.

sábado, 26 de dezembro de 2009

ILHA DE SANTA MARIA

© João Menéres


A Arquitectura Popular do Arquipélago dos Açores é
das mais interessantes e curiosas.
E curioso não deixa de ser o facto de variar de ilha para ilha.
Aqui, um exemplo, na mais oriental delas:

A ILHA DE SANTA MARIA.

Oportunamente daremos outros exemplos.

Para quem se interessar pelo tema, sugerimos
a consulta da obra

ARQUITECTURA NOS AÇORES
(Subsídios para o seu estudo)
de Francisco Ernesto de Oliveira Martins.

46 comentários:

Gisela Rosa disse...

Lindíssima esta casa João!
Gosto do contraste. Do branco e do azul assentes nessa grama verde....


Um beijinho tudo de bom

Luísa disse...

Nesta arquitectura, há inspiração ribatejana...

Aquelas ilhas, senhor, são de uma beleza natural tão invulgar, que qualquer casa, casinha, sebe ou sebezinha, não consegue estragar.

Esta, parece um presépio contemporãneo...
Beijino natalicio

Eduardo P.L disse...

A influência arquitetônica que recebemos na colonização é patente!

Jorge C. Reis disse...

Não sou arquitecto, não sou açoreano (embora lá tenha vivido quase 5 anos) e nem sou algarvio, mas não concordo com o que a Luísa diz.
Há aqui uma influência nítida do Algarve logo nas cores e na chaminé. Aliás, as primeiras ilhas a serem povoadas foram as de Santa Maria e de S. Miguel, por intermédio de Gonçalo Velho Cabral, primeiro capitão-donatário, e mais tarde de João Soares de Albergaria, seu sobrinho e seu herdeiro, trazendo famílias do continente, sobretudo algarvias. Será que estou errado ?

angela disse...

Já vi que vou aprender muito com as fotos e com os comentários.
beijos

Voar sem Hasas disse...

João,

retomando opiniões sobre a arquitectura da ilha,,, considero que tem uma influencia muito alentejana... as cores, as barras, os telhados e até a chaminé...

Um beijo de boas festas para o joão e todos os que aqui vêem ...

Jorge C. Reis disse...

Ora aí está uma coisa engraçada: uma foto que gera discussão (no bom sentido, claro).
Eu também não ponho de parte a influência alentejana, até porque, segundo reza a história, entre os primeiros colonizadores também estavam alentejanos.
Mas o João Menéres vai certamente explicar.

João Menéres disse...

GISELA

Eu também fiquei verdadeiramente encantado e apaixonado !
Por certo que não foi construída de uma só vez.
Mas, a implantação dos diversos corpos é notável, tendo sido conseguido um equilíbrio arquitectónico fora do comum, sem descurar a exposição solar.


Um beijo, GI, e uma vez mais agradeço a tua presença aqui no Grifo.

João Menéres disse...

LUÍSA

Tens toda a razão, LUÍSA, este conjunto até parece pertencer a uma cascata sãojoanina !

Já quanto à inspiração ribatejana...não, não estou de acordo contigo.
Se tivesses falado em inspiração alentejana ou, preferencialmente, em inspiração algarvia, não teria razão para te contrariar...

Um beijo.

João Menéres disse...

EDUARDO

Estou de acordo consigo.
Mas esqueceu-se de referir que os portugueses de retorna-viagem trouxeram , sobretudo para o Norte de Porugal, um novo estilo de Arquitectura, que nós chamamos de "CASA BRASILEIRA".
Um tio-avô meu (que passava o Verão cá, viajava 30 dias num paquete para o Brasil, onde permanecia 6 meses, e viajava de novo para cá) cnstruiu na Vila da Feira, no lugar da Cruz um desses magníficos exemplares. No vasto terreno que a rodeava, implantous sucessivas "piscinas" que , por causa do declive do terreno, constituiam um conjunto de grande beleza. Até parecia obra da natureza!

Um abraço fraterno e, consequentemente, muito amigo.

João Menéres disse...

