.

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

O AZULEJO EM PORTUGAL

© João Menéres
>A discussão de Santa Catarina anunciada por um anjo<.
Um dos paineis da fachada lateral da Capela das Almas (Porto).

Os azulejos das fachadas, principal e lateral, são de autoria de
Eduardo Leite e foram totalmente terminados em 1929.
Iniciamos hoje um novo tema : O Azulejo em Portugal.
É um dos patrimónios artísticos mais importantes e muito 
apreciados por quem nos visita.


"O azulejo é utilizado normalmente como revestimento parietal, ainda que
  também o tenha sido noutras situações como, por exemplo, em pavimentos, 
tectos, degraus, fontes, bancos e canteiros de jardim.
Considera-se que o azulejo foi introduzido em Portugal desde meados do séc. XV, importado dos centros de fabricação hispano-mouriscos de Valência, Sevilha e Marrocos.
Implantado progressivamente no gosto popular, só alcança a
escala monumental no decurso do séc. XVII."
(Rafael Calado, in AZULEJOS - Cinco Séculos do Azulejo em Portugal)

8 comentários:

Eduardo P.L disse...

Grande ARTE essa da pintura nos aljulejos! E os Portugueses foram mestres!

João Menéres disse...

EDUARDO

Adoro esta sua caricatura.
Já lhe estava para dizer mais cedo...

disse...

Desde menina uma paixão...A fazenda de café no interior de São Paulo onde passei minha infância era quase um museu de azulejos portuguêses,foram garimpados um a um por minha mãe que os colecionava e com elês fazia mosáicos no jardim à volta das jabuticabeiras....arte pura!

João Menéres disse...

VI

É minha intenção, ao longo do ano, ir postando paineis de azulejos.
Os temas são variados e, ao longo destes cerca de quinhentos anos, foram surgindo, naturalmente, estilos diferentes. Não sei se constitui uma evolução. Pelo menos, fazem parte da História do Azulejo.

Um beijo.

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

João!Os azulejos portugueses são famosos,quem tem a sorte de os ter em suas paredes nem precisa de adornos.

Linda imagem!!!

Beijo,Sonia Regina.

João Menéres disse...

SONIA

Infelizmente a falta de civismo, é a culpada por tanto vandalismo praticado, nas recentes décadas, em paineis azulejados que revestem exteriores a que o povo tem acesso.
Como se borram paredes particulares com pretensos grafittis, é à fisgada que se acerta nos azulejos com pedras. Quando não é mesmo à mão...

Grato pela visita.

erupção_do_ser disse...

Acho a ideia super interessante... uma outra forma de nos expressarmos na "arte", saiem de dentro para fora, entre jogos de luz e sombra, contrantes estilisticos, com tonalidades cromáticas que nunca mais acabam... podemos contar a nossa história através deles... estão por todo o país...dizem uma "arte pública", vamos todos acompanhá-lo nesta sua e nossa viagem.

João Menéres disse...

ERUPÇÃO DO SER

Ainda bem que terei mais uma pessoa atenta.
Procurarei não desiludir com a minha recolha e com aquilo que será o meu critério editorial.
Grato pela visita.