.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

COM EUGÉNIO DE ANDRADE

© João Menéres



ARTE DE NAVEGAR


VÊ COMO O VERÃO
SUBITAMENTE
SE FAZ ÁGUA NO TEU PEITO,

E A NOITE SE FAZ BARCO,

E MINHA MÃO MARINHEIRO.

( Eugénio de Andrade, in Obscuro Domínio )


32 comentários:

Presépio no Canal disse...

Que belo e inspirado post! Entre a tua linda fotografia e um poema escolhido a dedo para ilustrá-la do Eugénio de Andrade.
Um beijo muito amigo, João.

João Menéres disse...

SANDRA

Eu a acabar de postar e tu logo, mas mesmo de imediato ! a comentar.
Que maravilhosa amiga és !

Um beijo muito agradecido.

Agostinho disse...

Uma Arrábida que é um sonho nas nuvens sublimada por um poema de mestre entre nuvens de sonho.

Abraço.

João Menéres disse...

AGOSTINHO

E do denso nevoeiro entrado pelo SW, hoje já transformado em mais do que orvalho a reforçar as palavras de Eugénio de Andrade...

Um abraço muito agradecido.

Eduardo P.L. disse...

Linda imagem.

bea disse...

Beleza de poema! O Eugénio sabia o que fazia:).

João Menéres disse...

EDUARDO

Agradeço a sua opinião.

João Menéres disse...

BEA

tudo o que dizia ou escrevia era belo, muito belo.

Um beijo grato.

Elvira Carvalho disse...

É nem podia haver melhor legenda para a bonita fotografia. Tive a honra de dizer um poema dele, no dia mundial da poesia. Este

Urgentemente


É urgente o amor
É urgente um barco no mar

É urgente destruir certas palavras,
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos, muitas espadas.

É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.

Cai o silêncio nos ombros e a luz
impura, até doer.
É urgente o amor, é urgente
permanecer.

Um abraço e uma boa semana

Remus disse...

O facto do barco ser amarelo, criou um ponto extra (ou vários) de interesse à fotografia. É um pormenor que faz perfeito contraste com a névoa e o timbre algo cinzento da fotografia/paisagem.
Belo momento e muito bem retratado.

Victor Barão disse...

Fantástica foto, a ilustrar um magnifico poema!

Parabéns, com votos duma excelente semana

João Menéres disse...

ELVIRA

Muito te agradeço o significativo contributo que deste a esta postagem.

Um beijo amigo.

João Menéres disse...

REMUS

Só tive que esperar que a embarcação não estivesse sobreposta à margem esquerda.
No cimo, uns laivos de azul completam a triangulação com o amarelo do bloco de apartamentos e o bi-color flutuante.

Um abraço e grato pelo seu comentário.

Rasuras do Aparo disse...

... há amores assim que tem aquela cor de ouro ... que criam pontes duradouras e imagináveis e por mais água que passe debaixo das mesmas mantêm aquela névoa fresca de excitação ...
... há amores assim em que é preciso mão de marinheiro e em que a noite é uma deriva constante em busca de tal porto aconchegante ... há amores assim ...

João Menéres disse...

VICTOR BARÃO

Muito lhe agradeço as palavras que revelam bem que o amigo possui uma sensibilidade que muito aprecio.

Um abraço.

João Menéres disse...

RASURAS

Já me não surpreendo com a poesia que sempre emana das suas palavras !
Considero este seu comentário como um forte elogio a esta postagem.
Existem pontes que são barreiras.
Tanto ao nevoeiro, como a amores.

Um forte e grato abraço.

myra disse...

foto belllllllisssima!, como sempre!
beijosssssssssssssss

João Menéres disse...

MYRA

E , como sempre, a tua muita generosidade...

Um beijo muito amigo.

L.Reis disse...

Ora bem...isto é uma caso muito sério em termos de imagem!
Sei que é um rival de poesia em relação a Eugénio de Andrade e não sei que melhor falou na "arte de navegar, se ele com as suas palavras, se tu com o teu momento feito de névoa, pontes inacabadas e um ponto de brilhante amarelo a sulcar as calmas águas.

João Menéres disse...

L. REIS

Para lá da escolha óbvia do ARTE DE NAVEGAR, da névoa, da ponte inacabada e do ponto amarelo, ainda há o azul, sempre aquela cor mágica que cintila e faz reluzir qualquer momento saudoso.

Uma bjKa .

Jorge Pinheiro disse...

Brumosa.

João Menéres disse...

JORGE

De três manhãs, só pude tirar algum proveito de uma.

Mona Lisa disse...

Um post sublime!
Foto e poema de luxo!

Beijinhos.

Maria Manuela disse...

Que lindo !
Se os momentos são únicos... não há dúvida que há uns mais únicos que outros...
E como o magnífico poema de Eugénio traduz excelentemente esta imagem poética... com notas de amarelo-verão...
Um post simplesmente divinal !

Luísa disse...

Wowwwww!
Impressionismo puro na arte de fotografar!
A D O R E I

Mil beijinhos de hoje

João Menéres disse...

MONA LISA

Agradeço o forte elogio, naturalmente.

Um beijo.

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

Muito feliz esse amarelo-verão !
E não só, Maria Manuela...

Um beijo muito agradecido e amigo.

João Menéres disse...

LUÍSA

Como a MARIA MANUELA disse, há momentos únicos.
Eu queria um tanto de azul no céu.
Eu esperei que a embarcação chegasse ali.
Então, como tudo se conjugou, foi só clicar. Luísa.

Um beijo e muito obrigado.

Li Ferreira Nhan disse...

Olá João! Também acabo de voltar de férias.
Estive no teu Porto e nem de longe tinha esse aspecto da foto. Estava bem ensolarado e quente como nunca vi; amei!
Bom regresso!
Beijo querido.

João Menéres disse...

LI

E não podias ter avisado ?
Foram três dias assim. Mas na linha da costa e entrava pelo rio para se dissipar a partir da Ponte da Arrábida.
O tempo tem estado muito incerto.
Hoje está sol, mas ainda ontem de manhã chuviscou...

Um beijo querida Li.

Li Ferreira Nhan disse...

Pensei em avisa-lo, mas julguei que, como eu, estava a viajar em férias. Fica para o ano que vem.
Beijo querido.

João Menéres disse...

LI

Estive mais de 15 dias fora, na verdade.

Beijo amigo.