.

terça-feira, 18 de junho de 2013

KAISER-WILHEM-DEDACHTNIS- KIRCHE

© João Menéres


Data de 1963, esta igreja octogonal revestida
com vidro azul com desenhos policromados.
É de autoria de Egon Eiermann, enquanto a
enorme escultura de Cristo na Cruz,
é de autoria de Karl Hemmeter.

É tudo de uma beleza difícil de transmitir.


24 comentários:

Luísa disse...

Cristo ressuscitado!!! Muito bonito!
Cada quadricula prende-me na fé e faz-me divagar pela capacidade criativa de quem pensou tão belo Cristo e tão bela igreja!
A arquitetura e a arte ao serviço da fé!
gosto muito! Beijinhos

Questiuncas disse...

Desconhecia em absoluto e pelo que nos mostrou é uma bela igreja.
Fiquei muito curioso quanto ao restante da igreja, tem mais fotografias?

daga disse...

os alemães costumavam chamar às duas novas construções (a coluna atrás e o edifício octogonal à frente da ruína) "Batôn e Caixa de pó de arroz" ;)
beijo

Questiuncas disse...

Desde já os meus agradecimentos.

ana disse...

João,
A decoração fez-me lembrar uma igreja desenhada por Chagall, próxima de Nice.
Quanto à original, era muito bonita. A contemporânea de 1965, é bonita, calculo que a luz dentro da mesma seja especial, porém a antiga maravilha-me mais.
Gosto de arquitetura contemporânea, de edifícios com novas atitudes mas... [sorry]
Obrigada pela partilha.
Beijinho. :)

ana disse...

Excelente terem deixado a fachada. Vi que a data é 1963 e não 65.
:))

João Menéres disse...

LUÍSA

Exteriormente, nem parece uma igreja, pois os vitrais não nos deixam adivinhar sequer o policromado e a beleza que nos aguarda no seu interior.

Como não podemos esquecer a razão da opção pela sua construção, quando penetramos, vamos um tanto às escuras. Pelo menos, foi o que aconteceu comigo.
E fiquei espantado como aqueles vidrinhos cinzentos do exterior se transformavam milagrosamente !

Um beijo.

expressodalinha disse...

Estamos perto mas não fomos lá. Por fora é muito feia.

João Menéres disse...

QUESTIUNCAS

O que mais ( e não muito ) foi no interior.
Acrescentei AGORA um pormenor de uma parte de um vitral, visto do exterior.

Espero que o REMUS não me desanque pela imperfeição das linhas...


Um abraço.

João Menéres disse...

DAGA

O batom é o campanário ( isolado ) e a caixa de pó de arroz a nova igreja.

Obrigado pela achega tão pertinente.

Um beijo amigo.

João Menéres disse...

QUESTIUNCAS

Não tem nada que agradecer !

É um prazer quando os visitantes deste pobre blog fazem perguntas.
Graças a si, acrescentei duas imagens.


Um abraço grato.

João Menéres disse...

ANA
(I e II )

A luminosidade no interior é excelente, nem de mais, nem de menos.

Nice ?
- Só conheço a praia e pouco mais. Ah...fui até à terra da Michèle Mouton ( Grasse ). Pelo caminho, encontrei campos de alfazema. Mas não soube tirar partido ! Na altura, andava noutra... ( de fotografia, esclareça-se ! ).

Não conheço, portanto, essa igreja que referes.
Mas também me passeei pelas arribas do Verdun !
Impressionante !

Um beijo.

João Menéres disse...

JORGE

Deviam ter-se aproximado do que resta da anterior !
Concordo que por fora não é nada atraente !

Abraços para os cavalheiros e beijos para as damas.

Maria Manuela disse...

A grandiosidade deste Cristo... e a luz filtrada por este azul policromado... devem conferir a este interior um ambiente totalmente celestial... um convite ao infinito!...
Arte e religião em perfeita sintonia! Cor, luz e arrojo... nada mais é preciso, nesta imagem de rara beleza!...
Um beijinho encantado.

João Menéres disse...

ANA ( E TODOS ) :

Escrevi Verdun, mas é VERDON !
Pressas !...

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

Achoque não tenho que acrescentar nada mais aoteu comentário !
Foste muito clara e EXACTA !
( Nem todos são obrigados a comungar dos nossos sentimentos, não é verdade ? )

Um beijo muito grato.

GL disse...

Lindíssima, quer a igreja, quer a figura de Cristo.
Penso não exagerar ao dizer que estamos perante uma (rara) imagem que diz mais que mil palavras. Há ali despojamento, abandono, e beleza, uma imensa beleza.

Obrigada João.
E assim vamos caminhando e descobrindo o mundo!

Beijinho.

GL disse...

Só quero acrescentar que vou ficar por aqui, sentada no lado direito do monitor...

Posso?!

Remus disse...

Só porque fiquei rendido a esta luz e cores, não vou "desanquenta-lo pela imperfeição das linhas" e pelo facto de não estar centrada.
:-)

Estou a ver, pelo grafismo que ela tem e transmite, que seria uma igreja que faria as minhas delicias fotográficas.
:-)

O Cristo é que tem uma face que faz lembrar alguns Moai, que existem na ilha de Páscoa.
:-)

João Menéres disse...

GL ( I e II )

A beleza da igreja está no seu interior, sem dúvida !
O Cristo ( tive que eliminar alguns brilhos ) é, quanto a mim, uma peça escultórica lindíssima e que impressiona pelas suas dimensões, sobretudo tendo em conta o tamanho de cada quadrícula dos vitrais.

Aqui no Grifo, como o sub-título o indicia, tratam-se vários temas. Quando disponho de tempo, não descuro uma salada à chef, ou seja, FOTOGRAFIA, LITERATURA ( ou POESIA ) e ARTE. Aos Domingos, para quebrar a rotina, tenho o meu ( fornecido por tanto de vós ) ANEDOTÁRIO ( tendencionalmente caliente ).
Como tenho muitas imagens de vários países
( embora tudo desorganizado ! ), de quando em quando, lá sai uma do BANCO DE IMAGENS ( que tenho que digitalizar, dado serem slides ).

Vou consultar a ficha da minha SEGUIDORA 510. Se lá constar o e-mail, entrarei em contacto contigo na próxima oportunidade !

Um beijo e muito grato.

João Menéres disse...

REMUS

Não é para me desculpar, atenção !
Mas em viagens destetipo, não posso levar todo o material !
( diversas objectivas, um duplo nível, etc, etc... ).
Fui integrado num grupo de amigos e, portanto, não era dono do tempo.
Era passar e clicar !
Ou isto ou nada !
E a minha sabedoria no photoshop nunca atingirá os níveis profissionais. Portanto, não me acanho ( ou diminuo ) com a edição de imagens que SEI MUITO BEM não estarem 100% correctas !
Neste caso, só uma TS daria uma forte ajuda.
O rosto do Cristo ( no momento em que fotografei ), estava bastante na penumbra. Não tive oportunidade de saber como seria a outra hora.
No livro do American Express, a testa está iluminada, posso adiantar-lhe.

Um abraço agradecido por não me ter batido !

João Menéres disse...

REMUS ( II )

Optei por não centralizar o Cristo e mostrar mais elementos dos vitrais.

Ab.

Anónimo disse...

... olhar ... e sentir o silêncio da perfeição e beleza ... tanto da figura como dos vitrais ...
(obrigado por ter fotografado e partilhado)
T

João Menéres disse...

> T <

Não sabia que apreciava tanto esre tema !
Fico mais feliz, creia.

um abraço.