.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

NUMA TARDE DE INVERNO COM SOL

© João Menéres


TURISTAS NO TABULEIRO SUPERIOR
DA PONTE LUIS I
ADMIRAM A RIBEIRA E AS SUAS ESPLANADAS.

_______________________

COMENTÁRIOS QUE MERECEM UM POST :

A propósito da nossa postagem de ontem, 
a LUÍSA VILAÇA escreveu :
Favos de mel, literalmente!
Aprendizagem do homem com a natureza...numa sábia construção!
Acomodam-se os milha(f)res, em casulos protegidos, numa tentiva de superação ao próprio habitáculo!
Hoje, superam viver livres numa prisão, passeando os animais de estimação engaiolados. Doces vinganças...




18 comentários:

José Jaime disse...

Linda foto. Que altura deve ter essa ponte.
Abraços

Luísa disse...

Numa tarde de inverno com sol,
tentei espreitar a foz onde se perde aquele rio D´ouro!
Vi para longe, para além da linha que o horizonte desenhou tendo me encontrado perdida nas nuvens!
Um ponto de luz...um traço de rio...um ponto de mar...uma ponte de lançamento para o devir. Ilusão?
Ilusão é não sentir o que vemos da ponte D. Luís I.

Mil beijinhos minhotos, com um sorriso de agradecimento ao que por cá nos ofereces...(a propósito, fiz-te um roubo de uma postagem destes dias...Perdoas-me?)

João Menéres disse...

JOSÉ JAIME

Quanto prazer em revê-lo AQUI !

Só sei que a flecha do arco da Ponte Luis I tem 45 metros. Portanto, há que acrescentar mais alguns até à base do tabuleiro superior.
Serão + 3 ou 4 metros ?

Grande abraço ( e parabéns pela selecção do Flinpo ! )

João Menéres disse...


LUÍSA

Esplêndido comentário !
A MARIA MANUELA, a JANE GATTI e alguns mais outros comentadores vão ter que se esmerar !

Obrigado pelo tempo que perdes comigo !

Um beijo.

Ah...já me esquecia de te dizer :
Estou zangadíssimo contigo, claro !
Mas, como há pessoas que acham que sou bom homem, estás perdoadíssima ! E mais : sempre que quiseres continua a praticar essa boa acção de divulgares o meu trabalho !
.

Li Ferreira Nhan disse...

O que mais me fascina é a assimetria da imagem!
Teu olhar de mestre...
Beijo querido

ana disse...

Nunca parei nessa ponte. Mas é claro que a vista é lindíssima.
A perspetiva que arranjou engrandece a paisagem urbana!
Beijinhos. :))

João Menéres disse...

LI

Não é isso ( do olhar de mestre, não...).

Como digo, eram turistas levados por um guia a apreciar a paisagem que dali se desfruta.
Como estavam ali concentrados e para os mostrar enquadrei apenas um bocado da Ponye Luis I.
Claro, que a nuvem deu uma ajuda preciosa !
Ali passa o metro. Não o incluí porque, entretanto, o grupo desandou...

Um beijo, querida amiga.

Anónimo disse...

... olhares de cima para baixo ... olhares de outros mundos ... espantados com este nosso ...vosso ... seu... mundo...
T

João Menéres disse...

ANA

Estou ansioso que as temperaturas subam !
Agora, pode-se subir ao zimbório da igreja ( mosteiro) da Serra do Pilar ( o acesso é pelo exterior ).

Já fiz várias foitografias aéreas de helicóptero ( até incluindo o Mosteiro da Serra do Pilar ) sobre a Ribeira e abrangendo toda a área que vai até ao Palácio da Bolsa ( e ainda mais ). Aliás, o livro
AS PONTES DO PORTO é um exemplo do meu trabalho. A edição ( tirando a capa ) é a B&W ( o que, para mim, foi pena). Foi uma edição a propósito do
PORTO 2001 / CAPITAL EUROPEIA DA CULTURA.
Um ano em que tive muito que fazer, felizmente.
Às 18:08h, quando saí ( e daí não te ter respondido de pronto ), houve um tremor de terra do grau 3,5.
Ao regressar a casa, vinte minutos depois, a minha empregada perguntou-me se eu sabia de alguma coisa. Disse que não. Informou-me que os vidros da casa tinham estremecido todos e que tinha ouvido um grande estrondo.
Eu, que estava na rua, NÃO DEI CONTA DE NADA !
Entretanto, voltei a sair e só agora retornei.

Um beijo e obrigado.

João Menéres disse...

> T <

A Luísa tem mais pontos...

Mas gostei, COMO SEMPRE, do seu comentário !

Um abraço amigo.

Maria Manuela disse...

É lindo demais o que admiram!...

Querem levar no olhar toda a beleza e dinamismo de um panorama único!
E escolhem um ponto emblemático, obra humana no tempo exacto...
E entre um branco de nuvens em tarde azul, disfrutam de um sol de Inverno, numa terra que jamais esquecerão...

Linda imagem, lindo olhar que nos oferece esta visão de filigrana de ferro...a abraçar a beleza fascinante de um rio dourado e elegantíssimo...Muito grata.
Um beijo.

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

Um imprevisto, hoje de manhã, fez-me sair de casa bem cedo.
E, honestamente, ontem à noite, o teu COMENTÁRIO escapou-me !
Já consta na postagem de hoje nos
COMENTÁRIOS QUE MERECEM UM POST .

Um beijo e muito grato.

myra disse...

lindissima1 nao tinha visto...beijos meu querido Joao!

Remus disse...

E a gaivota também é turista?
:-P

Um ícone do Porto. Um dia que a ponte venha a baixo (nada nesta vida é eterno), o Porto já não será o mesmo Porto.

L.Reis disse...

...e a nuvem ali...com o seu ar sobranceiro a mostrar que pontes são coisas de terra e de margens, inúteis nos rios que correm nos céus
(Bela, perspetiva!)

João Menéres disse...

MYRA

Não se podem visitar os blogues todos que desejamos todos os dias...
Compreendo tão bem...

Obrigado por teres gostado.

Um beijoooooooooooooooo

João Menéres disse...

REMUS

A gaivota deve ter deixado uma lembrança
para algum turista...
Elas escolhem os clientes...
LOL

Agora, com o Metro a passar no tabuleiro superior, só uma tragédianos retiraria um dos ícones desta Invicta Cidade.

Um abraço e obrigado.

João Menéres disse...

L. REIS

Como poderei realçar as tuas palavras ?
Talvez assim :

...e a nuvem ali...com o seu ar sobranceiro a mostrar que pontes são coisas de terra e de margens, inúteis nos rios que correm nos céus
(Bela, perspetiva!)


E REPITO EM MAIÚSCULAS :

INÚTEIS NOS RIOS QUE CORREM NOS CÉUS

E mais não digo, Lina

Um beijo a planar.