.

sexta-feira, 28 de abril de 2017

1972

© João Menéres


UMA FOTOGRAFIA DE 1972
A DOCUMENTAR
TIRONES
DE OUTROS TEMPOS.
SEIS ENGRAXADORES
SEM MÃOS A MEDIR.


41 comentários:

bea disse...

Nunca gostei do espectáculo. Soa-me a prepotência pública e algo machista que não me apraz. Mas talvez fosse apenas mais uma profissão

Os olhares da Gracinha! disse...

Todos em pé não me recordo!
Mas dia destes cruzei_me com um e não pode deixar de sorrir!
Bj

Jorge Pinheiro disse...

Perdeu-se este hábito.

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Estou maravilhado com esta raridade em forma de imagem!
Fantástica foto!
Abraço

myra disse...

gostei muito desta foto! acho historica"):):):)

Remus disse...

Eu ia jurar que já vi esta fotografia publicada por aqui. Pelo menos ela a mim não me é estranha...
Ainda a tentei procurar, mas desisti. Este blogue possui tantas "etiquetas", que é praticamente impossível procurar uma dada fotografia.

Dúvidas à parte, não tenho nenhuma dúvida que esta é uma excelente fotografia documental.

E também fico a pensar que edifício é este, o que está mesmo por detrás do homem de camisa amarela e do de gravata vermelha. Acho que actualmente o edifício já não existe, ou será que estou a posicionar mal o lugar?
Sei que está ali o actual edifício da reitoria da UP, antiga Faculdade de Ciências da UP. O Jardim da Cordoaria ficará à esquerda e a Torre dos Clérigos ficará à direita. Mas agora esse edifício... acho que não é do "meu tempo".

L.Reis disse...

A azáfama que para ali vai! E a fotografia que para aqui vai!
(Estou como o Remus, esta fotografia não me é estranha)
Não sei do que gosto mais...desde a pose dos clientes à "carreirinha" de engraxadores com os seus assentos personalizados, gosto de tudo. Nem sequer falta ali um fiel amigo, de língua de fora, para completar este excelente momento de um quotidiano, lá para trás no tempo.
Uma preciosidade documental e mais nada!
Agora um àpartezinho: O que raio são tirones, ó valha-me deus? A ignorância é uma coisa muito triste! :):)

Ana Freire disse...

Uma profissão, que tal como os dinossauros... se extinguiu...
Em tempos, ainda se viam alguns em Lisboa... agora... nem por isso...
Que saudades dessas carrinhas, com o formato em pão de forma... ainda se vão vendo... mais no Verão... pois usam-nas como auto-caravana, principalmente estrangeiros... mas com uma série de modificações, em relação à versão original...
Uma verdadeira preciosidade essa imagem, João... que está com uma nitidez, espectacular!
Beijinhos! Bom fim de semana!
Ana

bea disse...

L Reis
Tirone Powell

João Menéres disse...

BEA

Na minha opinião estás enganada.
Havia e há engraxadores que têm clientes certos com quem estabelecem relações amistosas.
Quando era vivo o Adriano no Café Avis, que também fornecia uma data de jornais a troco de umas moeditas, ele engraxava e polia os meus sapatos dia sim, dia não e conversávamos na maior enquanto ele exercia a sua actividade.

Um beijo e obrigado por me dares a oportunidade de rectificar a tua impressão sobre esta actividade que ainda se vai mantendo.

João Menéres disse...

GRACINHA

Na Rua Sampaio Bruno havia 4 engraxadores na entrada de um prédio e os clientes tinham uma cadeira
( parecida com as dos barbeiros ) para se sentarem.
E caso igual sucedia no corredor de acesso aos elevadores aos pisos do Café Imperial !
Agora, há 4 ou 5 em frente a este extinto café ( agora é mais um Mac Donald's ) e os clientes têm que estar de pé...


Um beijo e obrigado por esse sorriso.

João Menéres disse...

JORGE

De uma forma maioritária o tipo de sapato utilizado não se engraxa.
Os meus são "tratados" pela empregada a quem forneço material moderno.
Pela 1ª razão indicada, os cafés deixaram de ter engraxadores ( que pagavam ao estabelecimento uma determinada verba ) e os clientes que desejem ter os sapatos bem apresentados não dispõem dessa comodidade facilmente fora de casa.

João Menéres disse...

RUI PIRES

Muito obrigado pelo elogio que me cabe !
Veja como eles tinham brio nas suas caixas...

( Tenho tido muitos afazeres de ordem vária o que me tem obrigado a estar menos presente na maioria dos blogues que visito habitualmente ).

Um abraço.

João Menéres disse...

MYRA

Muito obrigado, Myra.
Realmente já é histórica !

Beijo, querida amiga.

João Menéres disse...

REMUS

E eu no seu não encontro sequer nenhuma "ETIQUETA" !
Somente a Anterior e a Próxima...

