.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

SEM NADA

© João Menéres


NO FINAL DA  TARDE,
O REGRESSO DA FAINA
NUM RIO ESTRANHO.
A PESCARIA
FOI INFRUTÍFERA...

30 comentários:

APS disse...

Para quem percebe pouco ou nada de fotografia, dizer que gostei, creio que será suficiente.
Bom dia!

João Menéres disse...

APS

Muito lhe agradeço ter deixado expressa a sua opinião.

Um abraço.

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

O rio era estranho?
Pelo menos as cores dos últimos raios de sol, fazem-no ser menos estranho, digo eu...
Abraço

João Menéres disse...

RUI PIRES

Há um certo ambiente metafórico na imagem e consequentemente no título.


Um abraço amigo e grato por comentar.

Os olhares da Gracinha! disse...

Um olhar que é sempre lindo!
Uma faina nem sempre com sucesso!
Bj

João Menéres disse...

GRACINHA

O olhar estava um pouco turvo.
Seria pelo insucesso da faina ?

Um beijo e obrigado.

Maria Manuela disse...

Sem nada ou com tudo a fascinar o olhar ?

Os brilhos são tantos que encandearam e afugentaram... o objecto da procura...deixando vazio o barco e a alma dos pescadores que se alimenta de outros sonhos...
Signac terá passado por aqui, ajudando o sol do entardecer a "pontilhar" estas águas ? E deixando o barco na penumbra da emoção... em contraste com seus pontos de luz ?
Uma Foto muito bela... em que o olhar de Mestre destaca um verdadeiro contraponto de emoções...
Beijinho, JOÃO.

Luísa disse...

Com tudo apanhado no teu olhar!
Nem a turbulência das águas te escapou!
E o "rio estranho" pintou-se de vaidade, ora prata, ora negro...
Estavas seguro no ponto da amanha da imagem? Ou empoleiraste-te tal pescador afanado?

Mil beijinhos de hoje, no meu Minho frio, gelado!

Eduardo P.L. disse...

O ato de pescar tem dessas. Uma hora pega, outras volta sem nada.

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

Ia eu a meio da resposta, quando surgiu no monitor a flashada sobre o Ricardo Salgado.
Fui espreitar no D.N. , comentei e logo tudo perdi do que já estava escrito...
Veremos se recupero a ideia :

Paul Signac ?
- Só se for nos reflexos da água...
Mas esta imagem com os pescadores de barco vazio representa o estado de alma que vezes sem conta me assalta e toma :
Inquietação.
Insatisfação.

Ainda busco um estilo ( mas não repetitivo porque não me satisfaço se for monocórdico ).

Esplêndido o teu comentário. De conteúdo e da forma como analisas e interpretas o meu sentir !

Um muito obrigado acompanhado do meu beijo amigo.

João Menéres disse...

LUÍSA

Ia firme mas não seguro, Luísa.

Vejo ouro, mas não prata.
O ouro é mais nobre e a vida mais negra a cada dia passado.

( Sabes que hoje FINALMENTE calcei umas certas meias ?
E que aconchegantes são !...).

Um beijo e muito obrigado.


João Menéres disse...

EDUARDO

A vida de pescador é como a do D. Tenório...

Giga disse...

Eles tiveram a má sorte, é difícil às vezes. Amanhã será melhor. :)

L.Reis disse...

Ora então hoje passamos do pontilhismo para uma forma mais impressionista de ver e sentir...talvez porque o nada não tem contornos, nem definições. Talvez porque o nada é o que precede tudo o que pode ser, talvez porque o nada é um espaço apenas aberto e não vazio...
Naquele final de tarde, aquele barco cheio de coisa nenhuma trazia, afinal, olhos carregados de ouro e luz, porque às vezes os rios são lugares estranhos, onde até o olhar pode deitar redes e linhas.

Luísa disse...

Que as meias te aconcheguem deste frioooooo feio e firme.
Beijinhos

João Menéres disse...

GIGA

E há outros que de tanto pescar acabam por ver o barco afundar-se e muitos perdem a vida.

Obrigado e um beijo.

João Menéres disse...

L. REIS

Ai que me perco no ouro das tuas palavras !
Hoje privilegias-me com SEIS LINHAS de texto poético-filosófico.
Saliento quando dizes porque o nada é o que precede tudo o que pode ser !
E já agora também o onde até o olhar pode deitar redes e linhas.

Verdadeiramente inspirada e inspiradora, Lina !

Será por hoje de manhã eu ter obtido uma imagem de que gosto muito e que editarei na
próxima semana ?
Terá sido uma correia de transmissão ?

Um beijo com simples contornos.

João Menéres disse...

LUÍSA

Hora feliz aquela !
São mesmo muito anti pés congelados !

Um beijo e obrigadíssimo.

Rasuras do Aparo disse...

... rio estranho este que para uns é de ouro ... cheio de vogais e consoantes... promessas de um amanhã envolvente ... e para quem dele subsiste é no mesmo instante um vazio de aconchego ... tão duro que por vezes nem atenta na beleza envolvente do momento ...

João Menéres disse...

RASURAS

Qualquer rio tem sempre duas margens.
Nem sempre,todavia, a sua foz é um delta...

Grande abraço.

Pedro Coimbra disse...

A imagem é sensacional!
Aquele abraço

João Menéres disse...

PEDRO COIMBRA

Muito obrigado, caro amigo.
Estamos com 0º à noite e 7º durante o dia...

Um abraço.

Remus disse...

E como saberá que a pescaria foi infrutífera?
Sabe-se lá se eles não foram pescar gambozinos ou até reflexos do sol?
:-)

Uma fotografia com uns bonitos tons dourados.

João Menéres disse...

REMUS

Talvez ainda só lhes reste lançar a linha a reflexos do sol, tem razão.

© Piedade Araújo Sol disse...


vidas duras

a foto ficou óptima!

beijinhos

:)

João Menéres disse...

PIEDADE

Quantas vezes...
Há partidas sem haver chegada.

Muito obrigado.

Um beijo amigo.

Ana Freire disse...

Que pena a imagem não apresentar só um bocadinho de maior nitidez...
Este mar de prata está incrível! Talvez com algum programa de edição de imagem...
Beijinhos
Ana

João Menéres disse...

ANA FREIRE

Estavam meus olhos emocionados com a tristeza dos pescadores.
Não viste o ar de desalento nas suas expressões ?

Um beijo pela tua sinceridade ( aqui muito apreciada ).

Agostinho disse...

Num campo lavrado pelos barcos o João Menéres pôs os olhos e maravilou-me os meus.
Acredita?
Abraço.

João Menéres disse...

AGOSTINHO

Quanta a sua constante simpatia !
Que tenha uma boa semana.

Um abraço grato.