.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

ÁGUA CORRENDO SOBRE MIM...

© João Menéres




AI  !

O grito deixa no vento
uma sombra de cipreste.

( Deixai-me neste campo
chorando. )

Tudo se perdeu no mundo
Não ficou mais que silêncio.

( Deixai-me neste campo
chorando. )

O horizonte sem luz
está mordido de fogueiras.

( Já vos disse que me deixeis
neste campo
chorando. )

( Poema de Federico Garcia Lorca )



COMENTÁRIOS QUE MERECEM UM POST

A propósito da minha postagem de ontem
Blogger Graça Pereira disse...
Parece suspensa das nuvens...tal como a música, que atravessa os espaços.
_
A minha resposta à Graça é :
Foi exactamente a minha idéia ao fotografar e
depois ao fazer o enquadramento para a postagem !
__

Felizmente, o Grifo Planante é, quase diariamente,
contemplado com comentários que merecem
ser destacados. A todos, e muitos são, que
escrevem com o coração os seus comentários,
o meu mais profundo agradecimento.

15 comentários:

Li Ferreira Nhan disse...

O comentário da Graça é digno de destaque! Soube descrever a imagem com muita sensibilidade. Parabéns!
Felizmente o Grifo nos presenteia quase diariamente com imagens inspiradoras.
Beijos aos dois!

Li Ferreira Nhan disse...

E agora Lorca com a tua imagem...
Obrigada João!
Beijos!

João Menéres disse...

LI ( I e II )

Minha querida Amiga :

Prcurarei ser o mais justo e imparcial na escolha dos COMENTÁRIOS QUE MERECEM UM POST
( copiando uma das brilhantes do Eduardo ).

Bem...eu não sou exactamente um cipreste ( árvores muito utilizadas em cemitérios ), mas achei que, mesmo assim, este poema do Lorca ia bem com a imagem.

Se houver mais comentários, lá mais para diante, poderei explicar melhor.

Um beijo.

myra disse...

Lorca era um genio...e voce enquanto a fotografo, para mim tbem é!!!!!! cipreste e tudo que teu olho capta!!!e ainda mais belo voce é meu extraordinario AMIGO!!!

João Menéres disse...

A imagem, Myra, mostra umas frágeis plantas no leito de um riacho vergadas pelo correr da água.
Assim, me sinto, na luta com o tempo que me toma de vencido...
Por isso, considerei que este poema ia bem...


Um beijooooooooooooooooooooooooooooo

Remus disse...

Já sei, porque li nos comentários, que o que está retratado é «umas frágeis plantas no leito de um riacho vergadas pelo correr da água.».
Mas quando vi a fotografia, estava convencido que era uma árvore de natal (ainda despedida e sem bolas) virada do avesso.
:-P

João Menéres disse...

REMUS

Obrigado pela atenção prestada.
Podia dar essa sensação, na verdade...não fossem aquelas ervas que estão no 1º plano ( e não só ).


Um abraço.

Maria Manuela disse...

Belo título para uma belíssima dupla postagem!

Eu até atrever-me-ia a perguntar, se estas folhas verdes tão lavadas e transparentes, não serão ainda, lágrimas de GARCIA LORCA, "neste campo campo chorando"?!

Um beijo e obrigada pelas duas maravilhas.

''''''''''''''''
Lindíssima, pela suavidade e sensibilidade, a frase de Graça Pereira, justamente destacada.
É o que encontro nas histórias maravilhosas, lindamente ilustradas que leio sempre com muito prazer, no seu Zambeziana...
Muitos Parabéns!

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Bonito poema!
A foto é interessante atendendo à perspectiva captada, proporcionando este reseultado!
Abraço

Maria disse...

Lorca é sempre LORCA, e João Menéres um fotógrafo/poeta que sabe, como ninguém, juntar-lhes as suas imagens!
Muito bela!
Abraço

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

O título, como é usual, foi inspiração no momento da preparar a postagem.

Do Federico não serão...mas podem ser de outros que sintam a poesia verdadeiramente.

Obrigado por também teres gostado do que escreveu a Graça !

Um beijo.

João Menéres disse...

RUI PIRES

São meros acasos de quem se passeia por locais potencialmente bucólicos.

Um abraço e grato por esse olhar beirão.

João Menéres disse...

MARIA

Para mim, esta imagem tem a ver com alguma sensualidade. Daí a escolher o Lorca foi um abrir e fechar de olhos.
Ao 3º poema lido, estava este !
Hesitar, para quê ?...

Um beijo e muito obrigado pelas palavras.

expressodalinha disse...

Concordo. Gosto muito do Garcia Lorca.

João Menéres disse...

JORGE

Será a concordância da imagem com o poema ?

Um abraço.