.

sábado, 16 de maio de 2009

TRÁS-OS-MONTES

Photobucket
© João Menéres

Na aldeia da Bemposta

Em terra de albardeiros, enquanto as mulheres usam as agulhas.
o jovem utiliza o dicionário para os deveres da escola.
O tempo está frio. O sol não aquece o suficiente.
As brasas de uma pequena fogueira ajudam um pouco.

30 comentários:

Luísa disse...

O trabalho e a tertulia em simultaneidade com a lição do menino, no adro de uma casa, em comunidade!
De negro se vestem as mulheres cheias de dor, pela partida de alguém que as deixou ou pela força da vida, ou pela vida que cessou!
Resta-lhes a esperença em quem vem e procura os seus hábitos, eleogia o seu trabalho e pede lenha para se aquecer!
Resta-lhes a esperança naquele menino, que com fome de saber, faz das pernas a sua mesa e dos livros o meio para poder chegar mais longe...

Bela foto João!
Dela podemos tirar a vivência das terras que ficam para além dos montes, "lá para cima", onde as pens e os Magalhães, ainda não vencem o poder único dos livros!

missixty disse...

Uma foto que regista os costumes e tadições de um povo, de uma determinada região!Podias era ter tirado mais uma ou outra!
beijinhos

Lina Faria disse...

Nessa foto está implicita toda a história desse grupo. A dor das senhoras, a aplicação que esparam os mais velhos, desse menino que lê concentradamente.
Bonito.

L.Reis disse...

...que cena "deliciosa"... talvez porque sempre adorei este costume que as pessoas tinham e ainda têm de vir sentar-se fora das suas casas...a partilhar conversas e afazeres...

Tinta Azul disse...

Uma beleza esta fotografia.
Também me comoveu, por tudo o que está nela implícito.

Beijo

Selena Sartorelo disse...

O tempo visto nas marcas de cada rosto e na ausência delas.
O tempo sentido no peso da curva de cada corpo.
O tempo que não é sentido na imagem pois a luz do sol nos confundi ...apenas um pouco.
Que bom voltar e dar de cara com o contraste do tempo.
Beijos meu querido amigo JOÃO MENERES.

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Felizes essas pessoas:sentam-se tranquilas à porta de suas casas,calmas e serenas a conversar...e as gerações se misturam e o João,com sua foto nos traz,como se ali estivéssemos a ternura do momento que conseguiu captar com a câmera que para falar falta pouco!!!

Deliciosa foto!

Um beijo!

Sonia Regina.

myra disse...

que linda foto, e o que representa,um abraço, myra

Boieiro disse...

Á Juan, ye pena que la tie de l xaile a la dreita nun apareça no retrato, assi cume l home a la esquierda. Antón si l quadro queda acabado cun todas las sues cuntradiçones .
Quanto a "pen's" i "Magalhanes", l eisame dessas tecnologies, de las tradiçones i de la lhéngua será feito eiqui l die 22 de Agosto: http://bloguersnopraino.blogspot.com/ ... un terreiro abierto a todo mundo.

Abraços

João Menéres disse...

LUÍSA

Este teu comentário não é dirigido à imagem que eu postei !
É um hino às gentes boas e trabalhadoras deste país, que as há, de lés a lés.
Gostei muito do que escreveste. Só por isso tudo valeu a pena!

Um beijo.

João Menéres disse...

MISSIXTY

Claro que tirei...
Uma chega para postar aqui.

Beijo.

João Menéres disse...

LINA FARIA

Está aqui toda uma realidade.
E as pessoas são felizes!


Um beijo.

João Menéres disse...

L.REIS

É como tu dizes: enquanto tagarelam, vão trabalhando as suas malhas. O rapaz. mais preocupado com outro mundo, alheia-se totalmente.
A concentração dele é total.

Beijos.

João Menéres disse...

TINTA AZUL

Nos comentaristas encontrei muita sintonia na forma de "sentir" a imagem.
Esta moveu comentaristas de grande sensibilidade.
Que bom, tê-los aqui...

