.

terça-feira, 19 de março de 2013

NO DIA DO PAI




MEU PAI

Neste Dia de S. José, em que se comemora o Dia do Pai,
                 lembro aqui o meu : Agostinho Pinto de Oliveira Menéres.

Nascido a 1 de Janeiro de 1898 e falecido a 16 de Setembro de 1977,

era filho de Agostinho da Fonseca Menéres e de Maria Carolina Pinto de Oliveira.

Meu Avô foi o 5º filho de meu Bisavô Clemente Menéres, nascido na Vila da Feira, em 19 de Novembro de 1843 e que com pouco mais de quinze anos foi para o Rio de Janeiro.

Como se pode ver, o meu Pai aqui nesta fotografia ainda não tinha 17 anos,

mas tinha já a postura que sempre conservou até ao momento em que Deus o chamou.

Óptimo pai, como devem ser os nossos pais, era rigoroso,

mas não severo, na disciplina em que fomos (quatro filhos) educados.

Conversador nato, era uma pessoa desejada e querida por todos.

*****
Este post foi editado aqui no GRIFO PLANANTE
em 19 de Março de 2009.
Daí para cá, muitos novos seguidores deram-me 
o prazer da sua amizade e, por isso,
achei que não seria impertinente
repetir esta postagem.

Há quatro atrás, entre os que comentaram, continuam
a fazê-lo com regularidade :

GEORGIA

EDUARDO P.L.
PAULINHA
JORGE PINHEIRO
L. REIS
e
o JORGE MONTEIRO
( a quem quero agradecer
publicamente a ajuda preciosa que me tem dado
sempre que algum problema me surge,
como foi o caso da recuperação desta fotografia, por exemplo. )


*****
COMENTÁRIOS QUE MERECEM UM POST :
 O que a LUÍSA VILAÇA escreveu ontem :

Eis um rio que passa e deixa a banhos lampreias saudáveis...daquelas com sabor a bordalesa e que pintam de vermelho as mesas senhoriais!
Tal natureza só pode inspirar poetas...
E, se é Alto Minho, mais inspirador é!


26 comentários:

myra disse...

recordar os pais, sim sempre...e vejo que era tao alinhado como voce!!!!!!!
muitos beijos meu querido Joao!

João Menéres disse...

MUITO MAIS !, Myra.


Um beijoooooooooooooooooo grato

Eduardo P.L. disse...

Passam se os anos e seu pai continua o mesmo. Formidável. Gens de família.

João Menéres disse...

EDUARDO

Graças ao blogue, graças a quem tanto me deu ânimo a criar o Grifo Planante : o meu caro e bom amigo
( incrivelmente ainda virtual ! ), Eduardo !

Um abraço grato.

Paula Canto disse...

João... acabo de ser lembrada por uma grande amiga desta data. Ha 31 anos perdi meu pai,todos os dias acordo pensando na falta que ele me faz. Sou a caçula e ainda faziamos aniversario juntos. Sua homenagem me emocionou. Um bom dia!

Isabel disse...

É uma fotografia interessante e parece de uma pessoa mais velha.
Havia um maior rigor na maneira de ser e estar, por isso as pessoas pareciam mais velhas.
Eu perdi o meu pai há quase sete anos. Passei a olhar a vida e a morte de outra forma.

Um beijinho e um bom dia

Remus disse...

Não tendo ainda 17 anos, era um jovem cheio de "boa pinta" e elegância.

Comparando aos dias de hoje, que jovem de 17 anos se vestiria assim com tanto estilo e elegância?
Em duas gerações o mundo mudou muito.

Feliz dia do Pai para o João Menéres, porque também é pai.

João Menéres disse...

PAULINHA

Pois estes quase 36 anos de ausência não conseguem diminuir as saudades. Sempre que vou ao jazigo, é como se estivesse a fazer a primeira visita após a sua partida.
Como disse hoje o Papa Francisco : " Não devemos ter medo da bondade nem da ternura ".
Os meus Pais sempre seguiram essa máxima.

Estou consigo, Paulinha.

Um beijo.




João Menéres disse...

ISABEL

Reparaste na assinatura ? Um rapaz de 17 anos !...

E já usava polainitos na época...

Também um beijo especial para ti.

João Menéres disse...

REMUS

Bom, Remus, também os tempos eram outros, não é verdade ?
Não havia TV, os carros na cidade contavam-se pelos dedos das mãos...Quando andei no Liceu D. Manuel II,
década de 40, só havia na Pç. Pedro Nunes um automóvel : era do professor de Inglês,
Dr. Maia Aroso !...

Pai e avô, meu caro amigo...

Um abraço agradecido.

Maria Manuela disse...

Emocionei-me, caro João!
Porque se refere a seu Pai com imensa saudade, ternura e orgulho de filho pelo tipo de educação transmitida...e isso faz eco em quem já perdeu o próprio...
E ainda, porque o quis dar a conhecer aos novos seguidores, nos quais me incluo...Muito grata pela atenção!

