.

terça-feira, 26 de novembro de 2013

O CAUTELEIRO

© João Menéres


O VENDEDOR DE LOTARIA

Reparem no boné que o identifica
como vendedor autorizado e
na dignidade do seu porte.

( Uma das actividades em extinção...
A pedido da DIGIT@L PIXEL
publico esta imagem que tem mais de 30 anos).

32 comentários:

Eduardo P.L. disse...

Ótima foto.

myra disse...

como gosto destas tuas fotos!!!

Questiuncas disse...

Não sei o que lhe pediu, mas devo dizer que foi um bom pedido a julgar pela resposta.

Luísa disse...

"Segue a sorte em minhas mãos!
Pensa, cautelosamente, quem carrega com estima os impressos da lotaria!
Aceite a sorte, senhor! Desde já ofereço um sorriso e lhe desejo um dia abençoado! - diz em porte de repouso o mensageiro da sorte".

Hei-de escrever contos, um dia, e servir-me-ei das tuas imagens. Achas bem?
Beijinhos mil a ti a à mentora de tão belo post.

Rasuras do Aparo disse...

... vão de facto rareando essas figuras tão típicas das cidades ... cá em Lisboa o fato era mais para o cinzento ...
( não estrague a nossa amiga com mimos ... depois ela fica preguiçosa ...)

ana disse...

Fantástica. O prédio tem uma decoração que deve ser muito bonito.É art deco?
Beijinho.:))

Jorge Pinheiro disse...

Gente fina é outra coisa.

João Menéres disse...

EDUARDO

Foi feita com uma analógica ( claro, ainda não havia as digitais!...), a película tinha um ASA baixo e a personagem estava à sombra.
É natural que a definição não seja famosa.
Tive que utilizar uma velocidade baixa e uma abertura grande.

Um abraço e obrigado.

João Menéres disse...

És um dos meus consolos, Myra !
Tanto aqui, como no teu PAROLE !


Um beijoooooooooooooooooooooo

João Menéres disse...

QUESTIUNCAS

Só me pediu um cauteleiro...
Não lhe podia dar o nº da Sorte Grande por o ignorar !...


Um abraço.

João Menéres disse...

LUÍSA

Que venha breve o dia em que começares a escrever contos !
Podes servir-te de todas as imagens que achares te possam fazer jeito !

A mentora "obriga-me" a fotografar, motiva-me imenso !

Mas também é madrinha deste Grifo, conforme contei há mais de cinco anos...
Como eu era novo nessa época !...

Um beijo, querida Luísa.

Minhas Pinturas disse...

È incrível como estes amigos blogueiros contribuem, mesmo sem intenção, de aumentar minha cultura geral, não muito pequena, mas quando cresce é bem melhor do que ficar estagnada. Quando viajo virtualmente com informações sobre costumes, personagens, lugares e até de tipo de lentes ou de máquinas fotográficas fico muito interessada e agradecida, pois recebi em forma de carinho um bem para minha cultura.
É o que acontece com relação as suas ótimas fotos.
Abraços, Léah

João Menéres disse...

RASURAS DO APARO

Se a não mimo mais ( e a outras amigas que fui ganhando através da blogosfera ) é porque a (s) distância (s) não o propiciam !

Um abraço com muita Amizade.

João Menéres disse...

ANA
Tenho estado a puxar pela cabeça : Onde diabo fizeste tu esta ?
E não me consigo recordar, Ana.
Só sei que foi na baixa desta cidade do Porto.
Por isso, não vou poder responde-te, desculpa-me, sim ?
Pode ser que de um momento para o outro me venha à memória...

Um beijo.

João Menéres disse...

JORGE

Pois...

João Menéres disse...

LÉAH

Como me sinto lisonjeado, Deus meu !

Procuro fazer um blogue variado com imagens de alguma qualidade.

Procuro também interagir com os meus comentadores e faço o mesmo em vários blogues muitas vezes.

Um beijo muito grato.

Isabel disse...

Lembro-me do último vendedor de cautelas, aqui em Castelo Branco. Morreu há muitos anos...

Da maneira que estamos a retroceder,no país, qualquer dia não me surpreende que voltemos a ver, de novo, por aí, todas estas profissões...

...e a foto assim a cores, parece tão actual!

Um beijinho

L.Reis disse...

Este mimo é todo meu!!! E ainda bem que o pedi. Pela amostra, tens um baú cheio de tesouros e eu quero ver mais! Ai quero, quero!!
Aqui em Lisboa há um cauteleiro que está sempre à saída do metro do Chiado. Também já lhe tirei uma fotografia que está algures no meu blog…mas não tem chapéu, nem farda…ainda assim é uma figura muito típica daquela zona.

