.

sábado, 17 de março de 2018

HORA DE RECOLHER

© João Menéres






                  COM AS GAIVOTAS



Contente de me dar como as gaivotas
bebo o Outono e a tarde arrefecida.
Perfeito o céu, perfeito o mar, e este amor
por mais que digam é perfeito como a vida.

Tenho tristezas como toda a gente.
E como toda a gente quero alegria.
Mas hoje sou dum céu que tem gaivotas,
leve o diabo essa morte dia a dia. 
( EUGéNIO DE ANDRADE  In Os Amantes sem Dinheiro, 1950 )

25 comentários:

Os olhares da Gracinha! disse...

O poema é sublime e o olhar associa-se à magia da escolha!!!
bj

João Menéres disse...

GRACINHA

Neste Inverno da vida e da quadra das estações, trago para os apreciadores estas GAIVOTAS do Eugénio.
Estamos em vésperas de uma Primavera que se adivinha preguiçosa.
Que sejam as gaivotas a ir buscá-la.

Obrigado, Gracinha, por teres envergado o jersey amarelo.

Um beijo muito amigo.

bea disse...

Tão agradável ter o Eugénio no acordar e, logo acima, um céu de gaivotas e mar.
BFS

Eduardo P.L. disse...

Olhem elas aí...

João Menéres disse...

BEA

Eu prefiro ler Poesia à noite...
Parece-me estar em total consonância COM AS GAIVOTAS, do Eugénio...

Um beijo muito agradado.

João Menéres disse...

EDUARDO

As gaivotas não conhecem as estações do ano por aqui.
As andorinhas, sim !

Elvira Carvalho disse...

Belo poema e não menos bela foto.
Abraço e bom fds

João Menéres disse...

ELVIRA

Obrigado pela parte que me toca.

Um beijo e também te desejo im bfs ( o verão ainda está distante !... ).

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Um belo poema de Eugénio de Andrade muito bem ilustrado, a fotografia é fantástica.
Um abraço e bom fim-de-semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

João Menéres disse...

FRANCISCO OLIVEIRA

Muito agradeço as suas palavras elogiosas.

Um abraço amigo.

Maria Manuela disse...

Que lindeza ! Que leveza !
Que elegância neste bater de asas num céu de cores a esvair-se...
Tudo se recolhe, sim...
Até a câmara, certamente, para desfrutar em silêncio com o autor... o momento que se segue a um click destes... tão certeiro a todos os níveis...
Tão certeiro que inquestionavelmente... acertou também no grande Eugénio...
Beijinhos.:)

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

Como bem sabes, não ou de estar horas à espera que possa acontecer algo que ignoro.
Mas gaivotas voavam em bandos e isso deu-me tempo para fazer o enquadramento ( nota :
Esta imagem é somente uma parte da que eu fiz para um livro sobre o Vasco Graça Moura ).
E quando o momento se proporcionou, foi só clicar.
Tudo muito simples, como vês.
Quanto às poetisadas pelo Eugénio...ainda mais fácil foi para mim.
Assim, está justificada a leveza, e tudo o mais, com que me brindas neste comentário que muito agradeço.

Um beijo ( e fico à espera de uma sondagem ! ).
( Amanhã vamos a Celorico de Basto ).

Tété disse...

Pois é João hoje não me consegui conter e fiz uma maldade e roubei a sua foto e poema e coloquei na minha página do Facebook. Mas atenção, fiz referência a que era um roubo a si e ao seu blogue e agradeci-lhe com um beijo. Não ficou zangado, pois não?
Como correu a exposição? Só pode ter corrido bem e ainda por cima tendo-o como participante.
Beijos e abraços de amizade

ana disse...

João,
Esta imagem está sublime. Pelo céu vi logo que era assinatura sua.
Adorei.
O poema é muito bonito.
Beijinho.:))

Luísa disse...

Fantastica foto!
Bjnhs

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Maravilhosa imagem, muito bem acompanhada...
Abraço

Olhar d'Ouro - bLoG
Olhar d'Ouro - fAcEbOOk

João Menéres disse...

TÉTÉ

A esta hora estás mais que perdoada, mas ficas com termo de residência...

A exposição está a conhecer um ENORMA sucesso ( como todos esperávamos ).

Um beijo grato.

João Menéres disse...

ANA


Verás que não seduzirá assim tanto !...
Mas concordo que o binómio está bom !


Um beijo muito amigo e grato ( fizeste falta no sábado...).

João Menéres disse...

LUÍSA

Da tua mão, só elogios !...

Um beijo muito amigo e agradecido.

João Menéres disse...

RUI PIRES

Agradeço o seu comentário e o adjectivo.
Na Poesia do Eugénio não são poucas as referentes ao rio e às gaivotas...
Tinha esta na memoria.

Um abraço amigo.

L.Reis disse...

Isto são lá gaivotas!... Isto são desenhos de partida, é uma conjugação do verbo voar, é um sobressalto de sentidos, é um caminho, uma viagem um desejo de horizonte, é um movimento imperceptível que faz do dia noite e da noite dia...isto é e pode ser muitas coisas...isto são lá gaivotas...

Beijo de quem muito gostou.

João Menéres disse...

L. REIS

Perante a tua argumentação tão bem fundamentada, a mim, pecador, só me resta confessar e pedir perdão !
Não passa de um sonho...
De um sonho com gaivotas.

E, quando dizes de quem muito gostou, só me permites continuar a sonhar.

BjKa em estado de graça.

Rasuras do Aparo disse...

... fim de dia ... rumo delineado com a graciosidade e estética de um bailado sobre uma tela de encantar ...

João Menéres disse...

RASURAS

O comandante delinea o rumo.
Uma gaivota não quer obedecer e lá se foi o PAS-DE-DEUX...


Fica o meu abraço amigo e grato.

mariam [Maria Martins] disse...

Essa fotografia é um poema :)