.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

DE DEGRAU EM DEGRAU

© João Menéres



Não me digas adeus, 
ó sombra amiga, 
abranda mais o ritmo dos teus passos; 
sente o perfume da paixão antiga dos nossos bons e cândidos abraços !
 Não vás ainda embora, ó sombra amiga !

( Florbela Espanca )

29 comentários:

Presépio no Canal disse...

Mas que linda sombra! Ah, olhos atentos! Nada te escapa! :-)
Goed zo, como se diz por aqui!
Beijo amigo.

João Menéres disse...

SANDRA

Obrigado por teres gostado, querida amiga !
Goed zo será algo como coisa divertida, dado que desce degrau a degrau ?


Um beijo grande.

Isabel disse...

Conseguiu uma foto muito interessante, com este efeito da sombra.
E a poesia completa o post, na perfeição!

Um beijinho e continuação de um bom dia:)

João Menéres disse...

ISABEL

Tento variar o que coloco no grifo...
Flobela Espanca dá uma ajuda fundamental( sempre ).

Um beijo grato.

Eduardo P.L. disse...

Sombras, escadas e fotógrafos andam sempre a procura um do outro.

João Menéres disse...

EDUARDO

A sombra é porque já luz, fundamental para haver fotografia.

Jorge Pinheiro disse...

Perfeito jogo de sombras.

Ana Freire disse...

De degrau em degrau, adorei apreciar esta filigrana de sombras, tão bem harmonizada com as palavras de ouro de Sophia...
Espectacular efeito obtido, João!
Beijinhos! Espreitando o que andei perdendo por aqui, por estes dias...
Ana

João Menéres disse...

JORGE

Penso que ficou engraçada...

ana disse...

João,
Uma sombra divinal, desce as escadas. :))
Que efeito magnífico. É bom trazer-nos o sol pois estou farta desta chuva.
Beijinhos. :))

João Menéres disse...

ANA FREIRE

Estas estavam previstas para o Flinpo mas optei por outra e foi um insucesso, embora me parecesse mais original.
Paciência.
Ficará para outra vez se assim o entender quem vota.

Obrigado pelas visitas ( estarei atento se houver comentários ).

Um beijo muito amigo.

João Menéres disse...

ANA

Por favor vê o que escrevi à ANA FREIRE.

Um beijo e muito obrigado.

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Na realidade tudo tem um fim e até a sombra se vai.... mas... vai voltar!
Bonito o efeito ilusório que transmite!
Abraço

bea disse...

Boa foto. A fazer pendant com o poema de Florbela cujo também fica bem em qualquer lado e não é de época. A poesia tem a benesse da intemporalidade.

Remus disse...

Nunca escondi a minha panca/paranóia/gosto especial por fotografia de grafismos. Quem me segue, sabe muito bem que ADORO esse tipo de fotografias. E esta fotografia enche-me completamente as medidas. Possui um enquadramento arrojado e o preto e branco assentou que nem uma luva.
Muito bem! Muito bem!

João Menéres disse...

RUI PIRES

Agradeço o seu muito pertinente comentário, próprio de quem sabe ver e... ler !

Abraço amigo.

João Menéres disse...

BEA

Nem de época, nem tão pouco de situações.
Intemporal e universal.

Agradeço a tua visita e o comentário.

Um beijo a permanecer.

João Menéres disse...

REMUS

Já estou a ver que cometi um GRANDE ERRO ao ter colocado esta de lado e ter optado por outra.
Achei que a outraera mais original, só isso.
Muito obrigado pelas suas palavras que me deram o conforto necessário nestes dias tão desagradáveis.

Grande abraço.

Presépio no Canal disse...

"Goed zo" quer dizer Boa! ou Muito bem!

João Menéres disse...

SANDRA

Entendi.

Um beijo +

Maria Manuela disse...

Que sombra maravilhosa, JOÃO !
Tão rendilhada, a saltitar de degrau em degrau como quem dança !
Feliz hora de sol que tal proporcionou a quem... atento... espera ou não espera e sempre alcança !...
Tecnicamente perfeita ! Gostei imenso !

E é tão bom termos a sombra por perto...
Feliz também a escolha da intensa e fascinante FLORBELA !...

Beijinhos.:))

Agostinho disse...

O João Menéres vem aqui mostrar o peculiar poder demonstrativo da fotografia.
Se alguém sobe a determinado lugar é acompanhado pela sua sombra num movimento perfeitamente paralelo. Pelo menos se o primeiro for objecto da luz.
Da estação de S. Bento passou,(para dar continuidade a uma teoria?) para um escadório em ascensão. Aonde irá dar?
Abraço.

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

E se tivesse sido mais cedo o efeito seria ainda mais notório...
Pode ser que o venha a conseguir...
Mas, para quem tiver visto esta, não será novidade...

E terei que procurar outra poesia !...
Há uma ou outra sombra que coincide com a aresta que separa o patim do espelho e isso, no meu entender, dá mais interesse a quem tem tempo para apreciar ao pormenor.

Um beijo muito amigo e grato.

Luísa disse...

Escada sensual, rendilhada de negro, de organza ou seda, brocado!
Escada suave e bela, degrau a degrau, apreciada dessa tua janela onde registas o mundo e o guardas lente dentro...
Escada digna de Cinderela, de sapato de cristal, senhora que sobe apressada com echarpe amarela!
Escada eternizada pelo grifo, num pulo avançado de boa arte no engenho de fotografar!
Mil beijinhos, senhor das mil e uma belas imagesn

João Menéres disse...

AGOSTINHO

Como é uma escada sobe de um jardim fora do Porto e vai dar a uma entrada.
Era aquilo a que se chamava a porta de serviço...

Antigamente a três metros passava a Linha de Caminho de Ferro do Tâmega, hoje transformada em ciclovia.
Tenho saudades do fumaças, num e noutro sítio.

Um abraço agradecido.

João Menéres disse...

LUÍSA

Quase não me apanhavas...
Ia atrás da sombra para responder ao prezado amigo AGOSTINHO !

Muito agradeço o teor do teu texto maravilhoso feito comentário.
É uma autêntica pérola, Luísa !
Um beijo com mil agradecimentos.

graça Alves disse...

Florbela Espanca com ecos de Bocage!
Sombras com laivos de colcheias!
bjinho

João Menéres disse...

GRAÇA

É isso !
Tinha pensado nisso, mas não preferi não o dizer...

Desculpa o atraso, sim ?

Um beijo amigo e grato.

Rasuras do Aparo disse...

... entre degraus e sombras ... apoios de subida e descida desenhados a preceito foram passando os dias entre ditos e sorrisos ... de mãos dadas com a própria sombra ...