.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

COM EUGÉNIO DE ANDRADE

© João Menéres



ARTE DE NAVEGAR


VÊ COMO O VERÃO
SUBITAMENTE
SE FAZ ÁGUA NO TEU PEITO,

E A NOITE SE FAZ BARCO,

E MINHA MÃO MARINHEIRO.

( Eugénio de Andrade, in Obscuro Domínio )


34 comentários:

Presépio no Canal disse...

Que belo e inspirado post! Entre a tua linda fotografia e um poema escolhido a dedo para ilustrá-la do Eugénio de Andrade.
Um beijo muito amigo, João.

João Menéres disse...

SANDRA

Eu a acabar de postar e tu logo, mas mesmo de imediato ! a comentar.
Que maravilhosa amiga és !

Um beijo muito agradecido.

Agostinho disse...

Uma Arrábida que é um sonho nas nuvens sublimada por um poema de mestre entre nuvens de sonho.

Abraço.

João Menéres disse...

AGOSTINHO

E do denso nevoeiro entrado pelo SW, hoje já transformado em mais do que orvalho a reforçar as palavras de Eugénio de Andrade...

Um abraço muito agradecido.

Eduardo P.L. disse...

Linda imagem.

bea disse...

Beleza de poema! O Eugénio sabia o que fazia:).

João Menéres disse...

EDUARDO

Agradeço a sua opinião.

João Menéres disse...

BEA

tudo o que dizia ou escrevia era belo, muito belo.

Um beijo grato.

Elvira Carvalho disse...

É nem podia haver melhor legenda para a bonita fotografia. Tive a honra de dizer um poema dele, no dia mundial da poesia. Este

Urgentemente


É urgente o amor
É urgente um barco no mar

É urgente destruir certas palavras,
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos, muitas espadas.

É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.

Cai o silêncio nos ombros e a luz
impura, até doer.
É urgente o amor, é urgente
permanecer.

Um abraço e uma boa semana

Remus disse...

O facto do barco ser amarelo, criou um ponto extra (ou vários) de interesse à fotografia. É um pormenor que faz perfeito contraste com a névoa e o timbre algo cinzento da fotografia/paisagem.
Belo momento e muito bem retratado.

Victor Barão disse...

Fantástica foto, a ilustrar um magnifico poema!

Parabéns, com votos duma excelente semana

João Menéres disse...

ELVIRA

Muito te agradeço o significativo contributo que deste a esta postagem.

Um beijo amigo.

João Menéres disse...

REMUS

Só tive que esperar que a embarcação não estivesse sobreposta à margem esquerda.
No cimo, uns laivos de azul completam a triangulação com o amarelo do bloco de apartamentos e o bi-color flutuante.

Um abraço e grato pelo seu comentário.

Rasuras do Aparo disse...

... há amores assim que tem aquela cor de ouro ... que criam pontes duradouras e imagináveis e por mais água que passe debaixo das mesmas mantêm aquela névoa fresca de excitação ...
... há amores assim em que é preciso mão de marinheiro e em que a noite é uma deriva constante em busca de tal porto aconchegante ... há amores assim ...

João Menéres disse...

VICTOR BARÃO

Muito lhe agradeço as palavras que revelam bem que o amigo possui uma sensibilidade que muito aprecio.

Um abraço.

João Menéres disse...

RASURAS

Já me não surpreendo com a poesia que sempre emana das suas palavras !
Considero este seu comentário como um forte elogio a esta postagem.
Existem pontes que são barreiras.
Tanto ao nevoeiro, como a amores.

Um forte e grato abraço.

myra disse...

foto belllllllisssima!, como sempre!
beijosssssssssssssss

João Menéres disse...

MYRA

E , como sempre, a tua muita generosidade...

Um beijo muito amigo.

L.Reis disse...

Ora bem...isto é uma caso muito sério em termos de imagem!
Sei que é um rival de poesia em relação a Eugénio de Andrade e não sei que melhor falou na "arte de navegar, se ele com as suas palavras, se tu com o teu momento feito de névoa, pontes inacabadas e um ponto de brilhante amarelo a sulcar as calmas águas.

João Menéres disse...

L. REIS

Para lá da escolha óbvia do ARTE DE NAVEGAR, da névoa, da ponte inacabada e do ponto amarelo, ainda há o azul, sempre aquela cor mágica que cintila e faz reluzir qualquer momento saudoso.

Uma bjKa .

Jorge Pinheiro disse...

Brumosa.

João Menéres disse...

JORGE

De três manhãs, só pude tirar algum proveito de uma.

Mona Lisa disse...

Um post sublime!
Foto e poema de luxo!

Beijinhos.

Maria Manuela disse...

Que lindo !
Se os momentos são únicos... não há dúvida que há uns mais únicos que outros...
E como o magnífico poema de Eugénio traduz excelentemente esta imagem poética... com notas de amarelo-verão...
Um post simplesmente divinal !

Luísa disse...

Wowwwww!
Impressionismo puro na arte de fotografar!
A D O R E I

Mil beijinhos de hoje

João Menéres disse...

MONA LISA

Agradeço o forte elogio, naturalmente.

Um beijo.

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

Muito feliz esse amarelo-verão !
E não só, Maria Manuela...

Um beijo muito agradecido e amigo.

João Menéres disse...

LUÍSA

Como a MARIA MANUELA disse, há momentos únicos.
Eu queria um tanto de azul no céu.
Eu esperei que a embarcação chegasse ali.
Então, como tudo se conjugou, foi só clicar. Luísa.

Um beijo e muito obrigado.

Li Ferreira Nhan disse...

Olá João! Também acabo de voltar de férias.
Estive no teu Porto e nem de longe tinha esse aspecto da foto. Estava bem ensolarado e quente como nunca vi; amei!
Bom regresso!
Beijo querido.

João Menéres disse...

LI

E não podias ter avisado ?
Foram três dias assim. Mas na linha da costa e entrava pelo rio para se dissipar a partir da Ponte da Arrábida.
O tempo tem estado muito incerto.
Hoje está sol, mas ainda ontem de manhã chuviscou...

Um beijo querida Li.

Li Ferreira Nhan disse...

Pensei em avisa-lo, mas julguei que, como eu, estava a viajar em férias. Fica para o ano que vem.
Beijo querido.

João Menéres disse...

LI

Estive mais de 15 dias fora, na verdade.

Beijo amigo.

Ana Freire disse...

Um poema lindíssimo... que não poderia ser melhor ilustrado... também com tanta poesia... como tão bem expressa a imagem!...
Mais uma das minhas imagens favoritas, por aqui... Está uma suave e encantadora maravilha... esse navegar de águas calmas!
Beijinho
Ana

João Menéres disse...

ANA FREIRE

Muito te agradeço as palavras sempre a dar ânimo.

Um beijo muito amigo.