.

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

FUNDAÇÃO CHAMPALIMAUD

© João Menéres

ESPECIALMENTE PARA QUEM NÃO SABE TUDO


" Foi criada por testamento do empresário António de Sommer Champalimaud em 2004, tendo sido registada oficialmente em 17 de dezembro desse ano.
Com sede em Lisboa, o seu nome oficial é uma homenagem aos pais do seu instituidor. O empresário doou 500 milhões de euros para que a Fundação possa desenvolver, apoiar e promover a ciência em Portugal, tendo escolhido como sua presidente a Dra. Leonor Beleza.
O objetivo da Fundação é promover a investigação científica na área da biomedicina, em especial nas áreas do cancro e neurociências.
Com relação ao Cancro, a Fundação optou por um modelo dirigido à obtenção de resultados na prevenção e no tratamento da doença: a investigação translacional, ou seja, o método que faz a ligação permanente entre a investigação básica e a investigação clínica, assegurando que as descobertas científicas se aplicam no desenvolvimento e no ensaio de soluções para os problemas que afligem as pessoas.
A investigação em neurociências tem por objetivo investigar as bases neuronais do comportamento.


© João Menéres

O Centro de Investigação para o Desconhecido da Fundação Champalimaud é um projeto de autoria do arquiteto goês Charles Correa. Foi inaugurado a 5 de outubro de 2010.

Implanta-se num terreno de 65 mil metros quadrados localizado na zona ribeirinha de Pedrouços. É um local privilegiado à margem do rio Tejo, próximo à Torre de Belém, simbólico por ser de onde os navegadores portugueses partiram há cinco séculos rumo ao "desconhecido".O conjunto inclui dois blocos principais: o centro de pesquisa / centro de tratamento do cancro, e o auditório (ligados por um passadiço elevado). Possui ainda jardins e um anfiteatro ao ar livre. "



( Fonte : Wikipédia )



14 comentários:

João Menéres disse...

SÓ VOLTAREI DOMINGO À NOITE...

BOM FIM DE SEMANA PARA TODOS.

BEIJOS e ABRAÇOS.

myra disse...

quen magnifica arquitectura!!!!!!!!!!!!
volta logo:)
bjos

Suzane Weck disse...

Ola,adorei conhecer esta bela Fundação,nunca tinha ouvido falar. O post anterior está excelente.Gostei demais.Meu grande abraço.SU

Remus disse...

Só faltou dizer como é que o Champalimaud conseguiu juntar uma fortuna avaliada em 1 300 milhões de euros, durante uma época em que o país vivia sobre uma ditadura fechada.

Acredito plenamente que esta "boa vontade" foi fruto de um grande peso na consciência. O facto de ter morrido praticamente cego e de cancro, deve ter ajudado em muito a decisão desta boa acção.

Questiuncas disse...

Já vi diversas fotografias deste espaço e agrada-me a arquitectura.
Um bom fim de semana.

Cristina Ferreira disse...

Um lugar fascinante para se fotografar, ainda não conheço.

Beijos

Li Ferreira Nhan disse...

Há mesmo muito pra se ver.
Não conheço e espero ver na próxima vez.
Bom fim de semana João!
Beijo querido!

ana disse...

João,
Um espaço belíssimo não só pelo conteúdo que encerra mas pela arrojada forma implantada no solo.
Beijinho e bom fim de semana! :))

Maria Manuela disse...

Lindíssimo!...
No contexto ambiental, chega a lembrar, de certa forma, o convés de um grande navio, com suas escotilhas... destemido, sulcando os mares e descobrindo...

Espírito, arte, transposição de fronteiras e SUSTENTABILIDADE PRÓPRIA...as autênticas Fundações!...

Beijinho e óptimo fim de semana.

Eduardo P.L. disse...

Gosto da arquitetura.

Rasuras do Aparo disse...

... é um regalo para os olhos ... visto ao longe (paredão da Cruz Quebrada ) parece um barco de recreio de luxo ... quando se corre à beira Tejo aprecia-se os pormenores alguns dos quais foram já enumerados na 2ª legenda ... quanto ao que levou a tal gesto só a consciência do próprio será fiel depositária ... mas como português agradeço que tivesse sido cá edificado e com tal propósito ...

L.S.A. disse...

Fui almoçar á Fundação e adorei.
Era um dia de chuva terrível! Para lá da porta não se via os jardins, o que me fez planear uma visita que começará por um lanche nos referidos jardins, e ver passar lá uma tarde.
Infelizmente ainda não foi possível por o projeto a andar pois muitas contrariedades me esperavam.
Será um dia, quando tudo passar.
Até porque tenho esperança de ver a Clínica.
A Vida é tão estranha meu amigo!.
Abraço.

L.S.A. disse...

Sabe o que era neste lugar?...
A Escola de Pescas.
Abatemos os Barcos... ficamos com uma Fundação, um Centro de Pesquisas, Restaurante, jardins, uma Clinica onde tudo é bem organizado...!
Eu sou Balança.
O que pesa mais para mim?
As duas coisas. Assim os "políticos" o queiram.
Tudo nos faz falta.

João Menéres disse...

MYRA

SUZANE WECK

REMUS ( Depois do 25 de Abril, António Champalimaud foi espoliado de todos os seus bens. Foi para o Brasil, com uma mão à frente e outra atrás. Regressou de novo com uma fortuna... )

QUESTIUNCAS

CRIS

LI

ANA

MARIA MANUELA ( A visão de um navio é perfeita ! )

EDUARDO

RASURAS DE APARO ( Já concordei no COMENTÁRIO da MARIA MANUELA )

MARIA ( Tens toda a razão no reparo que fazes ao abate dos barcos de pesca e, acrescento eu, da AGRICULTURA. A obra que o A. Champalimaud permitiu que se fizesse é ESPANTOSA, em todos os aspectos ).

Obrigado a todos.

Beijos /Abraços.