.

quarta-feira, 5 de julho de 2017

PORTA

© João Menéres

34 comentários:

Agostinho disse...

O que importa é a porta mas há qualquer coisa de estranho na fotografia.
Abraço.

João Menéres disse...

AGOSTINHO

Na minha opinião, a forma e o desenho da porta não condizem com a magnífica ombreira.
Será isso que estranhou, caro amigo ?

Um abraço grato.

Os olhares da Gracinha! disse...

Larga ... baixa ... diferente e belíssima!!!
Bj

João Menéres disse...

GRACINHA

Uma magnífica definição !

Um beijo amigo e grato.

© Piedade Araújo Sol disse...

uma porta robusta
aqui ninguem entra parece dizer
uma foto bonita, o Agostinho diz que a foto está estranha, deve ser que não está alinhada e parece um pouco torta.
bem regressado João!
beijinhos
:)

Remus disse...

Espero que após esta sua ausência toda, não tenha chegado e dado com o nariz na porta. Mas se assim foi, se calhar devia ter avisado e que ia chegar.
:-D

O que a porta esconde não sabemos. Ou pelo menos nós, os que estamos deste lado, não sabemos. Mas se calhar o amigo João até saberá o que ela esconde.
Eu acho que é uma porta das mil e uma noites, por isso do lado de lá, terá de haver obrigatoriamente dança do ventre.
:-D

Rasuras do Aparo disse...

... ora aqui está uma "senhora" porta com uma ombreira de me fazer sonhar, sonho que ela está por detrás daquela porta ... sonho em correr para ela descaradamente tendo o cuidado de não tropeçar na soleira ... sonho ...
mas eis que olhando acima ainda na contemplação da parte superior da ombreira, vislumbro uma varanda bem ornamentada com seu belo avental de ferro bordado à maneira antiga ... e fico tentado ... ai se fico ...
( já lhe estranhava a prolongada mas anunciada ausência ... mas voltou ... no seu melhor, ou seja ... da forma como nos habituou com elegância técnica e saber ...)

João Menéres disse...

PIEDADE

Lá robusta é ela...
Na verdade há um ligeiro desvio sobre a esquerda.
Na altura da edição não me apercebi disso.

Um beijo amigo e grato.

João Menéres disse...

REMUS

Não dei com o nariz na porta, não senhor !
Penso que nunca me esqueci de levar comigo as respectivas chaves...

Como fiquei do lado de cá desta porta, também ignoro se alguma orgia me esperava...

A minha presença nos blogues vão ser mais espaçadas, caro Remus.

Fica o aviso, desde já.

Um abraço com amizade virtual ( que o REMUS não permite outra ).

João Menéres disse...

RASURAS

Se este sítio espanhol fosse muito colorido, andaria à caça. Não se trancava...

Obrigado pelas suas palavras, meu caro.

Até breve, então.

JANE GATTI disse...

O que esconde essa porta de linhas retas e imponentes? Quantos amores viu passar o balcão de ferro trabalhado? O contraste entre a pedra e seu sulco em linhas sinuosas e a austeridade da madeira talhada com firmeza, presa em grandes pregos e em desenho retilíneo e uniforme. O suave e a força. Talvez isso provoque a estranheza. Seria proposital? Ou foi preciso lacrar de forma definitiva a vida que ali teimava em brotar? Um beijo. Bom tê-lo de volta.

Pedro Coimbra disse...

Pois, é um bocado sardinha assada com café com leite, não casa, não combina.
Aquele abraço

Maria Manuela disse...

Antiga e sólida, falta-lhe altura, um tanto compensada pelos elegantes e rebuscados volteios da pedra...
Será que foram idealizados originalmente para ela ?
É que não não se ajustam lá muito bem... tão séria ela é e um pouco atarracada... com aqueles devaneios mais a fragilidade e delicadeza da varandinha...
Muito curiosa esta foto ! Gostei.

João Menéres disse...

JANE GATTI

Terra muito antiga esta.
Bem isolada de tudo, apenas a bela natureza a envolve.
Houve uma recuperação em 80% das casas e actualmente é muito visitada por espanhóis, sobretudo.
Nem sempre tudo se faz correctamente.
Mas, pelo menos, está com vida e animação turística.

Muito obrigado pela simpatia das tuas palavras, minha amiga.

Um beijo.

João Menéres disse...

PEDRO COIMBRA

...ou querer misturar água com azeite...

Grande abraço.

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

O desenho da porta não está à altura da qualidade das ombreiras e da padieira, é o que é.
Conheci este pueblo há quase 50 anos.
As ruas eram em terra e as águas corriam pelas ruas fora.
Tudo era de uma pobreza gritante.
Soube que tinha sido alvo de uma recuperação e tinha muita curiosidade em lá voltar.
Tenho mais uns tantos apontamentos para mostrar.
A seu tempo irão surgindo.

Um beijo amigo e grato.

Agostinho disse...

