.

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

PORQUÊ ?

© João Menéres

         Quase um Poema de Amor

Há muito tempo já que não escrevo um poema 
De amor. 
E é o que eu sei fazer com mais delicadeza! 
A nossa natureza 
Lusitana 
Tem essa humana 
Graça 
Feiticeira 
De tornar de cristal 
A mais sentimental 
E baça 
Bebedeira. 

Mas ou seja que vou envelhecendo 
E ninguém me deseje apaixonado, 
Ou que a antiga paixão 
Me mantenha calado 
O coração 
Num íntimo pudor, 
— Há muito tempo já que não escrevo um poema 
De amor. 



                 
( Miguel Torga, in "Diário V " )

24 comentários:

Rasuras do Aparo disse...

... quem diria com o coração cheio de cor ... e emuldorando pinceladas de desejo ...

ZEKARLOS disse...

Excelente ilustração para mais um grande post.
Muito bom.

Ps: Comprei um livro de fotografia que me parece muito bom, Luzes, Câmera, Ação, do Pedro do Canto Brum e fiquei muito contente ao ver que foi o meu amigo João que fez o prefácio do mesmo. Grandes palavras e reconhecimento. Parabéns. Abraço

Maria Manuela disse...

Que beleza de POST!!!
A alegria das cores de Verão emoldurada por um dos mais belos poemas de MTorga!...

-Porquê?
-Torga responde tão bem no poema!...

Um beijinho

João Menéres disse...

RASURAS DO APARO

Óptimo comentário, caro Amigo !

Nem acrescento mais nada...


Grande abraço.

João Menéres disse...

ZEKARLOS

Obrigado pela sua opinião.

Quanto ao Pedro Brum :
Somos amigos há bastantes anos e ele é um excelente profissional.
Tem dois estúdios contíguos com uma área total superior a 600m2.
Infelizmente, os tempos mudaram muito, como bem sabe.

Foi com enorme prazer que acedi ao convite para escrever algumas palavras.

Um abraço.

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

É uma satisfação ler as tuas palavras, pois elas traduzem tal e qual o meu pensamento aquando desta postagem ( e não só ).


Um beijo Amigo e grato.

Eduardo P.L. disse...

Boa ilustração para o poema.

ana disse...

João,
Talvez o amor seja assim uma mancha de cores, efusão de sentimentos.
Miguel Torga escreve muito bem, de uma forma singela quase...
beijinho grato. :))

João Menéres disse...

EDUARDO

Tinha a imagem e procurei logo no Miguel Torga.

João Menéres disse...

ANA

Descrever o amor pode não ser fácil.
Mostrá-lo é !
Já reviste o lustre ?
E o mail com o suposto nome da rua ?

Um beijo, querida Ana.

Remus disse...

Porquê?
Sei lá porquê?
Se calhar não tinha ninguém para amar. Por isso é que o senhor Torga não escrevia um poema de amor. E o amigo João à quando tempo não escreve uma carta de amor?
:-D

Mais uma fotografia tirada a régua e esquadro.
Está um grafismo fantástico e único. Pintar ricas completamente direitas numa parede... não é nada fácil.

Cristina Ferreira disse...

Adorei!
João isto é em Águeda?
Como é que não vi!

Bjus

João Menéres disse...

REMUS

O que se passou ou não com o Miguel Torga, ignoro.
Mas os poetas ( especialmente os poetas ) têm uma forma muito peculiar de se expressarem.
Uma só palavra pode significar a chave !

Eu ?
-Não escrevo. Digo de viva voz.

NOTA : Acredite que fotografar foi um tanto difícil, sobretudo porque foi sem tripé e sem duplo nível.

Muito obrigado pelo seu apreciado comentário.


Um abraço.

João Menéres disse...

CRIS

Foi, pois !
Se calhar viste !
Estava ( ou está, não sei ) junto de uns degraus também pintados. ( Não eram os da escadinha ! ).

Fico muito contente por teres gostado assim tanto !

Um beijo.

Isabel disse...

Um lindo post!
Bela foto e um poema lindíssimo!

Um beijinho.

Luísa disse...

Pintas de bom gosto o post de hoje, entre pinceladas de um belo poema e um excelente quadro multicolor!

Mil beijinhos minhotos com chuva...

GL disse...

Torga tinha a capacidade de conciliar o telúrico com uma sensibilidade notável.
Para quando um poema da autoria do amigo João Menéres?! Seria(á) bem curioso conhecer essa nova(?) faceta.
A fotografia, linda, deixou-me a pensar como se conseguirão pintar riscas absolutamente direitas. A régua e esquadro?:)

Beijinho.

João Menéres disse...

ISABEL

Estive a trabalhar numa imagem até às 3 da manhã.
Daí o atraso no agradecimento ao teu comentário.

Um beijo amigo.


João Menéres disse...

LUÍSA

Explicoà ISABEL a razão deste atraso.
As minhas desculpas.

A imagem carecia de um poema muito especial.
Acho que está bem.


Não sei quando vais tirar uma tarde de férias !...
Tão cedo não será.


Um beijo amigo e grato.

João Menéres disse...

GL

Não sou poeta de palavras...
Mas pode ser que rebusque em escritos há mais de cinquenta anos.

Nãosei sefoi o caso, mas há quem utilize tiras de papel colante.


Um beijo e obrigado pelo "desafio".

Li Ferreira Nhan disse...

Pincéis mágicos que em negro pintam cor! Magnifica imagem João!
Beijo querido!

João Menéres disse...

LI

Tive a sensação que podia fazer alguma coisa com ela...

Excelente o teu comentário !

Obrigado, LI querida Amiga.


Um beijo.

mariam [Maria Martins] disse...

Belíssima a fotografia e excelente a escolha do poema! Pbs!
Adorei este post.
Um sorriso :)
mariam

João Menéres disse...


MARIAM

Muito te agradeço a visita e o comentário, para não falar dos elogios tecidos que muito me sensibilizaram.

Ao teu sorriso retribuo com um beijo.