JORGE C. REIS

Tanto quanto sei, está perfeitamente correcto o que afirma.
Então, em Santa Maria, a zona do Barrocal algarvio é constantemente reavivado. Basta ver como o casario está disperso...
Quanto às cores azul e branca, na Praia da Rocha, mesmo ao lado da Discoteca Katedral, temos uma casa assim. Já a fotografei mas ainda não calhou de a postar.
E o perfil de muitas chaminés é idêntico ao das algarvias.
Outras, porém, as chamadas de "MÃOS POSTAS", a mim, fazem lembrar algumas antigas alentejanas.
Já agora: Não ignora que em São Miguel, o Infante D. Henrique mandou primeiro gado para que a subsistência dos futuros colonos estivesse desde logo assegurada, pois não?
E que a Graciosa teve como primeiros povoadores gente (famílias) da própria Ilha Terceira, bem como , da Beiras (aqui a LUÍSA teria alguma razão se a casa não fosse esta) e ainda da... Flandres?
Assim como, em S.Jorge, lá temos os flamengos.
E foi um flamengo (William van der Haagen) que, com outros patrícios e outras famílias originárias da Terceira e daqui do Continente, introduziu o queijo, depois de arrotear terras, distribuir gado e constituir pastagens.
E o queijo, cinco séculos passados, continua a ser a principal fonte de riqueza económica da Ilha de S.Jorge !
Por sua vez, na Ilha do Faial, há o Vale dos Flamengos ( para cá da Espalamaca). Eles deram um importante contributo para o povoamento desta ilha e doutras ( Além das de São Jorge e Graciosa, já referidas acima, estenderam-se pela do Pico, pela das Flores e, mesmo, pelo Corvo!
Se nos recordarmos que a Duquesa de Borgonha era irmã do Infante D. Henrique, já não estranharemos a presença dos flamengos e entenderemos como alguns factos não surgem do acaso.

Nunca imaginei que uma mera imagem me viesse a proporcionar semelhante evocação.

Um abraço (e espero tê-lo satisfeito).

João Menéres disse...

ANGELA

Então, cumpriu-se a sua expectativa?

Um beijo.

João Menéres disse...

BAL

O teu apontamento sobre as barras, foi pormenor que não abordei anteriormente, mas perfeitamente oportuno.
Tanto nas casas alentejanas como em várias algarvias.
Na que referi (junto à Katedral) ou em Luz de Tavira (esta já postada há tempos aqui no grifo).


Obrigado a ti também por essa achega.

Um beijo.

João Menéres disse...

JORGE C. REIS

Embora conheça as 9 ilhas, não vivi nos Açores e muito menos lá estive os anos todos que lá permaneceu. Por isso, é natural que saiba sobre o arquipélago muitíssimo mais do que eu que nem tão pouco tenho memória de factos relacionados com a História.
Os meus entretenimentos pouco passaram por factos que os homens vão relatando ou contando com variantes interpretativas por vezes comandadas por outros interesses ou conveniências...

Com um abraço agradecido por ter contribuído para uns instantes por mim inesperados.

Luísa disse...

Por quem sois, SENHORES!
Não me revejo em discussões arquitetonicas...
pois se os vossos olhos veem influencias algarvias (sobretudo), alentejanas, quando muito, concordarei com o vosso olhar.Permiteis uma influenciazinha ribatejana? tenho lá tantos amigos...e um deles geminou, lá, a casa do avõ de Salvaterra de Magos.
Estarei perdoada aos olhos de tanta sabedoria?
Beijinhos natalicios!

João Menéres disse...

LUÍSA

Claro!!!
(Repara no minuto em que dei a última resposta ao JORGE C. REIS. É o mesmo deste teu último comentário!).
Compreendo, e é óbvio que ninguém te vai desmentir.
Mas, também é certo, que uma andorinha não faz a Primavera...


Um beijo e obrigado por teres vindo aqui de novo.

Jorge C. Reis disse...

João

Bem me parecia que eu não estaria muito longe da "verdade". Realmente a influência algarvia é bastante marcada nos Açores, especialmente no grupo oriental (S. Miguel e Santa Maria). Mesmo em S. Miguel há retalhos algarvios nítidos (Lagoa, Algarvia do Nordeste, p/exemplo).

A beleza do arquipélago não está somente na natureza mas também na manta de retalhos cultural que lá existe.

A quantidade de pronúncias diferentes que há num pequeno espaço de terra é o paraíso dos linguistas.

E o número de doenças ou malformações genéticas, devidas a cruzamentos consanguíneos muito próximos, que por lá vi, é fonte de ensinamentos para os novos médicos que como eu lá foram parar.

Calculem que há até uma doença que é em todo o mundo conhecida pela "doença dos Machados", que foi descoberta nos EUA em famílias de açorianos emigrados.

Depois vêm as lendas que a história não comprova. Por exemplo:
Dizem por lá que os filhos de Luís XVI e Maria Antonieta não foram guilhotinados e fugiram para S. Miguel, refugiando-se a noroeste da ilha na zona que hoje é conhecida como a Bertanha.
Verdade ou mentira, o que é facto é lá se constata uma predominância de louros de olhos azuis, de famílias de apelido Capeto e onde o "IU" na pronúncia é muito mais acentuado.

