.

segunda-feira, 9 de julho de 2012

TRABALHOS AGRÍCOLAS

© João Menéres



ÀS VEZES, O MAR NÃO ENROLA NA AREIA...

52 comentários:

:.tossan® disse...

Lindo demais isso João! Esquece o mar, agora nós exaltamos o campo com tua bela foto. Abraço

Luísa disse...

Pérolas da terra, numa faina organizada de colheita!
ESPECTACULAR!

myra disse...

esta foto me lembra um lugar muito perto de onde eu vivia feliz, na Italia!!!
beijosssssssssssssssssssss

Diana Tavares Fotografia disse...

adoro ver essas paisagens:)

Z.M.Z. disse...

O Alentejo está cheio destes fardos...e de outros também.
Já la vai o tempo dos fardos retangulares, embora estes sejam mais bonitos não sei se serão mais económicos em espaço.
Bela foto amigo.
Abraço

Marco C. disse...

isto faz-me lembrar tanto os arredores de minha casa em Porto Covo :)

Breathtaking disse...

This is a splendid photo depicting all the warmth, colour, and pictorial beauty of the Alentejo.
Love it!!

Fatyly disse...

Tenho pena de passar por terrenos que até há bem pouco tempo eram cultivados e depois do verde lindíssimo davam este espectáculo...e agora estão completamente por conta das ervas daninhas.
Uma tristeza e fico feliz por mostrares esta foto de esperança para que Portugal volte a ser o celeiro que era.

Beijos

Ana Flora disse...

Lindo, João! Bom olho ;)
Beijinho*

Eduardo P.L disse...

João,
a Toscana e todas as áreas agricolas da Itália estavam exatamente com essa aparência! Um rolo só!

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Bela foto, uma imagem que me recorda o interior transmontano com o seu ar árido!
Abraço

Mena G disse...

Sente-se o sol abrasador quando se olha para ela...

Isabel disse...

No silêncio morno da tarde
À espera por esse chão
O produto do trabalho
É o fruto, o oiro e o pão.

Muito linda foto
Um beijo e boa semana

ana disse...

João,
Uma bela fotografia, cheia de movimento e ondulação, embora não seja a do mar!
Parabéns. :)
Beijinho! :)

Sandra Rocha disse...

Lindo :) Para os lados de Miranda do Douro também se vêm são imagens fantásticas.
Bjs

Remus disse...

Depende do mar e da areia.
Mas este mar, enrolou muito bem.
E eu também enrolava se andasse em cima desses rolos.
:-P

Ao ver tanta palha, fiquei com fome. Isso quer dizer o quê?
;-)

Anónimo disse...

... mas quando surge uma leve brisa ... o mar ouve-se de mansinho ...e quando a noite cai ... navega-se com o sextante e astrolábio ...
T

FAIRES disse...

Amigo João,Adoro esta imagem.
Tem a força das terras e do povo alentejano.
Revela um calor que só aquelas terras e gentes possuem, e que adquiriram por direito próprio.
Um grande abraço

Fernando Reis disse...

Excelente imagem João. Mais uma "de mestre". Na aridez e na quietude do vazio, uma sugestão de movimento e de uma leve e refrescante brisa ...

Obrigado por todas as visitas ao meu espaço e por todos os comentários, que leio quando tal me é permitido.

Um abraço.

Maria Manuela disse...

... Pois Não!...

Nesta outra forma de mar,
terra arável, plana e quente,
há outro modo de enrolar
e o suor de muita gente!


Tudo muito bem delimitado!
Óptima fotografia!

Um beijo.

João Menéres disse...

TOSSAN

Esquecer o mar ?
-JAMAIS !!!

Tudo se complementa, caríssimo.


Um abraço amigo.

João Menéres disse...

LUÍSA

São pérolas de colar no busto que ao fundo se vê...

( Estou a divagar, descansa ! ).


Um beijo, SENHORA.

João Menéres disse...

MYRA


A Itália tem algumas regiõesalgo parecidas.
Das que conheço, a Toscana é uma delas e o Eduardo, que esteve lá agora, concordou.
( Eu hoje estou super-atrasado ).


Um beijoooooooooo

João Menéres disse...

DIANA


Obrigado pela tua simpatia.

Alentejo em Junho.

Um beijo.

João Menéres disse...

Z. M. Z.

Creio que é a primeira vez que aqui comentas.
Sê bem vinda e volta sempre que te apeteça.

Sobre o espaço : Os novos silos são circulares.
Os novos silo-autos tendem a ser circulares.

Pelo menos para empurrar, são mais práticos, parece.

( Fui espreitar no teu blog. És tão negativista ... A vida continua, acredita. A água só deixa de passar sob as pontes se os nuestros hermanos nos cortassem a passagem. Mas não fazem isso ! Há acordos, lembras-te ?
Nunca ninguém fica com tudo. Mais cedo ou mais tarde, encontras um novo sol para te iluminar e aquecer.

