.

sexta-feira, 21 de março de 2014

DIA MUNDIAL DA POESIA

© João Menéres



A ROSALIA DE CASTRO

Rosa lírica dos
jardins
da Galiza. Em tua
garganta cantam
verdes rouxinóis, a flor
do verde pino, as ondas
do mar de Vigo.
Canta,
enamorado,
um trovador
antigo
Cantigas de amor,
cantigas de amigo.


( Albano Martins, in ASSIM SÃO AS ALGAS )

Nota : A estátua é de autoria do Mestre Barata Feyo e foi inaugurada em 1954.

20 comentários:

Cláudia Ribeiro disse...

Bonita homenagem a Rosalía de Castro, neste Dia Mundial da Poesia!
Tenho passado todos os dias junto da estátua...

Um beijinho.:))

João Menéres disse...

CLÁUDIA

Ao folhear aí o dito livro, os meus olhos cairam neste poema.
Como sabia ter esta imagem, foi fácil.
E outros poemas tem o Albano Martins !

Ir à Lumière é sempre um ganho.

Um beijo Amigo e grato.

Eduardo P.L. disse...

Bom casamento. Imagem e poema.

Presépio no Canal disse...

Lindo post, João! Gostei do contraste da alvura da estátua com os tons outonais, cor de fogo, da árvore. O poema, que não conhecia, é muito bonito. Obrigada por partilhares.
Um beijinho e bom dia da Poesia!!
:-)

João Menéres disse...

EDUARDO

Acho que uma poesia ou um texto favorecem as postagens.
Quem quer lê...

João Menéres disse...

SANDRA

Só é pena a Primavera ter chegado ontem e já ter partido...
Hoje está bastante fresco e recomeçaram os dias de chuva.

Obrigado pela tua visita que muito estimo.

Um beijo e bom fim de semana.

Maria Manuela disse...

Muitíssimo bem assinalado, João !
Um post com uma imagem que, por si só, é um belo poema !...

Só uma pessoa que gosta verdadeiramente de poesia sabe conjugar tão bem estes factores:
Um jardim que "por acaso" se chama Praça da Galiza; a parte do jardim, onde foi implantada a estátua branca da grande poetisa galega, olhando árvores, tema que maravilhosamente cantou; e a rematar, a delicadeza do encantador poema de AM a ela dedicado... E tudo isto, fazendo jus à data...
Um beijinho.

Remus disse...

Só agora, graças a este post, é que tive a oportunidade de ficar a saber quem era a figura retratada nessa estátua.
Vista deste ângulo, até parece que ela está a admirar a beleza das cores outonais das folhas da árvore.
Mas com a opção por incluir também o muro, é que fico com o pé atrás.

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

Estava eu tão triste por o número de comentadores até agora ser tão pequeno face à grandeza das obras e dos poetas assinalados...
Chegas tu e toda a tristeza se dissipou como que por milagre !

Um beijo muito grato e Amigo.

João Menéres disse...

REMUS

O habitual é fotografar do lado da Escola Gomes Teixeira.
Mas, como no Flinpo, no tema SINAL DE TRÂNSITO fui tão mal avaliado, imaginei que o mau comportamento dos alunos/as tinha influenciado os participantes,daí ter ficado com receio de levar mais umas pedradas e preferir ficar de frente para o inimigo...

Precisa de um banquinho para pisar a a relva e admirar a Rosala de frente ?
Basta dar a volta e até podesentar-se num dos bancos,normalmente vagos.

Um abraço com muita estima.

ana disse...

Muito bonito o poema que escolheu.
A perspectiva sobre a escultura da poetisa é igualmente bonita.
Beijinho. :))

João Menéres disse...

ANA

Como não fazes referência ao Albano Martins
( propriamente dito ), sou levado a pensar que foi por influência da Isabel que falei à Cláudia para mo arranjar se pudesse.

Lá ( na Lumière ), ao folhear o livro, logo esta poesia me saltou aos olhos e disse à Cláudia :
- Já tenho aqui uma poesia que me vai ser muito útil !

Eu preferi esta perspectiva por dois motivos :
O primeiro, foi fugir aos blocos dos edifícios da MOTA-GALIZA.
O segundo, por ser um ângulo a que as pessoas não estão habituadas a ver.

Tem um bom fim de semana, Ana.

Um beijo.

juncker naut non é juggernaut кешин disse...

gentes do portooo

lumiére ce n'est pas un nom portogais diria soares

João Menéres disse...

juncker naut non é juggernaut кешин

Neste caso, teria razão !...
Masé o nome de um alfarrabista ( livraria ) !

Merci bien !

Luísa disse...

Cheguei tarde,muito tarde,mas sempre a tempo de te ver poesia nas cores do parque!
Mil beijinhos

myra disse...

lindo o poema e mais linda a arvore e teus olhos :)
beijossssssssssssss

Rasuras do Aparo disse...

... cantigas de amor ...cantigas de amigo ... dependem sempre da côr ... do olhar de quem tenta encontrar as notas certas mesmo que soltas ... há quem olhe e as pinte ... há quem olhe e as cante... há quem olhe e as escreva ... eu escrevo-as sempre em rosa as primeiras ...e em azul as segundas ...

João Menéres disse...

LUÍSA

O verde ficou muito claro !
Só vi quando o post estava no ar há horas...
Feita em Outubro, penso.

Um beijo e obrigado.

João Menéres disse...

MYRA

Só a esta hora da noite de sábado, tive oportunidade de ver os comentários que estavam por agradecer.

Já neste dia uma senhora que não conheço me disse que os meus olhos são muito cativantes !!!...
Achas que ela falava a sério ?

Um beijOOOOOOOOOOOOO



João Menéres disse...

RASURAS DO PAPEL

Apreciei essa paleta de cores que tem à disposição !
Não tenho telas, os olhos não têm alcance e escrevo fora do Acordo...

Um abraço, meu caríssimo Amigo.