.

quinta-feira, 15 de março de 2018

METÁFORA

© João Menéres


Palavra que fica. e fica um lugar. um sítio de rastros,
um sítio deserto. um ar a pavor. sandálias na boca.
um resto de sítios atados nos ossos. é um coração?
fica sobre a terra o espaço das mãos. mas entre o
seguinte: entre ossos e chão.

( António Franco Alexandre ( 1944~), in Sem Palavras nem Coisas )






18 comentários:

Os olhares da Gracinha! disse...

Um belo listrado em tons que aprecio numa interessante partilha!bj

João Menéres disse...

GRACINHA

E foi no Aeroparque Jorge Newbery, antes de voar para São Paulo.
Até ao lavar dos cestos é vindima !

( Mas ainda vou continuar com Buenos Aires... )

Um beijo amigo.

APS disse...

Poeta discreto, denso, nem sempre fácil. Este final do poema "Coito", que epigrafou, deixa-me, no entanto, algumas dúvidas, que a sua bela fotografia, na sua linearidade, não chegou para me esclarecer inteiramente.
Votos de uma boa noite!

João Menéres disse...

APS

O Prof. Oscar Lopes admirava muito o A.F. A. e eu encontrei esta peça e achei que talvez pudesse uni-la à imagem.
Fala de lugar, de rastros, de um sítio deserto.
Até de sítios atados nos ossos...
E de ficar entre ossos e chão.

Penso que considerando onde me deparei com esta textura podia haver um elo de ligação.

Um abraço grato pela atenção que lhe mereceu.

Pedro Coimbra disse...

Aquele abraço, bfds com listas azuis e brancas de preferência :))

João Menéres disse...

PEDRO COIMBRA

Agradeço e retribuo com as tranquilas listas de verde e branco.

© Piedade Araújo Sol disse...

o poema de António Franco Alexandre ficou bem aqui, pois tal as palavras tal a foto
uma metáfora!
beijinhos
:)

João Menéres disse...

PIEDADE

Gentileza a tua !
E dito por ti, que tens a Poesia na alma, para mim tem um sabor a doce.

Um beijo muito amigo agradecido.

bea disse...

Hummm...o Franco Alexandre...tão conhecido na faculdade pelas suas excentricidades (sendo o mesmo Franco Alexandre).

Remus disse...

É uma fotografia de grafismo que enche-me os olhos e a alma.
Eu gostei. Acho que ficou muito bem.

Maria Manuela disse...

Belíssimas diagonais !
Plenas de energia e dinamismo com trajectórias bem definidas e decisivas... e coloridas de vida...
Bela fotografia a equilibrar o sabor amargo de A.F.A.
Beijinhos.:)

João Menéres disse...

BEA

É o mesmo !



Um beijo amigo.

João Menéres disse...

REMUS

Então...FICO AINDA MAIS CONTENTE !

Um abraço grato.

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

Como já disse acima, depois de andar quilómetros carregado com a Canon e respectiva objectiva o cansaço teve que ser vencido !
Tive sorte ( a tal estrelinha...), claro.

( Também hesitei com o A.F.A., diga-se. )


Um beijo amigo e obrigado.

L.Reis disse...

E que bela metáfora!! Esta é uma imagem que, como já deves ter adivinhado, me agrada sobremaneira. Até quase parece daquelas fotografias aéreas que descobrem padrões na Terra.
Gosto, portanto, deste" sítio deserto" onde o espaço é apenas a distância entre cores.

João Menéres disse...

L. REIS

O fim de semana foi muito preenchido e cansativo.
Só AGORA te encontrei AQUI...

Na verdade podia ser do YANN ARTHUS-BERTRAND...
Que bom teres entendido !
Noutras cores e seria Agrícola !...

BjKa

Isabel disse...

Não entendi a metáfora (culpa da minha ignorância), mas adorei a foto:)

Beijinhos:)

João Menéres disse...

ISABEL

Lê com atenção o poema do A.F. A.
Eu interpretei-o à minha maneira...

Um beijo amigo e muito grato.