.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

VARAIS

© João Menéres


VARAIS EM BAIRRO SOCIAL

VARANDAS COMUNS ONDE DE TUDO SE COLOCA.
SÓ NÃO VI POESIA...

40 comentários:

Eduardo P.L. disse...

O VARAL em si é um poema, caro João. Boa foto.

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Também acho, a perspetiva, as cores, todos os "condimentos" presentes na fotografia, já são uma verdadeira poesia "abstrata" em forma de imagem!
Gostei!

Abraço e desde já uma boa sexta, às portas do fim de semana!

Rui

ana disse...

A fotografia está excelente.
Também não consigo ver poesia... mas sim vidas.
Beijinho.:))

Ana Bailune disse...

Mas a poesia está li! No viver, simplesmente... na lida com as coisas, nas cores das roupas, nos objetos espalhados...

Presépio no Canal disse...

A forma como fotografaste uma parte do quotidiano destas pessoas é poética, João! Apanhaste as brincadeiras das crianças através das bicicletas, as cores do dia-a-dia, vasos de plantas e varandas arrumadas e limpas, embora comuns.
Gostei imenso desta foto!
Beijinho grande!

graça Alves disse...

Quem sabe a poesia está escondida no coração de cada um...
A foto é bonita!
bjinho

Jorge Pinheiro disse...

Varandais.

Remus disse...

O efeito gráfico conseguido com esta perspectiva está genial.
Num primeiro olhar, até pensei que era uma colagem com 3 ou 4 fotografias.
Muito bem.

E afinal, ter asas dá muito jeito. Consegue-se fotografias deste tipo.
:-)

bea disse...

Não?! Que assombro. A vida dos deserdados é tão poética!

João Menéres disse...

EDUARDO

Concordo, Eduardo.
E quantos poemas não haverá escondidos...

João Menéres disse...

RUI PIRES

Gostei dessa do abstracta !


Um abraço.

João Menéres disse...

ANA

E quantas vidas não são pura poesia !...

Um beijo amigo.

João Menéres disse...

ANA BAILUNE

E vê como as varandas comuns estão arrumadinhas e limpas...
Até um colchão a arejar !

( Estou em falta contigo...)

Um grande beijo.

João Menéres disse...

SANDRA

Obrigado por teres gostado.
É de facto um bairro social mas quem nele habita não se confunde com outras de outros bairros igualmente sociais.
E foi essa a diferença que me fez fotografar estes varais ( ou estendais ).

Um beijo muito amigo.

João Menéres disse...

GRAÇA

Quem vê caras, não vê corações, lá diz o ditado.
E a poesia, mesmo a popular, anda no ar.


Um beijo e o desejo de um bom sábado.

João Menéres disse...

JORGE

Pois :
Varais.
Estendais.

( Rima e é verdade ).

João Menéres disse...

REMUS

Confesso que não tinha dado conta de nenhuma genialidade...

( Eu já comuniquei que ainda não sei fazer colagens... ).

Nunca me queixei de flutuar ou voar...

:-)

João Menéres disse...

BEA

Será mesmo ?
Não estou tão certo disso.
Mas que haverá poesia, aqui ou ali, há certamente.

Um beijo grato.

Rasuras do Aparo disse...

... ora ela aí está ... em cores ... na geometria do gradeamento das varandas... no reflexo da vida nos objectos exposta ... é ela a poesia da vida, observada por quem a encontra através de uma lente ... sempre ...

João Menéres disse...

RASURAS

Sinto-me tão lisonjeado...
Mas a poesia é de facto ( ou devia sê-lo ) feita com geometria.
Muito obrigado pela sua visão sempre tão poética e amiga.

Um abraço.

Isabel disse...

Não deve haver muito tempo para a poesia na vida de quem luta diariamente para se sustentar. Mas talvez no coração de cada um ela esteja adormecida.

Fotografia espectacular!

Um beijinho e um bom fim-de-semana:)

João Menéres disse...

ISABEL

Os poetas não usam relógio, querida amiga, nem querem saber de outras coisas.
Para os poetas, só a Poesia conta.

Obrigado por mo dizeres !

Um beijo e bom tempo são os meus desejos para o fim de semana.

:.tossan® disse...

A simplicidade é uma poesia, sua fotografia
também. Abraço
PS:Estive sim, mas estou melhorando.

João Menéres disse...

TOSSAN

Algo se devia estar a passar, mas não pretendi Incomodar.
Ainda bem que está a melhorar, meu caro amigo.

Agradeço o seu amável comentário.


Um abraço e ânimo.

Maria Manuela disse...

Pedaços de vidas à varanda.
E de cada uma, um pouco da história contada...

