.

sexta-feira, 22 de abril de 2016

GAIVOTAS

© João Menéres

POR ERRO MEU, APAGUEI 4 COMENTÁRIOS !

LAMENTO IMENSO !!!


GAIVOTAS EM TERRA,
TEMPORAL NO MAR.

20 comentários:

João Menéres disse...

TINHA LIDO OS COMENTÁRIOS DA BEA, DO REMUS...

Maria Manuela disse...

Que saudades, João, deste seu género de fotografias !
Uma volta por tanta diversidade maravilhosa e hoje... esta surpresa... um retorno às gaivotas e faróis do Porto seu...
Gaivotas em terra !
Não enfileiradas na areia da praia, base movediça, olhando as ondas de longe... mas sim, em terra firme, construído o molhe pelo homem e sob a protecção de um fAROL... sábias que elas são !...
Por uma ou outra razão confiam e ali esperam que o tempo mude e brilhe o sol...
Gostei muito desta imagem.
Beijinhos e um excelente fim de semana.:))

Presépio no Canal disse...

Gosto da combinação do movimento conferido pelas diversas posições das gaivotas com a geometria do local. Bela foto, João. As usual. :-)
Beijinho!!

João Menéres disse...

BEA

Tinhas dissertado sobre as gaivotas nos areais quando o sol se prepara para desaparecer.
Na Praia da Rocha, com aquele extenso e belo largo areal, elas ocupam uma enorme área e só voam já com o dia bem nascido e com os primeiros veraneantes a chegar de manhã.
Como saio da praia bem mais cedo e regresso no dia seguinte já o sol vai bem alto, embora as veja da minha varanda, nunca as fotografei.
Pode ser que aconteça este ano...

Um beijo muito grato.

João Menéres disse...

REMUS

Ainda não tinha almoçado e estava com pressa.
Daí a precipitação de ter clicado no REMOVER ( a pensar unicamente na imagem ! ) e tudo ter desaparecido.
Creio que exagerei no CONTRASTE, não acha ?

Eu segui a sua contagem e já ia nas 34 quando tive mesmo que ir almoçar.

Grande abraço.

João Menéres disse...

HAVIA MAIS DOIS COMENTÁRIOS DE DUAS COMENTADORAS QUE NÃO TIVE OPORTUNIDADE DE LER...
QUE DESGOSTO !


João Menéres disse...

MARIA MANUELA

Mais uma vez um magnífico texto sobre uma minha imagem !
Tenho pena que uma gaivota tenha teimado em ficar sobreposta ao farol...mas eu não queria arriscar perder a isolada !...
Três ainda a voar e a escolher o seu descanso e uma que já tem a cama aberta...Vai ficar lá no extremo a fazer pendant com a primeira !
Por trás do molhe vê-se uma enorme vaga que irá galgar o paredão na vã tentativa de refrescar as gaivotas. Mas elas não foram na conversa ( nem eu ! ) e a tempo e horas esvoaçaram.

Um beijo amigo e MUITO OBRIGADO.

João Menéres disse...

SANDRA

A enorme vaga que refiro está entre a 1ª e a 2ª gaivota.
Tudo vai ser alagado pelo mar, aliás como se pode constatar no pavimento do molhe.

Obrigado pelo teu comentário ( sempre tão delicada és ! ).

Um beijo muito amigo.

ana disse...

Gosto muito. Não consigo perceber a que hora do dia foi tirada. Ao entardecer?

Beijinho. :))

João Menéres disse...

ANA

Sim, foi ao fim da tarde.

Um beijo e obrigado.

Isabel disse...

Muito gira!
Parece uma fotografia antiga. É?...

Um beijinho e um bom fim-de-semana:)

João Menéres disse...

ISABEL

Um tanto...

Obrigado e um beijo com votos de muito sol.

myra disse...

muito muito muito lindissssssssssssssima!
sabe meu blog esta maluco, so quer vir em ebraico!!!!! nao sei como fazer para ele voltar ao normal!!!!!
beijao

João Menéres disse...

MYRA

Obrigado pelo teu querido comentário.

O PAROLE chega cá igual a sempre, Myra !

Um beijOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO.

Luísa disse...

Foto fantástica!
Bjnhs

João Menéres disse...

LUÍSA

Muito obrigado, mas ficou melhor depois de umas dicas !

Um beijo grato.

Agostinho disse...

Estarão para a AG do BPI?
Muito bonita fotografia pela perspectiva, profundidade e com um efeito pátina a conferir-lhe distinção.

Abraço

Ana Freire disse...

Uma imagem, com uma doçura muito especial... e com um enquadramento fantástico...
E concordo com a Isabel... faz lembrar aquelas fotos antigas...
Mas está linda... apanhando a pose elegante das gaivotas...
Beijinhos
Ana

João Menéres disse...

AGOSTINHO

Se calhar foram para lá mesmo...

O efeito foi mínimo. Apenas uma ligeira correção.
Há sempre a possibilidade de fotografarmos uma mesma coisa de mil e uma maneiras,
É como se tratasse de bacalhau.
LOL

Grande abraço.

João Menéres disse...

ANA FREIRE

Espero que nunca venhas a apanhar com a metralha de uma gaivota !
Não se pode invadir aquilo que elas consideram o seu terreno.
Já fui vítima de um ataque traiçoeiro ( pelas costas ) das unhas de uma que me ia atirando por uma arriba abaixo e me fez ir logo a uma farmácia dado o sangue que me fez na cabeça.
E, noutra ocasião, em Matosinhos, fui metralhado ( isto é, fiquei todo cagado ! ).
Mas que são elegantes, lá isso são.

Um beijo amigo, querida Ana e obrigado por estas visitas !