Um beijo pelo mimo e por teres paciência para pedidos malucos :):)

GL disse...

A nostalgia que esta imagem me provoca! Estavamos num tempo em que qualquer profissional, QUALQUER, tinha brio, orgulho, na sua profissão por mais humilde que fosse.

Beijinho

Maria Manuela disse...

Vendedor de sonhos...
E ar de bom profissional!
Aspecto impecável, expressão confiante e a escolha do lugar certo...
Talvez realizasse o seu sonho...

Uma óptima fotografia histórica (personagem e local).
Um beijinho, João, e continue a desvendar tempos idos...

João Menéres disse...

ISABEL

Poderemos ver o retornar das antigas profissões, sim.
Mas não com o mesmo perfil e postura !
Agora, ninguém sabe estar, lamentavelmente.


Obrigado pelo teu comentário, Isabel ( sabes que ainda não descobri nenhuma daquelas bolas de vidro ? E eu que julgava ser tão fácil...)

João Menéres disse...

L. REIS

Já expliquei ( ao Eduardo ) que esta do cauteleiro está longe de estar bem.
Mas um pedido teu é uma ordem ( BOA ) para mim.
Tenho, realmente, muitas arcas cheias ( de porcarias ) !
Eu vou ver seencontro algo mais...

De ti não aturo pedidos malucos, Lina !
És muito ajuizada e mereces tudo e mais, muito mais !

Um beijo AZUL e que a TALUDA te saia um dia.

João Menéres disse...

GL

Sabes onde constato em muitas terras esse mesmo brio ?
Nas pessoas que limpam as ruas e esvaziam os caixotes do lixo !
Na Rocha, até dá gosto !

Um beijo amigo.

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

De coisas assim, não tenho muita coisa.
Era o tempo dos Concursos a sério e procurava outros motivos...
Mas verei o que se arranja.
Há tempos, publiquei uma de um pescador na areia a tratar dos seus aprestos.
Estás recordada ?

Um beijo grato e muito Amigo.

Remus disse...

Antigamente faria sentido existir cauteleiros. As pessoas eram maioritariamente sérias. Mas hoje em dia, com a desconfiança e a aldrabice que existe, é compreensível que esteja em desuso. Já ninguém confia em ninguém, pelo que prefere comprar as cautelas, directamente nas lojas.

João Menéres disse...

REMUS

Aceito e compreendo a sua resposta, caro REMUS.

Mas, face ao Euromilhões e ao Totoloto, a Lotaria Nacional deve ter perdido muito face à diferença de valores queestão em jogo.

Um abraço.

Isabel disse...

Fala das bolas de vidro com neve?...

João Menéres disse...

ISABEL


Exacto !
Era para te oferecer...


Um beijo.

Li Ferreira Nhan disse...

É isso mesmo; como se aprende! Primeira vez que vejo "cauteleiro" e nem sabia que o vendedor de bilhetes de loteria assim se chamava. Nem que elas são " cautelas".
A riqueza da nossa língua é fantástica e seus costumes e regionalismos há que serem preservados! Só temos a ganhar!
Obrigada João pela bela imagem e por tudo que nela contém!
Beijo querido!
( João estou trabalhando muito! Agora graças aos céus estou sozinha a fazer todo o serviço em casa . E não é pouco! Mas prefiro assim.. Venho aqui quando posso. Agora mesmo teclo do Café (no smartphone; computador nem pensar!).
No meu café vespertino, aqui perto de casa onde leio o jornal, converso e navego um pouquinho; não abro mão desses pequenos prazeres diários.
Ah, teclando quase tudo errado; difícil acertar o dedo nesse espaço diminuto rsrsrs...)

João Menéres disse...

LI

O bilhete inteiro tem várias frações. Décimos ou Vigésimos, conforme a extração.
E pode haver várias séries ( caso da Lotaria do Natal, por exemplo ).
O nome popular é cautela, mas não te sei explicar a razão.

Obrigado por eu ser um dos teus raros privilegiados !

Um beijo, Li querida.

Isabel disse...

AH! A conversa vem do Natal anterior...

Muito obrigada na mesma! Não se vêem muitas, não...

João Menéres disse...

ISABEL

Julgavas que me tinha esquecido ?
Comigo ?

Posso levar tempo, mas esquecer-me, NUNCA


Um beijo.