.

quarta-feira, 23 de julho de 2014

UMA PORTA


© João Menéres


ESTA PORTA QUER DIZER MUITA COISA !

28 comentários:

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro João Menéres
Parece ter inicialmente sido uma porta onde se fizeram os habituais garatujos. Mas, depois, alguém, ou vários, enquadraram os ditos com outro tipo de elementos decorativos e ficou uma porta muito original!

João Menéres disse...

HELENA SACADURA CABRAL

Nas nossas cidades maiores, vê-se muita porcaria.
Esta porta é um exemplo desse acumular.
Auto-colantes juntos a borradas...
Felizmente, temos graffitis de alta qualidade.
O HAZUL é um artista respeitado.
Li ontem que em Paris há um enorme mural de um português ( CANTONIO, salvo erro ).

Obrigado pela sua achega importante que muito prestigia este Grifo Planante.

Melhores cumprimentos.

Isabel disse...

Acho que ficava mais bonita de "cara lavada". Ainda por cima parece uma porta que ainda é utilizada.
Parece-me que há aqui mais vandalismo que outra coisa.
Agora a foto...é arte!

Um beijinho :)

João Menéres disse...

ISABEL

Pensei várias coisas...
Finalmente, resolvi não perder a oprtunidade !

Um beijo e obrigado.

Remus disse...

É uma porta que quer dizer muita coisa, mas ao mesmo tempo não diz nada de compreensível.
É uma porta que "fala" uma língua à parte.
Já a fotografia, fala a língua da harmonia e do tecnicismo bem cuidado.

João Menéres disse...

REMUS

Como na legenda não coloquei o QUE...
É uma frase que dá para se pensar o que se desejar.
Contém vários dialectos...

Obrigado pelas palavras.

Um abraço.

ana disse...

João,
Um registo importante desse "meu [seu] Porto".
Que pena não se respeitar esta porta, e dar-lhe o uso que ela merece.
Tantos escritos, colagens, tanta atracção. Contudo,pelo menos, ela interpelou quem a marcou.
Beijinho. :))

João Menéres disse...

ANA

Obrigado pelo teu racional comentário !


Um beijo muito amigo.

Ana Freire disse...

Eu também acho, que essa porta quer dizer imenso... sobre as pessoas que a marcaram, João!
Quer dizer inconsciência, quer dizer falta de respeito, falta de educação, falta de cultura, falta de civismo, falta de vergonha, falta de postura... e falta de muita coisa... que ainda falta... e, infelizmente, continuará a faltar, por longo tempo, às novas gerações deste país.
Em relação à foto... acho que não lhe falta mesmo nada... e que só por si... diz tudo, o que essa porta gostaria de poder dizer.
E o João soube traduzir, na perfeição... o que ela teria para dizer.
Excelente foto, e excelente achado, João!
Uma porta, que faz séria concorrência... às portas do Questiuncas...
Bjs
Ana

João Menéres disse...

ANA FREIRE


Para quê mais palavras ?
- Tudo disseste, Ana !


Como posso obter o teu endereço postal, via e-mail ?

Um beijo muito agradecido.

Ana Freire disse...

Já deve ter chegado ao seu mail, João.
Beijos
Ana

João Menéres disse...

ANA

SIM !

Bj.

Luísa disse...

Uma porta fechada ao conservadorismo, definitivamente!
Ou será uma porta aberta à vilanagem?
Uma porta é de certeza, guardada robusta entre pedras e decorada sem regras!

;-( o preço do (des)envolvimento!

Beijinhos mil, senhor das mil e uma imagens fora do comum!

João Menéres disse...

LUÍSA

O teu comentário retrata fielmente o que eu senti ao ver esta porta !

Sem regras, como a Justiça neste país.

Um beijo grato.

Agostinho disse...

Esta porta é uma expressão do "fogo de Santo António".
A porta naturalmente limpa, como estaria quando lá foi colocada, é uma preciosidade.
Ninguém reparou nos azulejos? Quem os defende? Por sorte ainda não houve quem reparasse neles para converter em milenas.
Quanto à fotografia, João Menéres, está perfeita e documenta o desleixo e abandono a que está votado património urbano. Poderia constituir um alerta para quem de direito: Câmara Municipal, jornais, etc.

João Menéres disse...

AGOSTINHO

O desenho destes azulejos é pouco habitual por cá.
No meu livro ENCONTRO COM O PORTO tenho vários. Este escapou-me na altura ( 2001 ).
E agora não está em condições de ficar documentado.Talvez um dia, quem sabe ?

Obrigado por tudo quanto acrescenta.

Um abraço.

Rasuras do Aparo disse...

... lembra-me uma mala de viagem já gasta de tanto viajar ...ficaram os autocolantes testemunhas dos eventos passados ... para mais tarde recordar ...

João Menéres disse...

RASURAS DO APARO


Compreendo e aceito a interpretação como válida, caro amigo !
Uma mala dessas foi-me roubada da mala do carro em Milão...

Grande abraço.

Agora vá bater a outra porta !

Carolina Tavares disse...

Ás vezes fico com pena de paredes, portas, janelas tão rabiscadas. Confesso que tenho dificuldade de ver arte nisso. E ao ler o que está escrito nem sempre vejo sentido para o ato. Mas... há de se considerar.

João Menéres disse...

CAROLINA

Isto nada tem a ver com arte urbana !

Um beijo amigo.

GL disse...

Gostei da porta (era inevitável), desde a mão que servia de chamamento, passando pela peça que encabeça e remata a parte onde estava colocada a fechadura.
Tratar-se-á de uma casa abandonada? Só assim se explica a apetência dos "artistas" pela dita.
Obrigada, João, por mais este "olhar".

Abraço.

João Menéres disse...

MARIA

O batente da mãozinha com um dedo anelado é a mais frequente.
Rara é toda esta balbúrdia !

Não sei se se trata de uma casa abandonada.
Da próxima vez que lá passar, atentarei nessa questão.

Um beijo e obrigado.

L.Reis disse...

...e depois tb há portas assim: testemunhas da passagem dos supostos seres inteligentes a quem foi dado o dom da escrita e da palavra. Ainda bem que chegamos tão longe com esta nossa superioridade de sermos humanos :):):)

João Menéres disse...

L. REIS

Percebeste alguma coisa , Lina ?
Então traduz, por favor.

Eu só vejo uma bandalheira...

Um beijo.

Eduardo P.L. disse...

Uma porta cheia de história.

João Menéres disse...

EDUARDO

Será mesmo ?
Cada um faz e interpreta à sua maneira...

Jane Gatti de Campos disse...

A sua frase, que completa a imagem, transforma o que é transgressão, invasão, atos considerados proibidos, em algo a ser admirado. O que tanto dizem nessa porta? Para quem o dizem? Para nós? Uma simples porta, tanto mistério... Beijos.

Li Ferreira Nhan disse...

A primeira coisa que vi foram os belos azulejos. Depois procurei se havia uma aldraba... Lá estava perdida na poluição. Coitada da porta.
Excelente registro!
Beijo querido!