Quanto à fotografia : Tive muitas hesitações quanto ao que os Votantes considerariam uma FOTOGRAFIA DOCUMENTAL !...
O edifício existe !
Apenas vestiu uma nova roupagem, Remus.

Já o RASURAS NO PAPEL na altura da edição desta imagem colocara uma questão equivalente...
Deverei concluir que nem as fachadas têm o direito de se renovarem ?
:-)

Um abraço agradecido pelas suas palavras.

João Menéres disse...

L. REIS

Deves ter sido das poucas pessoas que teve mesmo vontade de ver a imagem e, para isso, a ampliou !
Se viste a língua de fora, também deste conta que, como é hábito neles, o canídeo estava cheio de sono que o sol lhe proporcionava.

Tirones ?
- São pessoas que gostam de se apessoar ( não metas aqui o Fernando !...).
Aqui, digamos que temos duas : as que estão de fato e gravata.

Encontro muitas vantagens na "ignorância" !
- É uma raríssima ocasião para te ilustrares por estas bandas !
E, querida Lina, MUITO OBRIGADO !

João Menéres disse...

ANA FREIRE

Não, ainda não se extinguiu, felizmente.
Mas, estará em vias disso...

Aqui na garagem do prédio mora uma pão de forma !

E tu também clicaste, Ana !
Obrigado pelo interesse e comentário elogioso.
No Domingo parece que já cá choverá...

Um beijo amigo.

João Menéres disse...

BEA

Sim, mas os que tinham aspirações...

GL disse...

Que bela imagem de época. :)
É sempre enriquecedor este guardar de memórias. A nossa identidade é feita de tudo isto.
Ainda há - haverá mais, mas conheço apenas este - um engrachador no C. Comercial V. da Gama, e a verdade é que, regra geral, quando me cruzo com ele está sempre a alindar os sapatos de um cliente.:)

Beijinho.

João Menéres disse...

GL

Sempre tive o vício de guardar tudo, inclusivé memórias e dentro delas as fotográficas.
Mas agora o espaço para tal é bem menor...
És da opinião da amiga BEA ( 1º comentário ) ?

Um beijo amigo e grato.

GL disse...

Abençoado vício. Tens mais, não tens? Venham elas.:)

Quanto à questão que colocas. Não, João, não concordo de maneira nenhuma.
Tenho por princípio respeitar a opinião de todos, mas também tenho interesse em saber o porquê de algumas.
Posto isto, gostaria de perceber o que é que a Bea vê, na realidade retratada, que remeta para "propotência pública" e "machismo", uma profissão que foi, durante anos, o único ganha pão de muitos homens.
Será por não haver mulheres dos dois lados, ou seja, engraxadoras e "engraxadas"?

Beijinho, João.

© Piedade Araújo Sol disse...

Mudam os tempos mudam as vontades, ou neste caso as modas, embora ainda se note alguns(poucos) engraxadores por aí.
A foto é uma raridade e talvez por isso eu gostei bastante.
Beijinhos
:)

João Menéres disse...

GL

Se tenho mais vícios ?
- Claro que tenho !!!
Ou imagens com alguns anos ?
- Também tenho algumas mais, mas com este interesse e estética, não...

Obrigado pelo teu parecer ( que adorei ler ! ).

Um beijo amigo.

João Menéres disse...

PIEDADE

Foi só por ser uma raridade, Piedade ?
Bolas !

O meu beijo amigo e sempre muito grato.

Camerando Blog disse...

Fantástico, Fantástico, Fantástico!

O cão boquiaberto, os carros verdes e a traseira branca do outro carro, o cigarro na boca, mãos na cintura, dedos no bolso, criança de camiseta vermelha, pessoas atravessando a rua, o sujeito de valise na mão pensando "Vai demorar?", os galhos secos, uma mulher desnuda tomando chá atrás do reflexo da janela (este detalhe reconheço que não está tão claro, mas consigo notar).
Cada detalhe desta fotografia é Fantástico!

Mestre João, um Mestre de longa data!

João Menéres disse...

CAMERANDO

Bravo !
Bravíssimo !!!
Até que enfim que alguém refere a desnuda !
Mas o CAMERANDO reparou que a chávena de chá é da VISTA ALEGRE daquele serviço denominado de Seteais ?
Não distinguiu ou já preguiçou na escrita ?
A L. REIS também viu mas estava ocupadíssima à procura da imagem que intitulou
HÁ POR AÍ GENTE ESQUECIDA...

Muito obrigado pela atenção que esta 1972 lhe mereceu, meu caro !

Um grande abraço.

ana disse...

