.

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

EM NOME DA TUA AUSÊNCIA

© João Menéres





EM NOME DA TUA AUSÊNCIA
CONSTRUÍ COM LOUCURA UMA GRANDE CASA BRANCA
E AO LONGO DAS PAREDES TE CHOREI

( Sophia de Mello Breyner Andresen, in Orpheu e Eurydice )

43 comentários:

Ana Bailune disse...

E as paredes, lavadas de lágrimas, ficaram ainda mais brancas. Lindo demais!

Luísa disse...

Tão verde se apresenta o prado, que cálida e mansa o olha a casa!
Palavras para quê?

Mil beijinhos, com neve de Fafe e frio da serra da Lameira!

expressodalinha disse...

Muito linda esta herdade alentejana.

Li Ferreira Nhan disse...

A cada dia uma surpresa!
Uma maravilha!
Cores, composição, linhas, a luz! Ufa!
Obrigada querido!
Beijos

Anónimo disse...

... então o azul se instalou ao redor do branco das paredes e no próprio céu ... esperando que o verde do montado fosse o reflexo do regresso de quem tanto ansiava...
T

Mena G disse...

Que bonita!!!

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Esta foto esta muito bem conseguida. Parece-nos abrir o olhar com esse imenso verde até à casa!
Abraço!

Carlos Romao disse...

Belíssima fotografia (outra coisa não seria de esperar).
Peço desculpa, mas percebi aquela do "Veneza", na Cidade Surpreendente.
Um abraço.

Remus disse...

Só pode ser Alentejo.
Aliás, é inconfundivelmente Alentejo primaveril.

Bela fotografia, desta imensidão de verde, coroada com cal e barro.

Isabel disse...

Linda a paisagem, que inspira tranquilidade,vontade de não fazer nada.
A frase é bela, também.
Um beijinho

Maria Manuela disse...

Duas cores LINDAS da natureza abraçam a casa branca de Sophia))), onde mora a ausência e a luz!...

Excelente foto!
Grata pela imensa beleza e tranquilidade transmitidas!

Um beijo

Carlos Romao disse...

Queria dizer "não percebi".

Anónimo disse...


Um olhar bonito e relaxante
Sublime



Cris Samagaio

Cristina Ferreira disse...

Muito bonita e tranquila esta imagem.

Beijos

ana disse...

Muito bonito o poema de Sophia de Mello Breyner e liga tão bem com o Monte alentejano.
Gostei muito da paisagem fotográfica.
Beijinho. :)

gb disse...

Uma bela fotografia construída sobre as palavras sempre firmes e fortes, como pilares, de Sophia Andresen.

Jane Gatti disse...

Eras bela

Eras bela como a pintura de Mantegna
Onde cada coisa mostra a nítida intenção
Do olhar soletrando a eternidade
Eras bela como a pintura de Mantegna
Decifrando a escrita da ressurreição
Sophia de Mello Breynner

Permita-me:
Eras bela como a fotografia de Menéres
Onde cada coisa mostra a nítida intenção
Do olhar soletrando a eternidade

Abraços.

Kaipiroska disse...

Tão perfeita e singela esta paisagem que parece uma pintura :)

myra disse...

seria bom eu morar ali!

Eduardo P.L disse...

Que foto maravilhosa!

João Menéres disse...

ANA BAILUNE

Quantas das nossas lágrimas nos dão um novo alento !

Um beijo.

João Menéres disse...

LUÍSA

Uma tranquila imagem.
De baixo a cima.


Um beijo.

João Menéres disse...

JORGE

Deviam ser e estar todas assim...

João Menéres disse...

LI

Agora, as surpresas, se surpresa fôr a palavra adequada, só dia sim, dia não, pois estou ( e vai durar ainda... ) a alternar com imagens de Macau.

Mas, entendo ( julgo eu ) o que queres dizer, querida amiga.
MUITO OBRIGADO.

Um beijo.

João Menéres disse...

> T <

Este seu comentário bem merecia um post !

Um grande abraço.

João Menéres disse...

MENA

És capaz de saber onde fica esta " lindura "...


Um beijo e obrigado.

João Menéres disse...

RUI PIRES

Tudo muito bem observado !
Não passou a correr por aqui.
Isso alegra-me muito !


Um abraço grato.

João Menéres disse...

CARLOS ROMÃO ( I e II )

Muito obrigado pelas palavras amigas.

Quanto ao resto, já conversámos via mail.

Um abraço.

João Menéres disse...

REMUS

Alentejo ?
- Sim, pois é, naturalmente.
A minha Amiga Ana Esquível publicou há anos um livro de Fotografia intitulado ESCRITO NA CAL, com poesias do Eugénio de Andrade.


Grande abraço e grato pelo comentário.

João Menéres disse...

ISABEL

Infelizmente anda gente a mais com as costas ao alto voluntariamente.
Outros, infelizmente, não arranjam trabalho !

Mas que apetece, apetece !


Um beijo e obrigado.

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

Obrigado pelo teu comentário, pois falas do essencial.

Um beijo.

João Menéres disse...

CRIS SAMAGAIO

O meu olhar é calmo por natureza e é isso que procuro transmitir 95 % das vezes.

Um beijo.

João Menéres disse...

CRISTINA FERREIRA

O que disse acima à CRIS, posso dizer-to igualmente.

Um beijo e obrigado.

João Menéres disse...

ANA

Desta vez, por falta de tempo, só por acaso encontrei algo que me pudesse ajudar para acompanhar a imagem !
Tenho andado a correr de um lado para o outro, e não consigo concentrar-me assim.

Um beijo muito grato.

João Menéres disse...

GB

Obrigado pela " construção " que conseguiste fazer.


Um beijo.

João Menéres disse...

JANE GATTI

O meu agradecimento ao teu COMENTÁRIO está em forma de
COMENTÁRIOS QUE MERECEM UM POST.


Um beijo muito grato.

João Menéres disse...

KAIPIROSKA

Como não concordar contigo ?

A Natureza, em qualquer circunstância, é do melhor do que eu conheço como pintura.


Um beijo e muito obrigado.

João Menéres disse...

MYRA

Não te aconselharia, pois está isolado de tudo e não é lugar muito seguro nos tempos que atravessamos.

Entendo que gostaste muito, não é verdade ?


Um beijooooooooooooooooooooooooooooo

João Menéres disse...

EDUARDO

Obrigado, mas foi sem querer ( como diz o Jorge )...
RsRsRs

Um abraço.

L.Reis disse...

Também quero uma casa assim... a navegar marés verdes ...

João Menéres disse...

L. REIS

A criativa das mágicas imagens quer uma casa a navegar em marés verdes !
Continuas, como sempre, também muito inspirada nas "legendas" !

Agora, é o verde...ai não é. É a casa que tem o AZUL !

Um beijo VERDE e AZUL.

Marco C. disse...

fantásticas cores e composição!! faz-me lembrar o meu alentejo

João Menéres disse...

MARCO

Obrigado pelo seu comentário.

O " seu " Alentejo não fica distante !

Grande abraço.