E é tão visível a linhagem!...nos traços faciais e olhar de bom observador, no bom gosto, postura e elegância,(que devidamente sabem adequar à época), na sensibilidde que emana...na personalidade forte,
bem atestada aos 17 anos, a caneta "de tinta permanente"...Se estivesse a sorrir,(raríssimo nestas fotografias dos antepassados...), o sorriso seria muito semelhante e aberto...tenho quase a certeza...
Uma expressão e postura de grande maturidade naquela idade, mesmo tendo em conta a época!
Um beijo com muito carinho.

Fatyly disse...

Fotos da época de uma época que te marcou pela positiva não fosse ele teu pai. Esteja onde estiver com toda a certeza que se orgulhará de ti.

Beijos por este dia do Pai!

Tété disse...

Felizes de nós que os pudemos conhecer e muito aprender com eles. O meu partiu há 18 anos e mesmo sem o ver considero-o muito presente na minha vida.
Já agora meu amigo, um grande beijinho para si neste dia que também é seu.

Norival R. Duarte disse...

Parabéns, João, pelo pai que tiveste e que te provoca belas recordações. Lembranças de bons pais são sempre maravilhosas.

E pelo que soube aqui nos comentários, parabéns pra você também!

E se quiser me cumprimentar também pelos meus dois filhos, fique à vontade, apesar de que o Dia dos Pais no Brasil cai sempre (Impressionante!) no segundo domingo de Agosto.

Grande abraço.

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

Estou tão sensibilizado com tudo que deixaste expresso que, com toda a franqueza, não sei como te agradecer.
Apenas me limito a dizer MUITO OBRIGADO .

Um beijo amigo.

João Menéres disse...

FATYLY

Tive uma tarde muito preenchida a fazer um C.V. para uma cerimónia que terá lugar na 6ª feira à noite e ao jantar ( prolongado ) seguiu-se uma conversa na sala com os filhos e noras.
Por isso tudo, só agora pude vir fazer os agradecimentos a quem tão generosamente entendeu deixar uma palavra amiga.


Um beijo grato.

João Menéres disse...

TÉTÉ

Sabes, começo a pensar que a minha hora está mais próxima...
Em miúdo, "sentia" que partia aos 21 anos...
Sabe-se lá a razão !
Sei que não passei esses doze meses angustiado,
Quando fiz 22 anos, respirei fundo, isso é verdade.
Entretanto já passei por situações em que me poderia ter despedido desta vida...
Mas Deus é que sabe, não é verdade ?
Por isso, procuro estar sempre muito activo e ter sempre projectos para o futuro próximo.

Um beijo e muito obrigado.

Luísa disse...

Beijoooooooooooo de dia do pai, já pelo adiantar da hora, vem fora de prazo, mas ainda com muita validade!
Gostei muito da expressão: "óptimo pai, como devem ser os nossos pais".
Mil beijinhos

Anónimo disse...

... avós ... pais ... são geralmente as fundações do edifício que nós somos ... assim como o seremos para os vindouros ... a sua falta permanente sentida é o reflexo de quão marcantes conseguiram ser ...
T

João Menéres disse...

NORIVAL

Claro que o felicito como pai de dois filhos e
desejo que lhe dêem muitas alegrias !
Naquela altura, quando eu tinha menos de 10 anos
( era o filho mais caçula ) o meu Pai descansava na cama depois do almoço dos sábados e gostava muito que eu lhe fizesse companhia !
A minha Mãe, ou tinha coisas de casa para tratar, ou recebia amigas.
E eu acabava por adormecer ao lado do meu Pai até à hora do lanche !...

Em Portugal, comemora-se neste dia por ser o Dia de S. José.

Um abraço e muito obrigado por ter deixado tão amável comentário.

Anónimo disse...

Pois agora lembrei que em Portugal o dia de São José é também dia dos pais; faz sentido.
Bonita tua homenagem João. Emociona, muito.

Não vou escrever mais porque me é difícil. Ainda é.
Há 46 anos a morte, essa ingrata, levou meu jovem pai.
E eu ainda não a perdoei.

Beijo querido.
Li Ferreira Nhan

João Menéres disse...

LI

Querida amiga, como te entendo !...


Um beijo.

ana disse...

Um pai muito bonito. Gostei da sua pose e parece-me que o filho saiu ao pai. Será?
Beijinho e parabéns pelo pai que teve. :))

João Menéres disse...

ANA

Não, não...
O meu Pai era muito mais distinto !
Agradeço-te muito.


Um beijo.

L.Reis disse...

A tua última frase fez-me pensar na "fortuna" que herdaste...e esse é o melhor dos tributos...

João Menéres disse...

L. REIS

Tinha sempre assunto para as diversas idades e diferentes pessoas !
Agora, constato, que me é difícil falar com os netos : se for de Geografia, interessa a uns, a História interessa a outros.
Na criatividade fotográfica "agarro" a mais velha.
Mas aquelas CONVERSAS de há 65 ou 70 anos atrás, não interessam a nenhum. Só ao meu filho mais velho.
esse quer saber tudo !!!

Um beijo e obrigado.