.

segunda-feira, 27 de março de 2017

FLORES DO CAMPO

© João Menéres



LÁGRIMA CELESTE,
PÉROLA DO MAR,
TU QUE ME FIZESTE
PARA ME ENCANTAR !

HÁ ! SE TU NÃO FOSSES
LÁGRIMA DO CÉU,
LÁGRIMAS TÃO DOCES
NÃO CHORARA EU.


( João de Deus, poeta e pedagogo, 1830-1896 )

domingo, 26 de março de 2017

PORQUE HOJE É DOMINGO...






          MUIÉ QUANDU QUÉ DÁ, NINGUEIN SIGURA


 Um fazendeiro ia indo a pé para sua fazenda lá pros cafundó de Joaíma-MG.

No caminho, comprou um balde, um galão de tinta, dois frangos e um ganso, todos os animais vivos.

Quando saiu da loja, parou e ficou matutando sobre como levar as compras para casa. Enquanto coçava a cabeça, 
apareceu uma mulher que lhe perguntou como chegar até a Fazenda Baluarte, nos encosto de  Filisburgo-MG

- Bem, diz o fazendeiro, minha fazenda fica pressas bandas mesmo.
Eu podia te levá até lá, mas ainda não resolvi como vou carregá cum isso tudo aqui.

A mulher sugeriu:

- Cê coloca o galão de tinta dentro do barde, carrega o barde numa
mão, o ganso na outra mão e 
um frango debaixo de cada braço.
- Muito obrigado! - disse o homem - É uma boa idéia.

A seguir, partiram os dois pela estrada.

No caminho, ele disse:

- Vamo cortá caminho e pegá este ataio pelo mato, que vamo
economiza muito tempo.

A mulher o olhou cautelosamente e disse:

- Eu tô sozinha e não tenho como me defendê. Como vou sabê se quando a
gente entrá no mato ocê não vai avançá em 
cima de mim e levantá minha saia e abusá de mim?

- Eu tô carregano um barde, um galão de tinta, dois frango e um
ganso... Como eu ia fazê isso cocê com tantas coisa 
nas mão? Se eu sortá o ganso e os frango, eles foge tudo!
- Muito simples, uai: 
Cê coloca o ganso no chão, põe o barde invertido em cima dele, coloca o galão de tinta prá pesá em cima do barde..

- E os dois frango?

- Eu seguro !

sábado, 25 de março de 2017

PRIMAVERA

© João Menéres

quinta-feira, 23 de março de 2017

A RIBEIRA DA CIDADE DO PORTO

© JOÃO MENÉRES

" NÃO NASCI POR ACASO NESTAS PEDRAS
MAS PARA APRENDER DUREZA,
LUME EXCEDIDO,
CORAGEM DE MÃOS LÚCIDAS.

AQUI NO AVESSO DA CONSTRUÇÃO DOS TEMPOS
A PALAVRA LIBERDADE
É MENOS SECRETA.

....   ...  ...  ... "

( Excerto de um poema de José Gomes Ferreira )




quarta-feira, 22 de março de 2017

É UMA FLOR

© João Menéres


MAS NÃO SEI O NOME...

terça-feira, 21 de março de 2017

O FAROL DE FELGUEIRAS

© João Menéres


E O SOL SE IA...

segunda-feira, 20 de março de 2017