Parece-me haver duas portas. O sistema, digamos assim, de construção com múltiplas almofadas não foi feliz, nem "casa" com a moldura sóbria da ombreira. Parece-me ter havido substituição da porta original com uma solução de recurso. Também o patim ou passeio não contribuem para a harmonia do conjunto.
Obrigado, João Menéres.

Eduardo P.L. disse...

Estou de acôrdo com os comentários do Agostinho. Estranha porta.

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Uma bela e robusta porta.
Um abraço e continuação de boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

João Menéres disse...

AGOSTINHO

Realmente tem toda a razão no que descreve.
Uma solução mal pensada, na verdade !

Um abraço a agradecer a sua sempre muito estimada atenção.

João Menéres disse...

EDUARDO

Estou de regresso, embora muito aos poucos.
Também concordo totalmente que a solução encontrada é muito infeliz.

Um abraço atlântico.

João Menéres disse...

FRANCISCO OLIVEIRA

Que a porta é robusta lá nisso estamos de acordo.

Um abraço grato.

L.Reis disse...

É um detalhe que causa alguma estranheza, por causa do contraste entre a delicada graciosidade da pedra e a a falta da mesma na madeira. Mas, se calhar, sem aquele porta a destoar, não se repararia tanto no desenho simples e elegante da moldura. Há coisas assim: só existem para fazer sobressair a beleza que as rodeia :):)
Beijo!! Já de regresso?

João Menéres disse...

Já de regresso. É verdade...

E viste as eias de aranha ?

Inté.

Isabel disse...

Estive lendo os comentários...na minha opinião a porta combina lindamente com a ombreira. Quando olhei para a foto também estranhei qualquer coisa que ali não combinava: o material usado na "porta" da varanda. Parece uma esteira...

Um beijinho e espero que ande bem (da tensão).
Bom fim-de-semana:)

Vi as teias!



João Menéres disse...

ISABEL

A tua atenção dá-meimenso prazer !
Ma, quanto a mim, preferia outro estilo de porta...

Com a baixa notória das temperaturas os valores das minhas t. a. estão a normalizar.

Muito obrigado e um beijo amigo.

Luísa disse...

Cheguei e a porta está fechada!
Vi comentários abertos ao não casamento da porta com a ombreira! Olhei e vi o divórcio assinado da cor com a restante madeira.
Laranja renovado, estraga a beleza da fachada apalaçada.
Resta-me a segurança cravada de ferro,almofadada de ansiedade para abrir...
...e agradecer as viagens que nos permites fazer por mais uma foto singular nos apresentares.
Mil beijinhos ternurentos

João Menéres disse...

LUÍSA

Quando cheguei tudo encontrei fechado !
Talvez porque não pensaram que eu demorasse tanto a vir...
Se a casa foi apalaçada ?
Talvez num longínquo passado...

Um beijo amigo pela tua paciência que muito agradeço.

bea disse...

Na verdade...estranha porta. Il y a quelquer chose qui manque, um certo donaire. Mas, quem sabe, seja uma porta segura. Uma vez entrei num portão do género e abria para um pátio interior muito agradável, de verdes solarengos e árvores debruçadas sobre as janelas das casas. Pode ser assim.
Boas e rápidas melhoras da sua tensão arterial.

João Menéres disse...

BEA

Mas esta porta não dará para um pátio, nem para um jardim.
Para lá dela, além de muita história e histórias que desconheço, tudo também ignoro.

Muito obrigado pelos votos amigos.
Isto vai indo, embora lentamente.

Um beijo grato.

Ana Freire disse...

Engraçado... o ar poderoso e majestoso da porta... parece contrastar fortemente com o aspecto frágil da varanda em cima... mas acho que até não combina mal de todo, com a ombreira...
Mas concordo com o Agostinho... também tenho a sensação de que terá havido uma substituição na porta original...
Por tudo isto... uma foto super interessante... que nos prende a atenção... enquanto ficamos a matutar em tudo isto...
E uma porta assim imponente... não mereceria um passeio... à sua altura... um bocadinho melhorzinho?...
Realmente uma imagem, que nos prende pelos contrastes...
Beijinhos, João! Bom domingo!
Ana

L.Reis disse...

Pois claro que sim! As duas. Ou há mais? :)

João Menéres disse...

ANA FREIRE

Claro que houve substituição de muita coisa neste pueblo !
Mas há portas ainda com centenas de anos...
E a pedirem substituição...
Captei de umas e de outras, tantas quantas a fornalha permitia ( e aqui não foi o pior ! ).
Creio que a recuperação continua, Ana.
Visitei este lugar em 1975 e tinha sabido desses melhoramentos enormes.
Fiquei com vontade de lá voltar para ver com os meus olhos.
Estava previsto para o ano passado, mas foi quando tive o acidente na perna e tudo foi adiado.
Paguei com juros ( altíssimas temperaturas o atraso ) !

Um beijo amigo e obrigado.

João Menéres disse...

L. REIS

Há mais, há...mas noutras portas.
Talvez venha a mostrar...

Bjka.