Um beijo.

João Menéres disse...

SELENA SARTORELO

Tudo dito com outras palavras e de uma diferente forma. Mas, o essencial (a leitura da imagem) não falhou nada.

Um beijo para ti.

João Menéres disse...

SONIA REGINA

Obrigado por análise tão correcta feita numa longitude tão diferente...

Um beijo agradecido.

João Menéres disse...

MYRA

Já tinha saudades tuas!

Obrigado pelas palavras.

Um beijo.

João Menéres disse...

BOIEIRO

Quanto às observações relativas à composição, aceito todos os pontos de vista, naturalmente.
Mas, neste caso - e há quem defenda isso com toda a academia - essas figuras "cortadas" prolongam a imagem para lá dos limites e, dessa forma, podemos imaginar que isto que está à vista é apenas parte de um conjunto composto por mais pessoas.
Posso afimar que havia outras tantas...
Podia dissertar mais sobre isso. Penso que o meu amigo (mesmo discordando) entende o meu (e não só) ponto de vista.

Quanto ao dia 22 de Agosto, é uma altura em que, como habitualmente, estarei por outras paragens e sem acesso à Net.
Lamento, acredite.

Um abraço amigo.

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDO JOÃO, BELÍSSIMA FOTO QUE NOS DIZ MUITO... UM ABRAÇO AMIGO,
FERNANDINHA

João Menéres disse...

FERNANDA

Quanto prazer vê-la por aqui de novo!
Marquei-lhe falta no dia 8 de Maio...

Um beijo.

ellen disse...

Linda foto esta. Eu conheço esta forma de estar à lareira... de familiares na Beira Baixa :)

Conceição Duarte disse...

Que foto mais linda, amiga, JOÃO... O que será que eles conversam, não é?

Um tom muito interessante de quadro espanhol... beijos, CON

Quase Blog da Li disse...

João...
Trás-Os-Montes me fala muito de perto ao coração.
Li um texto de FRANCISCO JOSÉ VIEGAS, em 2005, que há uma certa altura (senão me engano) perguntava o que um estrangeiro - um não-transmontano - vem buscar a Trás-Os-Montes.
E eu respondi:" atender a um chamado que sai (sem querer) do peito de modo fundo e cortante. Um chamado à origem e ao jeito de ser quieto, sábio, forte, terno e protetor: o homem transmontano, o meu Avô Transmontano. De uma neta brasileira que foi buscar suas origens no Cimo de Vila da Castanheira em agosto de 2004 e que se emocionou com o que lá encontrou."
Publiquei na net em 2005.
De lá pra cá já voltei (2007) à "minha" aldeia querida.
E retorno, novamente, agora em junho; atendo prontamente ao chamado do meu coração.
Obrigada por essa linda e amorosa imagem.
Beijos
Li

João Menéres disse...

ELLEN

Muito obrigado por teres comentado.
Gosto muito de te ter aqui nos comentários.

Um beijo.

João Menéres disse...

CONCEIÇÃO DUARTE

Obrigado pela tua visita.
Já vieste de Angra?

Esta cena é bem junto da fronteira com a Espanha.
Daí teres perspectivado (e muito bem) algo de Velasquez...

Um beijo grande.

erupção_do_ser disse...

Momento bem à português no interior da terra! Ternura do aconchego de uma lareira num dia gélido em que a alma se aquece distraída com canticos; entretendo os olhos com as lãs... enquanto os mais novos fazem os "tpc"... Belo retrato!(o meu irmão tinha umas calças dessa cor e as minhas eram vermelhas...nunca me esqueci delas)

João Menéres disse...

ERUPÇÂO_do_SER

A descrição que fazesestá super correcta e muito bem escrita.
Assim dá gosto!
Estes padrões desaparecem e voltam anos mais tarde com diferenças que eu não enxergo.

Um beijo.

Alice Salles disse...

Imagen de um dia comum que não tem NADA de comum... Única.

João Menéres disse...

ALICE

Este recanto, abrigado do vento, é também único!

Gostei da tua análise.

Beijos.