.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

A LA NORONHA DA COSTA

© João Menéres




ACORDEI : A CLARIDADE
FEZ-SE MAIOR E MAIS FRIA
GRANDE, GRANDE ERA A CIDADE...
E NINGUÉM ME CONHECIA !

*

( Pedro Homem de Mello / Porto, 1904 * Porto, 1984 / Extraído dos
Manuscritos  Inéditos, Recolha e Edição de José Maria Lacerda e Megre )

30 comentários:

Presépio no Canal disse...

Parece mesmo uma pintura. Pensei mesmo que era um quadro, quando vi a entrada deste post na minha lista de leitura.
Beijinhos e Muitos Parabéns por esta magnífica fotografia!

João Menéres disse...

SANDRA

Se quiseres envio-te por e-mail a foto de um quadro que tenho pintado a acrílico do Noronha da Costa, intitulado A ONDA.
Esta imagem, por acaso, é bem anterior à aquisição desse quadro.
Nem sei mesmo se o pintor já estava incluído nos meus conhecimentos.
Muito obrigado por confirmares a sensação que tive quando encontrei este slide.

Um beijo, querida Sandra.

Ana Freire disse...

Uma imagem desconstruída... como as pinturas desse autor...
Não para ver de imediato o que é, mas para sentir o que seja...
Parece-me uma prova de veleiros... Será?...
Beijinhos, João!
Ana

Maria Manuela disse...

Sim, olha-se e vê-se uma pintura... é a 1ª impressão...
E mantém-se... não fora sabermos ser uma fotografia de João Menéres... com uma outra técnica.
Imagens indefinidas de algo a três dimensões... que se esfumam e distanciam... como se só de azuis se tratasse...

..."E ninguém me conhecia !" diz Pedro H. de Mello.
Uma bela Foto, João !
Beijinho.

Jorge Pinheiro disse...

As almas tem luz os watts é que variam.

Agostinho disse...

Uma fotografia que foi oportunidade de homenagear duas personalidades: o artista e o poeta.
Com uma fotografia próxima da pintura e um poema afiliado em espírito o
João Menéres encontrou um denominador comum - Arte.
Com alma "grande, grande era a cidade/e ninguém me conhecia" - a liberdade à solta sem constrangimentos circunstanciais.Que bom se sente o homem nesse estado de pureza inicial.
Parabéns.

Eduardo P.L. disse...

Ok, Ok, de alma eu não entendo...srsrs

Maria Gloria D'Amico disse...

Sim, parece uma pintura, mas com azuis tão belos, há mesmo que parar para apreciar.
Um beijinho João, boa noite!

Luísa disse...

Azul...intenso, preenchido e belo!
Azul de repouso.
Mil beijinhos

L.Reis disse...

Eu sabia que havia um mundo para além do mundo, de formas apenas pressentidas numa imensidão de silêncio azul.

O que eu não sabia era que isso podia ser fotografado...mas claro que pode, porque por aqui nem o onírico está fora do alcance da lente.

Rasuras do Aparo disse...

... e foi a claridade que me infligiu tal sensação de frio ... que a cidade que eu escolhera de normais proporções adquiriu tal tamanho que o azul que a envolvia se sentiu só ...

Pedro Coimbra disse...

KUNG HEI FAT CHOI!!!
Aquele abraço

Os olhares da Gracinha! disse...

E é bem gostoso passear...despercebido!
Gosto da luminosidade...bj

Remus disse...

Não sei o que isto, mas também acho que o objectivo não é o de ficar a saber. O objectivo será admirar, gostar e invejar. Assim sendo, da minha parte, tenho a comunicar que o objectivo foi totalmente alcançado por larga margem.

João Menéres disse...

ANA FREIRE

Como é habitual em ti, o comentário está PERFEITO !
Uma imagem desconstruída... como as pinturas desse autor...
Não para ver de imediato o que é, mas para sentir o que seja...
Parece-me uma prova de veleiros... Será?...



Merecias dois beijos, Ana !

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

Limito-me a agradecer e a transcrever o teu comentário, que muito agradeço.

Sim, olha-se e vê-se uma pintura... é a 1ª impressão...
E mantém-se... não fora sabermos ser uma fotografia de João Menéres... com uma outra técnica.
Imagens indefinidas de algo a três dimensões... que se esfumam e distanciam... como se só de azuis se tratasse...

..."E ninguém me conhecia !" diz Pedro H. de Mello.


Um beijo muito amigo.

João Menéres disse...

JORGE

Não sou watt, mas vario, sim !

João Menéres disse...

AGOSTINHO

Fico -lhe muito grato por comentário tão elogioso e tão correspondente com os estados de alma.

Grande abraço.

João Menéres disse...

EDUARDO

Até entende e muito.
E de pintura, MAIS AINDA.

João Menéres disse...

MARIA GLORIA

Foi necessário editar esta para reapareceres por aqui...
Tenho sentido muito a tua falta.

Só os barcos não podem parar...
NAVEGAR É PRECISO !

Um beijo grato e amigo.

João Menéres disse...

LUÍSA

Mas os marinheiros não podem nunca parar, por mais que o azul seja intenso e belo...

Um beijo muito amigo e agradecido.

João Menéres disse...

L. REIS

Vai inteirinho o teu comentário, pois não o posso expurgar de nada :

Eu sabia que havia um mundo para além do mundo, de formas apenas pressentidas numa imensidão de silêncio azul.

O que eu não sabia era que isso podia ser fotografado...mas claro que pode, porque por aqui nem o onírico está fora do alcance da lente.


Se só me é dado sonhar, que mais posso eu fazer ?

Um beijo ( hoje silencioso ).


João Menéres disse...

RASURAS

Mas eu não vou agora atenuar essa claridade...
E o AZUL nunca se sentirá só...

Um amigo abraço.

João Menéres disse...

PEDRO COIMBRA

Muito agradeço os votos de BOM ANO CHINÊS, o do GALO DE FOGO !

Um abraço.

João Menéres disse...

GRACINHA

Eu pelo menos gostava que isso acontecesse mais vezes.

Obrigado pela visita e pela apreciação.

Um beijo amigo.

João Menéres disse...

REMUS

Por certo a esta hora já sabe do que se trata.
Aliás, duvido que em algum momento tivesse a mínima dúvida !
Claro que quem fica inchado sou eu !

Um abraço grato.

Isabel disse...

Lindo!

João Menéres disse...

ISABEL

Conheces obras do Noronha da Costa ?

Um beijo muito grato e amigo.

Isabel disse...

Conheço algumas que já vi em exposições, e gostei. Já me tinha falado dele a propósito já não bem de que exposição, aqui em Castelo Branco.
Beijinhos:)

João Menéres disse...

ISABEL

É verdade !...

Um beijo amigo.