Óptima perspectiva ! Muito boa foto, João !
Beijinhos e bom fim de semana.
PS: Tenho estado sem net a maior parte do tempo que hoje está m bem mais ameno...

Teresa Diniz disse...

A fotografia é linda! E pode ser poesia, sim, a geometria da vida quotidiana! Beijinho e bom fim de semana. :)

Kaipiroska disse...

Adorei o registo João. Relamente, tudo se vê e quando o espaço interior é escasso há que dar largas à imaginação... 1bj

Luísa disse...

Vejo poesia na variedade de cores...mas talvez nem more lá letra alguma!
Por esta minha cegueira, fechei a porta ao meu mais animado "um olhar de perto"!
Mil beijinhos por mais uma foto FANTÁSTICA!

(Já refletiste bem? Amanhã será o dia.)

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

Nestas varandas a poesia põe-se ao sol.

E eu continuo a não ter o SAFARI !
Se não fosse o alternativo sistema operativo...

Um beijo amigo.

João Menéres disse...

TERESA

Muito obrigado e também gostei muito da tua geometria da vida !!!


Um beijo e BOM DOMINGO!

João Menéres disse...

CARINA

É sempre uma enorme alegria ler-te aqui !
Quando se não cabe na gaiola, plana-se...

Um beijo amigo.

João Menéres disse...

LUÍSA

Pois não via não !...
( O nº par de comentários atraiçoou-me... ).

Já imaginaste um catraio a pedalar na bike por aquela longa varanda comunitária ?
O Pedro Homem de Melo poetisava logo !

FANTÁSTICA ? Nem a coloquei no Porto Meu...

Um beijo e biba o Rans...

Luísa disse...

Outro beijo e há um candidato mais "belo"....

João Menéres disse...

LUÍSA

Não topei...

Ana Freire disse...

A imagem está extraordinária, João!
Transbordando vida, bairrismo, comunhão... e que melhor poesia do que essa?...
Não são essas varandas comuns, que têm uma designação própria?... Ou então estarei a fazer confusão... provavelmente, fruto de um programa televisivo, sobre arquitectura, e bairros de Lisboa e Porto, que passou há alguns meses no canal 2, e que vi assim... meio na diagonal... :-)) enquanto estava a fazer outras coisas, na altura...
Adorei a imagem! Para mim, uma das minhas favoritas!... Repleta de focus de interesse!...
Beijinhos
Ana

João Menéres disse...

ANA

Que era interessante, eu sabia, digamos.
Mas com tantos elogios vindos de gente sensível e entendida, não, isso nunca me passou pela mente !

Nome dessas varandas ?
- Além de corridas, já ouvi chamarem-lhes de ver a procissão...

Afinal, constato que sempre vês poesia...
Ainda bem, Ana !

Um beijo amigo e muito grato por esta revisão.

jose jaime disse...

Ótima foto, além de poesia tem até música. Chão de estrelas retrata uma cena assim.
"Nossas roupas comuns dependuradas na corda qual bandeiras agitadas
Parecia um estranho festival
Festa dos nossos trapos coloridos
A mostrar que no morro mal vestido
É sempre feriado nacional."
No link a seguir está a música: http://www.kboing.com.br/jesse/1-80571/
Abraços

João Menéres disse...

JOSÉ JAIME

Fiquei verdadeiramente maravilhado com o seu comentário !!!
Já ouvi a música do Jessé e li toda a letra da mesma, mas não captei o autor da mesma...

Grande abraço e muito obrigado.

jose jaime disse...

Chão de Estrelas
Silvio Caldas/ Orestes Barbosa

exibições
69.278
Minha vida era um palco iluminado
Eu vivia vestido de dourado
Palhaço das perdidas ilusões
Cheio dos guizos falsos da alegria
Andei cantando a minha fantasia
Entre as palmas febris dos corações

Meu barracão no morro do Salgueiro
Tinha o cantar alegre de um viveiro
Foste a sonoridade que acabou
E hoje, quando do sol, a claridade
Forra o meu barracão, sinto saudade
Da mulher pomba-rola que voou

Nossas roupas comuns dependuradas
Na corda, qual bandeiras agitadas
Pareciam um estranho festival
Festa dos nossos trapos coloridos
A mostrar que nos morros mal vestidos
É sempre feriado nacional

A porta do barraco era sem trinco
Mas a lua, furando o nosso zinco
Salpicava de estrelas nosso chão
Tu pisavas nos astros, distraída
Sem saber que a ventura desta vida
É a cabrocha, o luar e o violão

No link a seguir você ouve direto do compositor:
https://youtu.be/Li5SWL5tISE

Abraços.

João Menéres disse...

JOSÉ JAIME

Muito obrigado pela gentileza da informação.

Envio um abraço e o desejo que tenha um bom Domingo.