.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

UMA JANELA E DUAS PORTAS

© João Menéres


UM PALHEIRO NA TOCHA


UM MIMO PARA QUEM
DE PORTAS GOSTA.
UM MIMO PARA QUEM 
DE JANELAS APRECIA.
UM MIMO PARA QUEM
COM O AZUL SE DELICIA.
E AINDA SOBRAM
VERDES E BORDEAUX
PARA OUTROS MUITOS.

24 comentários:

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Efetivamente delicio-me com estes tons fora do habitual.
Palheiros com história!
Bela foto. Gostei!
Abraço

João Menéres disse...

RUI PIRES

Como poderia eu deixar fugi tais cores ?
Idoso sim, gágá ainda não...

Um abraço agradecido.

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Um mimo de fotografia meu amigo, gostei bastante.
Um abraço e bom fim-de-semana.
Andarilhar || Dedais de Francisco e Idalisa || Livros-Autografados

João Menéres disse...

FRANCISCO OLIVEIRA

Agradeço a sua opinião, meu caro.

Um abraço ( com menos frio, digo eu...).

Kaipiroska disse...

Gosto de tudo isso assim junto, tal qual como nesta foto, sem tirar nem por!
Parece-me aquelas casas dos pescadores, onde arrumam as redes e afins...
Bom fim-de-semana João :) 1bj

Remus disse...

Com tanto mimo, daqui a pouco ficamos "mimosos". Mas assim sendo, eu fico-me pelo mimo do azul.
:-)

Em termos de enquadramento, acho que a fotografia poderia estar mais "frente" e menos de lado. Mas acredito que alguma razão existirá para tal não ter sido feito. Muito provavelmente, por uma questão de espaço. Em termos de cor e de grafismo, acho que está no ponto.

João Menéres disse...

CARIN

E no fundo são isso mesmo !

Ainda bem que gostas, Carin.

Por cá está um frioooooooooooooooo !...
( As mínimas andam no litoral à volta dos 0º e no interior já vão em vários negativos ! ).
Os insulares são uns privilegiados.
Um beijo e bfs.

João Menéres disse...

REMUS

Eu também prefiro o azul ( de céu, de mar ! ).
Por isso, também me mimei.
:-)


Quanto ao enquadramento, foi minha e de livre e espontânea vontade.
Apenas preferia ter um céu azul...
Ainda não sei como se faz, Remus.

Jorge Pinheiro disse...

Um arde cadente.

João Menéres disse...

JORGE

Como sempre... bem definido e original !

L.Reis disse...

Pois então vou-me servir. Com licença: eu fico com as portas. com a janela, com o azul e com o verde com os laivos de laranja. Quem vier a seguir que se amanhe com o resto! :):)

(É muito bem feita aquele triângulo de céu branquelas! Se não tivesses andado a roubar pedaços de céu para deitar à água, na fotografia anterior, nada disto tinha acontecido! Lá diz o ditado: Cá se fazem, cá se pagam!)

Luísa disse...

Um beijo para quem oferece entrada!
;-)

Maria Manuela disse...

Bom... fico eu então com o passadiço cinzento e o bocadinho de céu branco... É branco mas sempre é céu...
E aproveito o cinzento para passar e abrir as portas para o palheiro arejar...
Gostei, João. Este azul anilado realmente prende o olhar!
Beijinho e um bom sábado.:)

João Menéres disse...

L. REIS

Não sabes, claro que não sabes, que só levando as portas, a janela, o azul e o verde com laivos de laranja, a casinhota não se aganta por falta de alicerces ?
Toda a construção, por precária e simplória que seja, PRECISA DE UNS ALICERCES ?
Julgas que construir é tão simples como fotografar ou poemar ?
E como para bom entendedor meia palavra basta, mais não te digo...

Deixo-te o BEIJO naquele triângulo que desprezaste miseravelmente.
Ainda quero saber como vais fazer para o ir buscar ao céu, sua pecadora venial..

João Menéres disse...

LUÍSA

Cá por mim, a porta ficava sempre aberta !

Um beijo amigo.

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

Depois de uma manhã de sábado quase toda a preguiçar ( era preciso ), cá estou.

O passadiço oferece a necessária segurança para abrir várias portas e daí alcançares o céu que lá por ser branco aqui, não quer dizer que não seja bem azul mais acima.
Deixa todas as portas e janelas bem abertas para que a humidade não acumule.
Sempre pensei que este palheiro motivasse mais comentários...

Esta trilogia cromática afinal não prendeu muitos olhares.
Há sempre incertezas na blogosfera, Maria Manuela...

Um beijo muito agradecido e amigo.

Rasuras do Aparo disse...

... ora aqui está um palheiro cheio de ternura em toda a sua estrutura ... com passadiço em cinzento azulado como que nos impelindo para as suas portas uma de verde esperança (será a de entrada ? e nos vemos envolvido por um azul que nos aconchega enquanto espreitamos pela janela ainda acreditando que é possível (rolar com ela num palheiro ... pelo menos era o que cantava o Rui Veloso enquanto a outra já num tom que foi rubro de paixão já gasto de tanto uso no tempo ( será a de saída?!) ... nos deixa antever cá fora um tempo cinzento que nos impele a voltar para dentro ...
No que me diz respeito ficaria com tudo na integra ...

João Menéres disse...

RASURAS

Grande RASURAS ! :

Isso também eu teria gostado.
E mais não digo...

Um abraço amigo e bom Domingo.

ana disse...

João,
Para mim, que gosto de janelas e portas, um verdadeiro mimo.
Adoreiiiiiiiiiiiii.
Beijinhos.:))

João Menéres disse...

ANA

Olha que bom, então !...

Um beijo.

Agostinho disse...

As portas e janelas são feitas para entrar e sair seja lá o que ou quem for.
Neste caso há um pintar d'olhos de nariz ao meio a contrastar num pano de rosto do alçado para seduzir o fotógrafo, que não hesitou.
Parece, o céu foi excluído para não perturbar o conjugar das cores presentes. Ou terá sido por ele estar no recanto do interior?
Abraço.

Ana Freire disse...

Realmente... esta casinha de azul céu... é mesmo um mimo para quem olha...
Pena não se ver só mais um pedacinho da umbreira da porta da esquerda... o que elevaria um pouquinho a imagem, e a janela apareceria completa... mas parece-me que há por ali indícios de um elementozinho mais distractivo... cabos... fios... ou algo no género...
Beijinhos
Ana

Conceição Duarte disse...

Amo tudo isso e o tom de azul, me encanta!

João Menéres disse...

DIA 26, RESPONDEREI. PODE SER ?