.

quarta-feira, 8 de junho de 2016

OUTONAL

© João Menéres


EU AMEI ESSES LUGARES
ONDE O SOL
SECRETAMENTE SE DEIXAVA ACARICIAR.

ONDE PASSARAM LÁBIOS,
ONDE AS MÃOS CORRERAM INOCENTES,
O SILÊNCIO QUEIMA.

AMEI COMO QUEM ROMPE A PEDRA,
OU SE PERDE
NA VAGAROSA FLORAÇÃO DO AR.


( Eugénio de Andrade, in Matéria Solar )



30 comentários:

Presépio no Canal disse...

:-) Um belo poema para uma linda fotografia (mais parece uma pintura)!
Que coincidência gira esta tua publicação! Ontem, também fotografei um conjunto de árvores - uma vista muito bonita da cozinha de uns amigos nossos.
Gosto muito do pormenor da senhora na fotografia! Dá-lhe um encanto muito especial!
Beijinho!

Majo Dutra disse...

~~~
Realmente, é belíssima a iluminação nesta foto...

Uma foto singular, com uma legenda soberba!

Beijinhos, João.
~~~~~~~~~

Jorge Pinheiro disse...

Um quadro. Linda imagem.

Rute disse...

Que linda fotografia para tão belo poema! Gosto tanto das poesias do Eugénio de Andrade...quando for grande quero escrever como ele...é uma grande fonte de de inspiração para mim.

1 beijinho JOÃO:)

Maria Manuela disse...

Encantador !!!
Olho... e delicio-me com o filtrado da luz por entre o dourado de Outono...
E os olhos param, sem querer, na mulher... nos detalhes recortados pela intensa luminosidade... na sua vagarosa tarefa... e vejo Vermeer... o pintor da luz e do equilíbrio das telas...
Parabéns, JOÃO, pela magnífica pintura fotográfica... e pela excelente escolha do Poema... de um pintor de palavras...
Beijinhos.

bea disse...

O Outono tem uma doçura triste que nos enlaça.
"Amei como quem rompe a pedra ou se perde na vagarosa floração do ar". Não podemos entender os poemas que são dentro de si o seu contraditório. Bom. Mas a poesia tem isso de não ter que ser elucidada. Só tem que ser poesia. E é.
A foto condiz. Mas, na minha opinião, o poema vai muito mas muito para além. Poesia é mundo aberto, sugestão. Fotografia é imagem delimitada. Às vezes, poeticamente.

ana disse...

João,
Adoro florestas e esta parece-me de carvalhos e árvores centenárias. Faz lembrar contos da Sophia de Mello Breyner Andressen. Todavia, o EA fica aqui muito bem.
É Outono, apesar de gostar mais da Primavera, o Outono tem esta paleta de cores variada que atrai qualquer um.
O cesto e a senhora com o chapéu é de um requinte encantador. À procura de míscaros?
Histórias de Agustina também e de famílias do Norte.
Beijinhos. :))

Isabel disse...

Uma fotografia maravilhosa. O poema completa o post na perfeição.

Muito lindo!

Um beijinho:)

Tété disse...


Um "Monet" (tanto que parece) e Eugénio de Andrade. Quem arranjaria melhor dupla? Difícil de encontrar.
Liiiiiiindo!!!!
Vamos recuperando a saúde dessa pernoca?
Abraço e um beijinho

João Menéres disse...

AGRADECIMENTO SEMI COLECTIVO :

SANDRA

MAJO

JORGE

RUTE

MARIA MANUELA

BEA

ANA R. A.

ISABEL

TÉTÉ


Sim, são carvalhos, embora os vidoeiros não estivessem longe.
Foi na zona do Mesio ( antes do Soajo ).
Na altura, eu ia no Outono e no Inverno a média de 2 vezes por mês para o PNPG.
Saía do Porto com uma ou mais amigas e levava os mais diversos adereços.
Como foi numa fase "hamiltoniana " (David Hamilton ), tinha preferência por luzes doces e utilizava um filtro Diffuser para dar uma certa poesia à imagem.
Tanto me faz, Vermeer ou Monet...
Agradeço muito a vossa generosidade

7 beijos e 1 abraço.

Ana Bailune disse...

Olá, João.
Excelente fotografia, que coisa linda!
E o poema, então... nem se fala! Parabéns pelo post!

João Menéres disse...

ANA BAILUNE

Obrigado, minha querida amiga !!!
Um beijo grato.

GL disse...

A fotografia é lindíssima, mas a senhora, João, onde foste arranjar a senhora?!
Os artistas têm destes mistérios!:)

O pé já está completamente recuperado? Oxalá, já é tempo!

Beijinho, senhor das coisas belas.

João Menéres disse...

GL

Nesses tempos, tinha muitas amigas que gostavam de participar nas minhas aventuras fotográficas !
No caso desta, perdi-lhe o rasto.
Duas outras, foram para Inglaterra.
Mantenho contactos esporádicos com muitas outras ( hoje, mães de família )...
Tive um projecto, que não concretizei, de fazer um livro com pinturas de Mestres, em que recriava o ambiente e as figuras, uma espécie de up-to-date, compreendes ?
O tempo encarregou-se de arrumar esse projecto...

A minha perna e o meu pé já evoluiram significativamente, mas o enfermeiro continua a vir diariamente .
Para a semana espero já conduzir sem receios.

Um beijo muito grato por tudo quanto escreveste.

Remus disse...

