.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

PORTA

© João Menéres


AQUELA PORTA, EM LIMÕES

( CERVA/ RIBEIRA DE PENA/ TRÁS-OS- MONTES )



28 comentários:

myra disse...

se voce soubesse como gosto de portas...velhas , logico,e destas cerraduras, adoro!
tantos beijos

Isabel disse...

Muito muito bonita!
Quase podemos tocar-lhe e sentir a madeira rugosa.

Um beijo

ana disse...

Uma fotografia excelente!:)
Beijinho.

Maria Manuela disse...

...E da árvore, meio queimada ou não, se fez porta...

...Toscamente talhada, reforçada por ferros, mais que centenária, talvez, transmite-nos a consciência do efémero...

...Uma chave enorme e ferrugenta que não está lá...

É sempre um mistério, uma porta fechada...

De uma casa/lar em ruínas, não pode ser.Talvez de um estábulo, quem sabe?

É uma relíquia, captada só por Quem
passa, Olha e Vê!

Cores naturais...
Muito boa fotografia!

Um beijo

Jane Gatti disse...

Portas e maçanetas, como instigam a nossa imaginação... Quantos sorriram, choraram, aguardaram com impaciência ou esperança, olhando os mesmos pregos e veios que vemos agora... Ela, mais que espaços, encerra em si a vida.
Obrigada pela oportunidade de reflexão. Abraços.

expressodalinha disse...

Fantástica imagem. Fica-se a pensar de quem era, quem lá viveu e morreu.

João Menéres disse...

MYRA

Tenho mais portas que, certamente, gostarás de ver, mas não sei quando as irei mostrar.
O trabalho é muito e eu não consigo corresponder à Amizade dos meus SEGUIDORES...
Na visita a outros blogues também estou a falhar.


Um beijoooooooooo.

Um beijo

João Menéres disse...

ISABEL

A incidência da luz fez realçar a idade da madeira.

As rugas nãosão só nos humanos, não é ?

Um beijo e obrigado.

João Menéres disse...

ANA
Agradeço-te muito o elogio.

Um beijo amigo.

Anónimo disse...

... primeiro espreitei ... depois rodei o ferrolho ...e de entradas e saídas se fez a vida ... umas vezes espreitando de novo , outras vezes esperando à porta ... outras entrando e ficando ... por vezes breves visitas ... empurrando pota para lá ... porta para cá ... enfim´há quem lhe chame porta ... eu diria ... passagem do tempo
T

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

Fico sempre encantado com o teor dos teus comentários que revelam a atenção que dedicas à análise de cada imagem o que muito me sensibiliza.
A casa não está em ruínas, nem tão pouco abandonada.
Muita gente abalou desta aldeia, é facto. Mas, há muito empenho nos que restam em conservá-la. Há casas muito bem conservadas e sente-se o empenho que têm em cuidar do património construído e manter as tradições. Um exemplo disso, é haver uma escola para ensina novas tecedeiras para produzirem colchas de linho bordadas.

Um beijo e obrigado.

João Menéres disse...

JANE GATTI

E tu reforçaste em mim essa necessidade de reflexão nestes tempos tão incertos !...

Um beijo muito grato.

João Menéres disse...

JORGE
Muita gente terá lá nascido, vividoe já morrido...
...mas ainda outros nascerão aqui.
Tudo gente sã e que, essencialmente, vive do que a terra dá.

Agradeço o elogio à imagem.

Um abraço amigo.

João Menéres disse...

> T <

Já me habituou a comentários singulares.
E não me vou dispensar de repetir aquio seu de hoje :

> ... primeiro espreitei ... depois rodei o ferrolho ...e de entradas e saídas se fez a vida ... umas vezes espreitando de novo , outras vezes esperando à porta ... outras entrando e ficando ... por vezes breves visitas ... empurrando porta para lá ... porta para cá ... enfim´há quem lhe chame porta ... eu diria ... passagem do tempo <.

Nunca devemos desesperar pelo facto de uma porta se fechar...outra, se calhar ao lado, estará entreaberta...

Um grande abraço.

Luísa disse...

Truz!Truz! Posso entrar?
Que bela porta nos abres!!!!
Beijinhos mil!

João Menéres disse...

LUÍSA

Nunca precisas de bater à porta !
Tens SEMPRE todas as portas abertas !!!
Mesmo que possam parecer fechadas, é só empurrar, bem o sabes.

Um beijo e obrigado.

Gilda disse...

Gosto destas portas e das ferragens tão antigas!
Quantas histórias terão passado por elas!

Li Ferreira Nhan disse...

Também estou a falhar João...
E quando venho é rápido e no atacado!
Aqui, sempre um belo e sincero detalhe; quanta majestade há no correr dos anos desta porta!
Um beijo querido.


( até outubro estarei na correria!)

João Menéres disse...

GILDA

Também portas com história e com vidas desconhecidas me apaixonam.

Um beijo e obrigado por teres comentado.

João Menéres disse...

LI

Também eu vou estar MUITO AUSENTE !...
( E não sei por quantas semanas...)

É uma correria que me impede de postar, de fazer visitas e comentários escritos com calma.

Também acho esta porta muito especial, tanto pelas diferentes madeiras, como pelas ferragens não contemporâneas.

Um beijo, minha querida.

Lunna disse...

Una foto estupenda, me encanta sobre todo el detalle de cerradura.

Besos.

Lunna.

Fernando Santos (Chana) disse...

Excelente fotografia....
Cumprimentos

João Menéres disse...

LUNNA

Já tinha saudades tuas !...
É preciosa, sem dúvida.

Um beijo e obrigado.

João Menéres disse...

FERNANDO SANTOS ( CHANA )

Agradeço o seu comentário, que me deixou muito satisfeito.

Um abraço.

:.tossan® disse...

Maravilha de foto! São detalhes e adoro detalhes tão bem fotografados como este. Abraço

João Menéres disse...

TOSSAN

A sua habitual gentileza e amizade !

Muito obrigado e um grande abraço.

Ana disse...

Gosto muito desta fotografia, também tenho algumas parecidas com esta.

Beijos

João Menéres disse...

ANA

Muito obrigado pelas tuas palavras.

As portas constituem um manancial para quem andar atento.

Apreciaria espreitar as que já tens.

Um beijo muito amigo.