Mais uma pequena história que o comentário vai longo: um dia recebi uma revista da minha especialidade onde havia um estudo francês que colocava o departamento da Bertanha como líder em prevalência da luxação congénita da anca. Fui ver o meu ficheiro e as que tinha visto e tratado eram todas da Bertanha de S. Miguel.

A todos os que não conhecem os Açores deixo o conselho: vão lá porque vale a pena e... aquilo é Portugal.

Abraço

João Menéres disse...

JORGE C. REIS

Muito obrigado por mais esta importante achega, para mim completa novidade.

Um abraço.

Lina Faria disse...

Uau!que discussão calorosa.

Aqui no Brasil, pouco se preservou da tão bela arquitetura colonial portuguesa.
Em Florianópolis há belos exemplares dela, já que a colonização de lá foi açoriana.

João, fiquei encantada e quero conhecer as ilhas todas.
Não conheço o sul da Europa e, creia, Portugal está na mira de minha próxima viagem além mar.
Beijos, João!

João Menéres disse...

LINA FARIA

Podes crer, as ilhas açoreanas, em termos paisagísticos, são uma maravilha!
E todas diferentes.
Hesito qual seja a mais a minha preferida!
E de uma tranquilidade maravilhosa, o que não é desprezível.
Um mês destinado às 9 ilhas não é exagerado, embora para o do Corvo um dia baste. A média de 3 ou 4 dias para qualquer das outras é o indicado.
Tudo sem pressa. E tens património para apreciar.
Hábitos e costumes. E a gente açoreana para fotografar.

Um beijo.

myra disse...

como sempre querido Joao, tuas fotos sao lindas.
Dominique e Cia, estao aqui e eu feliz com eles!!!
beijosssssssssss

ruimnm disse...

Infelizmente, já não vou a tempo de desejar um Bom Natal, mas desejo um excelente e promissor Novo Ano 2010!

Silenciosamente ouvindo... disse...

Mais uma vez "encantou"com as suas
fotos.Parabéns./Irene

tonhOliveira disse...



Ah!rquitetura pura!
Como sois bela,
parede, porta, janela!
E o homem dentro dela!

Concordo com o Eduardo e com João,
quanto as influências, ben vindas e saudáveis.

Abraços!

João Menéres disse...

MYRA

Obrigado pelas palavras sempre tão delicadas.

Como já terás tido oportunidade de ver, a minha paixão pela fotografia é muito abrangente.
Daí poder mostrar múltiplos géneros de imagens, desde a Fotografia que exige muita técnica a todo o outro estilo, incluindo a aérea.
O essencial, como tu e a Dominique bem sabem, é ter-se o academismo bem metido na cabeça, pois, a partir daí, a sensibilidade de cada um abre as portas que dão acesso ao sonho.
Muitas das imagens que o GRIFO PLANANTE aqui apresenta são documentais (caso desta da Ilha de Santa Maria), que não dispensam, no entanto, todo o cuidado na sua execução.

Desejo tudo de MUITO BOM para ti (e família) neste novo ano que já espreita:

Um beijo.

João Menéres disse...

RUIMNM

Muito obrigado. Não se preocupe com o andar dos dias.
O importante é a sinceridade das palavras. E dessa não duvido.

Também espero que o 2010 seja mais um ano durante o qual possa continuar a dar todo o mérito ao seu brilhante trabalho.

Com um abraço amigo.

João Menéres disse...

SILENCIOSAMENTE...

Muito te agradeço os comentários sempre tão amáveis.

Um beijo.

João Menéres disse...

TONHO

O Homem é um ser permeável a todas as influências.
O importante é que saiba, a tempo e horas, distinguir o trigo do joio, não é verdade?

Um abraço bem forte.

REGINA GOULART SANTOS disse...

João, que sonho de paisagem que transmite muita paz, e belíssima arquitetura.

Estou passando para lhe desejar um 2010 de muita paz, alegrias, e grandes realizações.

Boas entradas.

Beijos

João Menéres disse...

REGINA GOULART SANTOS

Como agradecer tanta simpatia?

Talvez com o desejo que saias bem deste ímpar ano e entres em 2010 pronta para enfrentar e vencer todos os obstáculos com que te deparares.

Um beijo.

Tinta Azul disse...

João,
Um grande beijo e um excelente 2010.
[gosto de azul e de branco e das tuas fotorafias]

João Menéres disse...

LUA AXUL

Eu também gosto do azul e também do branco!
E bem sabes quanto admiro as tuas imagens!!!
Rara apostagem que faças que não tenha comentário meu...

Bom 2010 !

Um beijo.

Sonia Schmorantz disse...

