraço.

    ResponderEliminar
  8. ... há que manter tradição perpetuar e passar conhecimento manual cujos sentidos olhar tacto olfacto ... tudo isso está implícito no trabalho aqui muito bem fotografado ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Passei lá quase toda a manhã a apreciar e a fotografar.
      Até estive em cima da "traineira" para ver como colocavam os diversos elementos.
      Como sou amigo do Samuel...


      Grande abraço

      Eliminar