.

quarta-feira, 21 de março de 2018

DIA MUNDIAL DA POESIA



© João Menéres






LIVRO DAS PERGUNTAS

LXXII

Se todos os rios são doces
de onde extrai o sal o mar ?

Como sabem as estações
que devem mudar de camisa ?

Porque tão lentas no Inverno
e tão palpitantes depois ?

E como sabem as raízes
que devem erguer-se para a luz ?

E saudar o ar depois
com tanta flores e tantas cores ?

É sempre a mesma Primavera
a que repete o seu papel ?

( Pablo Neruda, in Antologia, ed. Relógio D'Água, 1998 )

27 comentários:

  1. Que lindo campo de flores silvestres! Agora, se eu fosse poeta, saía-me um poema em linha recta; ou às curvas...mas não sou. Paciência. Haja quem cante um campo de papoilas. O rubro ramo de papoilas já foi cantado por Cesário.

    ResponderEliminar
  2. GIL ANTÓNIO

    Apreciei devidamente o seu soneto !

    Retribuo o abraço com a Primavera.

    ResponderEliminar
  3. FRANCISCO OLIVEIRA

    A Natureza dá e tira...
    O Homem não a pode desprezar.

    Um abraço grato.

    ResponderEliminar
  4. BEA

    São mesmo papoilas ( no Alentejo ).
    É este o de Cesário Verde :

    Naquele "pic.nic" de burguesas,
    Houve uma coisa simplesmente bela,
    E que, sem ter história nem grandezas,
    Em todo o caso dava uma aguarela.

    ?

    Um beijo amigo e grato como sempre.

    ResponderEliminar
  5. Bela homenagem à Poesia e à Primavera... numa aliança de extrema sensibilidade.
    Flores e cores maviosas balouçando ao som das palavras de Neruda... continuam a demonstrar que tudo se resume aos ciclos da natureza...
    Uma Foto de uma beleza extraordinária.
    Beijinhos.:)

    ResponderEliminar
  6. Um poema muito bonito.
    Obrigada pela partilha.
    Abraço

    ResponderEliminar
  7. Toda a beleza cabe em ti
    Nesta tua antologia poética de fotografia!

    Mil bjnhs primaveris

    ResponderEliminar
  8. MARIA MANUELA

    Desde que vi o filme O CARTEIRO fiquei admirador de Pablo Neruda.
    Daí ter grande parte da sua obra e ser-me muito fácil pedir o seu auxílio.
    Achei que por falar expressamente em flores seria ajustado.
    E como a imagem foi feita numa Primavera...
    ( Infelizmente, quando dei conta que o slide estava sujo, já a noite ia avançada e ia requerer algum tempo e já o cansaço me vencia após um dia de emoções ).

    Obrigado, Maria Manuela, e um beijo amigo.

    ResponderEliminar
  9. ELVIRA

    Agradeço a gentileza do comentário.

    Um beijo e boa noite.

    ResponderEliminar
  10. LUÍSA

    Se os teus beijos levassem o frio para longe...
    Não sou merecedor das palavras que me dedicas ( mas que agradeço ! ).

    Um beijo muito amigo.

    ResponderEliminar
  11. Poema sublime a celebrar o Dia Mundial da Poesia e a Primavera.

    ResponderEliminar
  12. PEDRO COIMBRA

    Que bom ter gostado, Pedro Coimbra !...


    Um abraço.

    ResponderEliminar
  13. EDUARDO

    Não sei a sua origem, mas a Poesia é eterna.

    ResponderEliminar
  14. Uma bela fotografia e um dos grandes poetas de sempre!

    ResponderEliminar
  15. MANUELA

    Que boa surpresa !
    Muito obrigado. e boa noite.

    ResponderEliminar
  16. ... a natureza no seu ciclo que nos causa por vezes perplexidade ... nos deixa cheio de interrogações ... que alguns que são de pena afiada ... conseguem evidenciar quer seja em prosa quer em verso ... outros ainda nos trazem a imagem que por vezes vale por mil palavras ...

    ResponderEliminar
  17. RASURAS

    Todas as interrogações são válidas.
    Até com o ser humano !...
    Sobretudo com elas !

    UM ABRAÇO AMIGO E GRATO.

    ResponderEliminar
  18. em dia de poesia
    escolher Neruda
    e uma foto destas

    parabéns meu amigo João

    adorei!

    beijinhos

    :)

    ResponderEliminar
  19. Belo campo de papoilas como há muito tempo já não vejo. Pela minha zona elas elas foram praticamente extintas...

    ResponderEliminar
  20. Belo conjunto: foto e poema!

    Adoro papoilas e um campo cheio de papoilas é uma das coisas lindas que a Natureza nos oferece.

    Beijinhos e boa Primavera:)

    ResponderEliminar
  21. PIEDADE

    Desculpa só agradecer agora o teu MUITO simpático e elogioso comentário.
    Ovo Pablo Neruda recorro de quando em quando por gostar muito do que ele escreve e da forma que o faz.

    Um beijo amigo.

    ResponderEliminar
  22. REMUS

    Como já disse acima, é no Alentejo, onde também cada vez há menos.

    ResponderEliminar
  23. ISABEL

    E por aí perto não há ?
    Ando sempre à procura delas !...


    Um beijo e boa semana.

    ResponderEliminar
  24. Pois a poesia foi bem "comemorada" por aqui.
    Entre Pablo Neruda e o teu campo que enche o mundo de flores até à beira do céu , será difícil escolher a melhor homenagem para o dia. Sorte a minha que nunca preciso de escolher. Acho que vou ali, à estante, colher um ramo de livros, enquanto folheio as cores e leio as flores em campo aberto. (espetacular!!)

    ResponderEliminar