.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

REBANHO E MENINO

© João Menéres



ALGURES EM TRÁS-OS-MONTES



28 comentários:

Fatyly disse...

Uma foto tão encantadora. Gostei muito!

Beijos

Ana Bailune disse...

A vida!

João Menéres disse...

FATYLY

Ainda bem que te agradou esta cena real bem no Nordeste transmontano !


Um beijo grato.

João Menéres disse...

ANA BAILUNE

E real também a alegria da criança !


Um beijo amigo.

Uouo Uo disse...

thx

تصميم مواقع




thx

شركة تنظيف بالرياض




thank you

حراج السيارات



-----

João Menéres disse...

UOUO UO

Thank you very much !

Jorge Pinheiro disse...

Muito bucólica.

João Menéres disse...

JORGE

É mesmo !

Isabel disse...

É gira a foto, o menino e as cabritas. São lindas, muito mais bonitas que as que há na terra da minha mãe. Têm o pelo mais bonito e parecem maiores.

Linda foto!
Um beijinho:)

João Menéres disse...

ISABEL

Será dos teus olhos ?

E qual é a terra da tua Mãe ?


Um beijo amigo.

Ana Freire disse...

A imagem apresenta um ligeiro desfoque, de que gosto muito, pois adocica a aridez do caminho...
Engraçado!... O rosto tão doce e sereno... parece-me um rosto feminino... o que torna a imagem, ainda mais doce, suave e encantadora...
Beijinhos, João! Bom fim de semana... um pouquinho adiantado, pois amanhã, estarei off-line!...
Ana

Isabel disse...

Eu acho que não é dos meus olhos...são mesmo bonitas, com o pelo comprido e brilhante...talvez seja da fotografia...
A terra da minha mãe é no concelho de Seia.

Um beijinho:)

graça Alves disse...

Olá, João!
Foto excelente!
O primeiro ano que dei aulas foi em Mogadouro. Comecei bem!
Tenho fotos também de rebanhos semelhantes...saudades daqueles ares, dos vales e do campo aberto. A paisagem noturna também é magnífica!
Quanto à foto...repare-se nos chifres...tão bem talhados!
O menino...lembrou-me o meu Vítor que com 15 anos empurrava as letras a custo para formarem as palavras, porque se levantava de madrugada para tratar do gado antes de vir para a escola...
Ouro mundo aquele que encontrei há 22 anos atrás!
Beijinho :)

João Menéres disse...

ANA FREIRE

O desfoque que assinalas deve-se à abertura que escolhi.
Centrei-me no rebanho com a tele 200mm.
É mesmo UM pastor. E louro...
Tenho outras duas : Uma sem pastor, outra com ele de costas...
Obrigado por me prevenires da tua ausência amanhã.
Mas não te esqueças que me ficas a dever a visita...
Espero que o teu dia de amanhã seja um bom DIA !

Um beijo amigo.

João Menéres disse...

ISABEL

Não sejas modesta...
Bom, no Nordeste há diferenças acentuadas para a BeiraAlta...

Obrigado pela revisitação e pela informação.

Até amanhã e um beijo.

João Menéres disse...

GRAÇA

Mogadouro...podias ter ido parar a sítio bem pior, embora seja longe de tudo !...
Mas não se come muito mal por lá...
Pena o castelo estar em ruínas, não é ?
Mas a paisagem é magnífica, tens razão.

O teu filho aos quinze empurrava as letras ?
Deve haver uma dezena a mais, não ?
E de Mogadouro foste logo para aí ?


Um beijo e obrigado por tudo.

Luísa disse...

Contraste entre a ruralidade e a tecnicidade da foto!
Até o pastor apanhaste!
Beijinhos mil

João Menéres disse...

LUÍSA

Então não é preferível humanizar uma bucólica paisagem ?
E foi de passagem...parei o carro e fui depressinha por ali fora...

Boa a conjugação que fizeste e que agradeço.

Um beijo amigo.

Remus disse...

A esta altura o menino já será um homem feito.
Ou será que esta fotografia é recente e não é um dos scanners dos seus excelentes dispositivos?
Estas suas fotografias são excelentes documentos históricos.

Mas uma coisa apoquentar-me a alma e nem sei se vou conseguir dormir de noite a pensar nisso, porque é que as cabras estão todas com o rabo virado para cá, enquanto o menino está virado na nossa direcção?
A verdade só pode ser uma: Ou as cabras ou o menino andavam às recuas.
:-D

João Menéres disse...

REMUS


Sim, deve ser !
Mas não é o Tino...

Eu é que ia a correr atrás e o menino, apercebendo-se, voltou-se para ver quem vinha lá afogueado de tanto correr...
Portanto, nem as cabrinhas, nem o pastor andavam às arrecuas !

Um abraço e desculpe o facto de o ter atormentado tanto !
:-D

Presépio no Canal disse...

Poética! Um retrato de Vida! Devia estar exposta num museu, não só pela sua beleza, mas também pelo seu valor documental da vida no Nordeste transmontano.
Beijinhos!

João Menéres disse...

SANDRA

Por acaso até concordo...


Um beijo muito grato.

Eduardo P.L. disse...

Bela tomada.

João Menéres disse...

EDUARDO

Muito obrigado !

graça Alves disse...

João:
Sim :) em Mogadouro come-se bem e o acolhimento é 5 *****
O castelo penso que terá sido recuperado...
Só uma correção..."o meu Vítor" é a forma carinhosa como trato os meus alunos, depois de deixarem de ser meus, porque me deixam saudades...O Vítor era um menino mogadorense que a sorte não bafejou...e aos 15 anos não sabia mesmo ler bem, porque o tempo não lhe dava para mais, senão para ajudar os pais...
Depois de Mogadouro saltei para Portalegre...e depois mais umas quantas localidades...agora ainda estou longe de casa, mas mais perto...
beijinhos

João Menéres disse...

GRAÇA

Ainda no outro dia li uma notícia da autarquia a propósito de um apelo financeiro para um muro.
Está explicada a triste sina do Vítor...
Como ia eu adivinhar ?

É como os juízes...andam de terriola em terra, de terra para a CIDADE !
E ainda estás longinho, é ?
Desejo-te boa sorte nesse calcorrear !

Um beijo amigo.

Maria Manuela disse...

Belíssima !!!
Diria que era uma pintura, se não soubesse ser uma foto da Amigo João Menéres !...
O grau de desfoque utilizado confere-lhe o ar de pincelada vigorosa ou diluída... a esvanecer-se... Divagações...
Adorei o contraste entre o menino loiro, sereno e frágil e a força e destreza dos animais que conduz...
E ele volta-se... em atenção ao fotógrafo-poeta-pintor...
Uma cena campestre bem digna de figurar num Museu.
Muito bom !
Beijinhos.:))

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

Por onde começar para te agradecer ?...Pois...vamos ao cabelo loiro da criança e à lã matizada dos animais vigiados.
E, já agora, à cor da terra...
Tu jamais divagas, Maria Manuela !
Apenas analisas e transmites o que te vai na alma.
Fico-te muito grato peloresto.

Um beijo muito amigo e sensibilizado.