.

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

JANELAS

© João Menéres

Se eu também me visse para além de mim...

18 comentários:

Eduardo P.L disse...

Além das janelas e seus reflexos, que paleta de cores!!!

Parabéns!

Alice Salles disse...

É aquilo que disse, janelas são pra mim um problema. Não posso andar por aí desavisada que vou fitar cada janela que passar com uma curiosidade que eu não sei da onde vem. É mais forte do que eu!

LINDAS TUAS JANELAS!
Beijinhos

João Menéres disse...

EDUARDO

Seus comentários fazem o meu ego sorrir.
(Claro que "Ego" é matéria um tanto filosófica e não se inclui nos meus poucos saberes).
Obrigado por sempre me visitar e por sempre deixar palavras amigas.

João Menéres disse...

ALICE

Só não é muito bonito espreitar por buracos de fechadura...
Janelas não são só para ver de dentro para fora.
Na Holanda, por exemplo, as portadas das janelas não se fecham à noite. Nem se levantam outras barreiras.
Dá idéia, que têm gosto em serem vistos do exterior.
É muito interessante isso.

Um bj. para quem me traz sempre boas novas.

Menina do mar disse...

Tá aqui a prova provada do encontro que te falei sobre a busca da inspiração... logo à noite dará frutos... quando me sentar a escrever sobre «se eu também me visse para além de mim...»
beijo

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

João!Adoro fotos e pinturas de janelas e portas;este post é meu,rsrsrs!!!

Sensacional a janela refletindo as outras,é uma janela de múltiplas personalidades!!!

Beijos enviados pela janela,Sonia Regina.

expressodalinha disse...

Uma pintura...

Milouska disse...

Caríssimo João,

Maravilhosa esta foto de janelas, umas reflectindo-se noutra.
E vem-me à memória um belo poema de António Gedeão, "Aurora Boreal":

Tenho quarenta janelas
nas paredes do meu quarto.
Sem vidros nem bambinelas
posso ver através delas
o mundo em que me reparto.
Por uma entra a luz do Sol,
por outra a luz do luar,
por outra a luz das estrelas
que andam no céu a rolar.
Por esta entra a Via Láctea
como um vapor de algodão,
por aquela a luz dos homens,
pela outra a escuridão.
Pela maior entra o espanto,
pela menor a certeza,
pela da frente a beleza
que inunda de canto a canto.
Pela quadrada entra a esperança
de quatro lados iguais,
quatro arestas, quatro vértices,
quatro pontos cardeais.
Pela redonda entra o sonho,
que as vigias são redondas,
e o sonho afaga e embala
à semelhança das ondas.
Por além entra a tristeza,
por aquela entra a saudade,
e o desejo, e a humildade,
e o silêncio, e a surpresa,
e o amor dos homens, e o tédio,
e o medo, e a melancolia,
e essa fome sem remédio
a que se chama poesia,
e a inocência, e a bondade,
e a dor própria, e a dor alheia,
e a paixão que se incendeia,
e a viuvez, e a piedade,
e o grande pássaro branco,
e o grande pássaro negro
que se olham obliquamente,
arrepiados de medo,
todos os risos e choros,
todas as fomes e sedes,
tudo alonga a sua sombra
nas minhas quatro paredes.

Oh janelas do meu quarto,
quem vos pudesse rasgar!
Com tanta janela aberta
falta-me a luz e o ar.

Um beijo,
Milouska

João Menéres disse...

MENINA do MAR

Então,à janela te espero !

Bj.

João Menéres disse...

SONIA

Encantado com a forma como tudo ficou assim dito.

Muito obrigado e 1 beijo

João Menéres disse...

EXPRESSODALINHA

Não tenho dúvida que apreciou estas janelas.
Fico muito feliz!
Um abraço.

Maria disse...

E estas cores, até parece que o mexicano Barragán passou por estas paragens...
A paleta do povo no seu melhor!

João Menéres disse...

MILOUSKA

Não tenho palavras que possam traduzir o quanto estimei o seu comentário quando, ao fim da tarde, cheguei a casa.
E eu que andara à procura de uma poesia que se ajustasse a esta minha imagem...
Como, depois de uma busca prolongada, nada encontrei, legendei-a eu próprio.
Foi extremamente gentil e Amiga ao transcrever esta Aurora Boreal, que está perfeita aqui, sem dúvida.
E eu que há pouco tempo estivera com o livro dele!
E que assinalara outra poesia para uma imagem a fazer ainda!!!
Muito e muito obrigado.
Um beijo,
João

João Menéres disse...

MARIA

Não sei quem tu és...
Mas és uma "princesa" na cultura !
Tens toda a razão quando evocas o Barragán !!!
Aquele azul, o rosa-lagosta...

Grato pela tua visita.
Aparece sempre que te apetecer.

Um beijo.

Georgia disse...

Joao, essas cores fortes assim tb têm chegado aqui na Alemanha. Muitas pessoas têm pitado suas casas em tons bem fortes como esses.

Janelas interessantes, abrem prá cima, nao?

Um abraco

João Menéres disse...

GEORGIA

São chamadas janelas de guilhotina. Pensa na Maria Antonieta.
Obrigado pelo comentário.

L.Reis disse...

As janelas são olhos que espreitam em dois sentidos, até que cansadas adormecem fechando as suas pálpebras de vidro.
(O cromatismo da imagem e o que a janela nos mostra para além dela atraiu, de imediato, os meu olhar...)

João Menéres disse...

Como eu gosto...não! Como eu adoro ler os teus comentários...