Quando vi a fotografia pela primeira vez, pensei que seria uma fotografia a um quadro de algum pintor famoso.
Mas depois que passei os olhos pelos comentários, tomei consciência que era uma fotografia "à seria"...

E também foi graças aos comentários, neste caso em concreto às respostas aos comentários, que fiquei a saber que o João tinha muitas "amigas" e que ia com elas para o meio da mata...
Pois... Pois... Está-se mesmo a ver que iam todos apanhar cogumelos e fazer fotografias.
:-D :-D

A fotografia "imitou" muito bem um quadro. E todos os que comentaram disseram isso. Logo, isso só quer dizer que o trabalho foi muito bem realizado.

Agostinho disse...

Fabulosa interpretação dos tons outonais que exige a sensibilidade poética do autor:
a foto do amigo João Meneres. é uma tela onde as "coisas" foram colocadas, apropriadamente, sem carência nem excesso; o poema do Eugénio tem a luminosidade ("excessiva") que é a sua identitária.
Abraço.

GL disse...


Esse ficou sem efeito, o que foi pena, mas a verdade é que concretizaste muitos outros igualmente interessantes.:):)

Há amigos que ficam para a vida, e que gratificante é!

Quando deixamos de poder conduzir é uma "tragédia".
A que se deverá esta ligação tão estreita com aquele conjunto de peças?
Há tempos fiz fractura de um braço, o que não deixa de ser aborrecido, mas o que me irritava sobremaneira era o facto de não poder conduzir.:)

Oxalá possas retomar esse prazer - não é disso que se trata? - rapidamente.

Beijinho, Amigo.


João Menéres disse...

REMUS

Como sou apreciador de Pintura ( desde Bosh a Miró - tantas Escolas tão diversas no tempo e no estilo ) é natural que retenha alguma coisa e, se oportuno, faça uma "salada", mesmo sem pensar...

Claro que tinha muitas amigas ( e não coloco aspas ) !

Posso mostrar um míscaro geresiano que fotografei nos intervalos

E agora, Remus, em que ficamos ?

João Menéres disse...

AGOSTINHO

Depois das bicadas da mente poluída do Remus, é difícil recuperar o discernimento para responder a comentário tão sério.
Mas, como habitualmente, soube-me muito bem ler as suas palavras.

Um abraço agradecido.

João Menéres disse...

GL

O que matutei no que querias dizer com Esse !...
Mas já sei : o projecto do livro !...

Se as molduras tivessem batido na perna esquerda, não havia problema.
Julguei que hoje estaria em condições para conduzir.
Infelizmente, ainda não me sinto apto.
As noites têm sido muito más e esta última, especialmente, foi um desespero.
Deitei-me antes da meia noite, adormeci meia hora depois e às 02:30 acordei e fui tomar o Benuron.
Acordado que estava, vim ao computador até a cápsula fazer efeito. Voltei para a cama mas às 06:30
já acordava novamente.
Aí decidi que não me voltava a deitar.
Imagina como estava "bem disposto" quando o enfermeiro chegou às 11:00 !
Após o almoço, tomei um Lexotan e descansei uma hora deitado sobre a cama.
Agora, parece que estou mais "normalzinho" !

Um beijo amigo e grato.

GL disse...

João, as minhas desculpas, só depois me apercebi do lapso.:( Claro que me referia ao livro, valha-me Deus!

Já há bastante tempo que tiveste esse percalço, é normal continuarem as dores tão intensas? Não haverá uma lesão mais profunda? Não quero alarmar-te, mas fiquei apreensiva.

As melhoras. Que coisa mais aborrecida!:(

Beijinho, Amigo.

Eduardo P.L. disse...

Bem outonal.

João Menéres disse...

GL

Foi há dois anos na Póvoa de Varzim...
Não, felizmente não há há nada de grave.
Um buraco de um hematoma, junto ao peito do pé, está a fechar bem com novos tecidos ( ainda sou capaz de produzir ! ).
Mas vai ainda levar o seu tempo...
É normalíssimo neste tipo de acidentes.
Mas como já posso movimentar o peito do pé, espero começar a conduzir na 2ª ou 3ª feira próximas !

Um beijo grato e amigo.

João Menéres disse...

EDUARDO

Havia Outonos assim...

Ana Freire disse...

Só digo, que está aqui, mais uma das minhas imagens favoritas... na qual o João, tornou cada pixel... numa autêntica obra de arte!
Está maravilhosa!!!!!! Melhor?... Impossível!!!
Tudo estraordinariamente bem distribuido, na imagem...
Beijinhos
Ana

João Menéres disse...

ANA FREIRE

A baba ameaça correr com tantos elogios teus !...
Mas que houve alguma tentativa para obter uma imagem assim, lá isso houve !
Mas a luz é a principal responsável pelo resultado final.

Muito te agradeço, Ana, as tuas palavras sempre tão generosas e estimulantes.

Um beijo amigo.

Maria Gloria D'Amico disse...

João, que imagem espetacular!
Me senti em um conto de fadas, com flores, passarinhos e cores de outono. O outono é a minha estação preferida.
Uma pintura e belíssima.
Beijos.

Rasuras do Aparo disse...

Ora como seria voltar atrás no tempo ... nesse outono que brilhava em tons de ouro ... promessas de horizonte dourado ... esverdeado de esperança ... nessa terna ideia de futuro ....

João Menéres disse...

MARIA GLORIA

Só não havia passarinho...


Um beijo e obrigado.

João Menéres disse...

RASURAS

O António Variações também cantava Oh tempo volta trás !...

Ignoro qual a cor que preferia, caso tivesse alguma...