Maravilhosa esta imagem!!! Mas tens razão, o cabeçalho da minha página é novo, aliás vivo mudando, rssss...eu gosto de dividir as imagens que consigo por aí, e ali sempre terão destaque!
Um abraço, ótima semana de preparação para o novo ano

mario nelson disse...

com coments destes não preciso de enciclopedia...
cada vez mais e como estamos sempre a aprender...
aqui esta um bom exemplo a seguir.....blogosfera.
talvez esta semana apareça algures um novo blog.

abraço
mario nelson

Dylan disse...

Os Açores são uma fonte inesgotável de belas fotos.

Boas Festas!

João Menéres disse...

SONIA

A imagem está muito bem realizada e, na verdade, fizeste bem em destacá-la para o cabeçalho por uns tempos.
Além disso, serve de ponte para o 2010 !

Ano durante o qual nos continuarás a fazer crescer água na boca com as imagens do vento a chegar à tua ilha.

Bom ano!

Um beijo.

João Menéres disse...

MÁRIO NELSON

Esperarei a SUL, então...

Bom ano.

Um abraço.

João Menéres disse...

DYLAN

Confirmo em absoluto a sua opinião.

Bom fim de ano e boas entradas no novo!

Um abraço.

Conceição Duarte disse...

João querido!
Eu amo esse tipo de arquitetura e essas cores clássicas enfeitam tantas cidades...
Obrigada pelo desejo de boas festas e ainda em tempo, desejo a você e sua família, mil felicidades para o ano de 2010 e muitas alegrias e que eu tenha na vida muitos amigos queridos como você tem sido para mim desde o início daqui...
Beijo e beijo, CON

João Menéres disse...

CON

Quem está grato sou eu, bem sabes!
Que o ORLANDO recupere totalmente e que sejam muito felizes neste mais um ano.

Um beijo grande, tão grande quanto a estima que por ti tenho.

ellen disse...

Falta-me visitar esta ilha e a de S. Miguel. Não descanso enquanto não voltar aos Açores :)

Beijinho

João Menéres disse...

ELLEN

A Baía de S.Lourenço , em Santa Maria é imperdível.

S. Miguel tem muito para nos deliciar!

Um beijo.

Anónimo disse...

Olá
Sou natural da ilha de Santa Maria e gostaria de acrescentar algo mais ao "já dito" sobre Santa Maria.Em relação a origem da arquitectura da casa mariense. As chaminés ou são redondas,típicas do Algarve mas menos rendilhadas ou então são as de"mãos postas" tipicamente alentejanas.As barras das casas azuis,sabem porquê? Todas as freguesias da ilha tem as suas cores.Santa Barbara azul porque era utilizado o anil,Sto Espírito verde porque era a maior freguesia rural e tem muitas pastagens verdes,Almagreira,cor vermelha,porque o almagre misturava na cal,São Pedro,cor amarela/dourada,porque é a zona de grandes casas senhoriais e onde iam passar ferias da Pascoa e finalmente Vila do Porto a cor predominante é o cinzento devido a existência de pedra de cantaria cinzenta.A cor predominante das casas é o branco e vale a pena visitar a ilha porque além de S.Lourenço outros locais há que merecem ser visitados
Abraço José

João Menéres disse...

JOSÉ

Muito obrigado pela explicação das cores utilizadas nas casas das diferentes freguesias, facto que ignorava em absoluto.
A isto chamo de preciosa colaboração e o GRIFO PLANANTE agradece sinceramente o enriquecimento que amigos assim a todos proporcionam.
Quanto às chaminés de MÃOS POSTAS, já as tinha referido no meu comentário-agradecimento ao JORGE C. REIS, no dia 27, às 00:40h, tendo feito a analogia com algumas alentejanas.

Renovo o meu muito obrigado e desejo um FELIZ ANO NOVO.

Um abraço.

Jorge C. Reis disse...

Ora aí está. Mais uma achega para enriquecer os nossos conhecimentos. Obrigado José.

Nos quase 5 anos que vivi nos Açores só duas vezes fui a S. Maria, uma em trabalho e outra porque ali fui obrigado a aterrar visto que S.Miguel estava fechado devido ao mau tempo. E nem me quero lembrar desse episódio que foi o maior susto da minha vida em aviões. eheh O temporal era tal que o piloto só conseguiu aterrar à quarta vez... mesmo naquela pista que nunca mais acaba eheheh

Mas também acho que é local que vale a pena visitar e é pena que os roteiros turísticos dos Açores a contemplem tão pouco.

João Menéres disse...

JORGE C.REIS

Eu aprendo sempre, mesmo quando penso que não...