Um beijo.

João Menéres disse...

MARCO

E tem toda a razão !
Não é muito afastado.

Obrigado e um abraço. ( Um beijo á cara-metade ).

João Menéres disse...

BREATHKING

Não deixaste de tocar em nenhum ponto.
Obrigado.

Im beijo.

João Menéres disse...

FATYLY

Não te esqueças que este ano a seca foi geral mas com consequências terríveis para o interior do Alentejo.

Em Junho vim mais junto ao litoral e perdi-me 2 ou 3 vezes. Como tenho a mania que sei tudo de cor e salteado, não ligo o GPS...
Vinha numa boa, numa de descobrir.
Levei quase 12 horas da Rocha ao Porto !

Tinha que trazer dois passaritos, co'os diabos !
E já os apresentei.
Em Abril, por Castro Verde, rende bem mais.

Um beijo.

João Menéres disse...

ANA FLORA

Poucas, mas lindas as tuas palavras !

Obrigado e um beijo.

João Menéres disse...

EDUARDO

Como ?
Um rolo só ?

Explique-se melhor, por favor.

João Menéres disse...

RUI PIRES

Por isso eu gosto tanto do Alentejo como do Nordeste transmontano...

Um abraço grato.

João Menéres disse...

MENA

Tudo muito seco ( e não era a zona pior ) e quentito, mas sem assar.
Pelo menos, naquele dia.

Um beijo amigo.

João Menéres disse...

ISABEL

Obrigado pelo poema.
...e pelo elogio.

Um beijo.

João Menéres disse...

ANA

Há uns rolos que dão dinâmica, na verdade.
E os recortes ao fundo, reforçam. Bem analisado, sim senhor.

Muito obrigado.

Deixo-te um beijo.

João Menéres disse...

SANDRA

Eu disse ao RUI PIRES ( acima um pouco ) que gosto tanto do Alentejo, como do nosso Nordeste, incluindo os seus planaltos.

Os teus mails, ao abrir, remetem-me para o FB e aí pdem-me a password. Nunca sei qual é !...

Um beijo. e obrigado.

João Menéres disse...

REMUS

É o que apetece : rolar, rolar, rolar, sempre !

Deu-lhe fome ?
- Pensou que eram sereias disfarçadas com os seus véus doirados !

Grande abraço.

João Menéres disse...

> T <

Os Reis Magos chegaram lá com a Estrela Polar, lembra-se ?

E aqui, não era uma simples brisa. O vento fazia-se sentir.


Um abraço ( E o seu blogue ? )

João Menéres disse...

FERNANDO ( Em terras de Angola )

Obrigado pelas suas palavras, caro Amigo.

Está tudo a correr bem por aí ?


Um abraço forte.

João Menéres disse...

FERNANDO REIS

Não se preocupe com a falta de oportunidade.
para mim, também está muito difícil corresponder às obrigações.
Não estou no DOCE DESCANSO, mas estou CHEIO DE TRABALHO.

Um abraço.

João Menéres disse...

MARIA MANUELA

Que estupenda Quadra !
MUITO E MUITO OBRIGADO !!!


Um beijo.

Li Ferreira Nhan disse...

Só vi algo assim por terras de Espanha...
E nunca esqueci.
É lindo!
Um beijo querido.

João Menéres disse...

LI

Pois há. E em extensões ainda maiores, não foi ?

Agora, é mais difícil fotografar por não se poder parar nas estradas onde se quer.

Um beijo, querida amiga.

Cristina disse...

João, que bonita é esta imagem!!!
A lembrar o alentejo em pleno!
Os rolos de erva seca, lembram-me ouro :)
Beijinhos

expressodalinha disse...

Os fardos agora são redondos. Um dia as vacasa são quadradas,

AvoGI disse...

o mar enrola na areia e nao na praia hôme de Deus
kis :=)

mfc disse...

Uma quase "corrida" campestre!
Lindíssima foto, João.

Fernando Santos (Chana) disse...

Excelente fotografia de bela paisagem....
Cumprimentos

João Menéres disse...

CRISTINA

Pura verdade !

Um beijo também dourado.

João Menéres disse...

JORGE

E a Terra estoura !

João Menéres disse...

GISELDA

Não entendes nadinha de linguagem poética !
Bem me parecia !

ora bolas !

Mas deixo-te o beijo habitual.

João Menéres disse...

MFC

Só faltam os equinos e quase voltávamos ao Nero !
Um abraço e obrigado.

João Menéres disse...

FERNANDO SANTOS ( CHANA )

Calhou ( como o EXPRESSO DA LINHA costuma dizer )...

Muito grato.

Um abraço.