.

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

CLARABÓIAS

© João Menéres


QUANDO O DIA
ANUNCIA O SEU FIM,
AS CLARABÓIAS MURMURAM :
OLHEM PARA MIM !

30 comentários:

Eduardo P.L. disse...

Poeta e fotógrafo. Bom casamento.

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Por aqui também ainda se vão vendo algumas na zona histórica do castelo!

Bela lembrança esta foto, por vezes esquecemos que elas existem...
abraço e boa semana!

Rui

João Menéres disse...

EDUARDO

Obrigado por me julgar poeta, embora de quando em vez tente poetisar com palavras.

João Menéres disse...

RUI PIRES

Então, vamos a esses registos !

Um abraço com amizade.

Jorge Pinheiro disse...

Parece uma coisa espacial.

João Menéres disse...

JORGE

Mas nã se trata de A GUERRA DOS MUNDOS...
E antigamente havia muitas mais.

Ana Freire disse...

Impossível não se olhar para elas... são lindas!!!...
Hoje em dia, nada se vê, que se lhes compare, nos prédios de habitação...
Ficaram com um enquadramento belíssimo... e certamente, por a luz em final de dia, começar a rarear... provavelmente, foi a melhor opção, a conversão para P/B, também enaltecendo a intemporalidade... embora fique com alguma curiosidade em saber, como ficaria, a versão colorida...
Parabéns!!! Parabéns!!! Parabéns!!!
Eu bem disse, que precisava de aumentar o meu pódio para as minhas fotos preferidas, do João... e o João... tem de fazer o mesmo para as fotos vencedoras do Flinpo, ultimamente... mas mais do que merecidas!...
Beijinhos! Boa semana! E uma vez mais... muitos parabéns!...
Ana

João Menéres disse...

ANA FREIRE

Então ficaste satisfeita ?
Ainda bem !
O slide tinha uma cores deslavadas e eu bem tentei melhorar...
Por isso, reverti para o B&W, até porque terá ficado com mais ligação à mensagem secreta.
Achas que não me esforço por aparecer mais vezes no top five ?

Muito obrigado pela motivação que tão bem sabes transmitir.

Um beijo e um bom mês de Março.

Ana Bailune disse...

Uma luz bonita nos telhados e clarabóias!

João Menéres disse...

ANA BAILUNE

Pois... é o resultado do efeito do semi contraluz nos seus vidros.
Transparências, em suma.

Muito obrigado e um beijo muito amigo.

Luísa disse...

Oh! Que lindo!Fazes da fotografia um poema e das palavras uma almofada de aconchego!
Não podem ter fim as clarabóías!Nem os poemas acabarão, pois delas poderão sempre falar!
Magnifico post!
Mil beijinhos de hoje

João Menéres disse...

LUÍSA

Como sempre, a amizade que por mim tens faz com que exageres nas loas.

Obrigado por teres gostado.

Um beijo.

Agostinho disse...

As claraboias salvam da escuridão os pontos obscuros das construções, quando e onde a falta de claridade se faz sentir. E são elementos arquitectónicos que personalisam as construções de uma época.
Elas, aqui, fazem ressaltar a beleza das coberturas e "iluminam" toda a fotografia.
João Menéres não se fica pela metade e remata o post com uma frase de belo efeito poético.
Parabéns.

Maria Manuela disse...

Que giro !
Quando comecei a abrir a foto, pareciam-me bailarinas de saia rodada !!!
E girando, girando, felizes !...
Uma fotografia lindíssima !
Como lindo é o poema que elas merecem.
Dois poemas num só post !
Uma beleza, João !
Beijinhos.:)))

Isabel disse...

Tão bonito!
Parecem candeeiros acesos a iluminar a noite.
Gostei imenso da foto:)

Um beijinho:)

João Menéres disse...

AGOSTINHO

Quanta gentileza a sua !...
Como senti que não devia deixar a imagem dependurada, escrevi o que na altura me pareceu poder exprimir parte do diálogo entre quem observa e quem dá o prazer a quem olha.

Um abraço muito grato.

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

Agora que falas na primeira impressão ao abrir, lembrei-me de umas colmeias que fotografei no Gerês e a que dei o título :
As minhas bailarinas !...
A opção pelo B&W permitiu fazer sobressair a luminosidade irradiante, face à degradação cromática do casario.

Muito obrigado pelo teu sempre assertivo comentário.

Um beijo amigo.

João Menéres disse...

ISABEL

E iluminaram os olhos, sim senhor.

Obrigado pela visita e comentário.

Um beijo amigo.

Maria Manuela disse...


João, não será possível postar, algum dia, essas colmeias "As minhas bailarinas"?

Beijinho.:)))

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

Têm uns anitos...
O problema é saber onde está o slide...
Mas vou procurar esta semana.

Muito obrigado pelo teu interesse.

Outro beijo.

graça Alves disse...

O meu saudoso Porto, certamente...
Tão bonito sempre, mesmo quando triste e escuro!
beijinho

Remus disse...

E diria que a fotografia em preto e branco, realçou ainda mais e melhor, as respectivas clarabóias.

Mas não consegui descobrir/perceber se foi tirada com um filme a preto e branco, ou se a fotografia foi convertida para essa tonalidade.
Mas sei que vai dar-me a resposta.
:-)

João Menéres disse...

GRAÇA

Se a zona histórica do Porto é essencialmente dominada pelo granito, sobretudo na parte histórica secular e monumental, é natural que em dias cinzentos possa parecer uma cidade triste e escura.
Mas, nessas circunstâncias, olhares como o teu, saberão encontrar os mil encantos que a Invicta semi - esconde.

Muito obrigado pelo teu pertinente comentário.

Um beijo amigo.

João Menéres disse...

REMUS

Claro que o esclareço devidamente !
Esta imagem era originalmente um slide.
Perante o descolorido das fachadas de que o tempo se foi encarregando de acentuar, optei por remover as cores e fazer sobressair a luminosidade das clarabóias.

Com o meu abraço amigo e grato.

Luísa disse...

Achas que exagero? Pois eu acho que fico muito aquém...
Mil beijinhos

João Menéres disse...

LUÍSA

Insistes.
Não teimo com SENHORAS !

Um beijo muito amigo.

Rasuras do Aparo disse...

... olhá-las ... ser intrusivo no olhar na tentativa da percepção do tempo em que o tempo as fez como lanternas no topo da cidade ... é bom de ver como ainda se mantêm ...

João Menéres disse...

RASURAS

Sempre a alma de POETA, tanto no olhar como nas palavras !

Grande abraço.

ana disse...

Adoro clarabóias, por tudo.:))
Beijinho.

João Menéres disse...

ANA

Também eu !
Mas actualmente não é fácil no Porto vê-las.

+ um beijo.