João,
Quando vi esta fotografia vi logo que era da sua lavra. Tinha que ser sua.
Adorei este documento. Uma época bem marcante no vestuário e tantos engraxadores. Não era a época dos ténis, não. Essa era a das sapatilhas sanjo. Não terá por aí nada com essas sapatilhas? O sapato tinha que estar bem engraxado, a gravatinha estreita e a camisa branca, fabuloso.
Gostei desta viagem. Era pequenita para avaliar esta moda.
Beijinho e parabéns. :))

João Menéres disse...

ANA

E agora criticam a gravata larga lá do Trump...
O que são as imposições da moda !
Sapatilhas sanjo ?
- Nem me lembro como eram, Ana !

Ainda ontem li uma entrevista na revista on line da Canon, onde o fotógrafo Lorenz Holder aconselha os futuros fotógrafos :
" "O objetivo de cada fotógrafo deve ser desenvolver o seu estilo próprio, de modo a que se as pessoas olharem para as suas fotografias e o seu nome não estiver próximo delas, as pessoas o reconheçam. Isso não é só no desporto – é em todos os tipos [de fotografia], mesmo na moda. Se as pessoas virem uma fotografia e disserem 'ah, sim, este é fulano' mesmo que não tenha nenhum nome – esse é provavelmente o principal objetivo que deve procurar atingir, que o seu olhar ou o seu estilo de fotografia sejam visíveis nas suas fotografias."
Se muito do meu trabalho não carece de assinatura para se saber que é de minha autoria, há tanta coisa que até eu mesmo posso ter dúvidas. Depende do género e do que é fotografado, como entendes e sabes.

Muito obrigado, um beijo amigo e aproveita a folga como bem entenderes.

Isabel disse...

Fui lendo os comentários e creio que não chegou a confirmar ou não se esta foto já foi publicada, mas a mim também me parece familiar e tenho a CERTEZA que foi aqui que vi ou esta ou outra no género!

É giríssima!

O aprumo antigo era muito interessante, mas também gosto da descontração actual, no vestir. Gosto muito de um fatinho elegante, mas seria incapaz de andar sempre aprumadinha. Não tenho jeito nenhum.
Um beijinho e um bom feriado:)

João Menéres disse...

ISABEL

Certamente que não estás errada.
Eu andava sempre " à tabela ".
Agora é consoante.

Um beijo amigo e grato.

Agostinho disse...

Não estou retratado nesta peça embora a recolha tenha sido feita no ano em que mais engraxei. Assentei praça na EAMA - (escola de aplicação militar) em Janeiro de 1972. Botas e sapatos tinham de andar sempre a brilhar.
Abraço.

Rasuras do Aparo disse...

... ora aqui está de novo uma imagem que raramente vejo pelas ruas cá de Lisboa ... uns quantos já raros pela Praça do Rossio ... para mim é uma um bela fotografia documental ...

Carlos Romao disse...

É um retrato de uma época e um fartote de engraxadores e engraxados.
Um abraço.

João Menéres disse...

AGOSTINHO

Em 1972 foi o ano em que verdadeiramente a Fotografia despertou em mim.
Mesmo sem ter passado pela tropa, andava sempre com os sapatos num brinco.
Como eles brilhavam !...
E a minha colecção de gravatas já era vasta.
E já levava muitos anos como velejador.
E ainda lia muitíssimo.

Hoje, com a modificação de tanta coisa, e com um vestuário mais casual, é raro engraxar sapatos.
Compro novas gravatas só poucas vezes durante o ano.
O 1º enfarte há muito me fez deixar de velejar.
A leitura de romances não é muito compatível com quem plana a toda a hora.

Um abraço grato.

João Menéres disse...

RASURAS

Agora há mais arrumadores.
Mais crimes de colarinho branco ( que não são fáceis de serem capturados por uma camera fotográfica ).
Mais manifestações ( detesto multidões ).
Já não há QUATRO ESTAÇÕES no ano.
E tantas outras coisas mais...

Vamos vivendo conforme a batuta do maestro, enfim...

Grande abraço.

João Menéres disse...

CARLOS ROMÃO

Ora viva !
Grande mas agradável surpresa !
Com os seus óculos até tive dúvidas de o reconhecer...
Vai regressar à blogosfera ?
Espero bem que sim !

Um abraço amigo.

Carlos Romao disse...

O tempo passa e a gente muda, daí os óculos. Regressei ao blogue, sim, espero que por muito tempo.

Um abraço amigo.

João Menéres disse...

CARLOS ROMÃO

Se muda ( ! ) e como tudo se muda em nós !...
Grande notícia me dá !
Espero não ter perdido o nome do seu blogue !

Grande e amigo abraço.

ana disse...

PARABÉNS mais que merecidos!:)))))
Beijinho :))

João Menéres disse...

ANA

Muito e muito obrigado !

Um beijo muito amigo.

L.Reis disse...

Eheheheheheh!
Em cheio! Tive que aqui voltar!
Um primeiro lugar mesmo muito merecido!