.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

CLARABÓIA

© João Menéres



PALAVRAS?
NUVENS?
HORAS?

24 comentários:

myra disse...

tudo, mas principalmente outra belisssssima foto!
beijao meu querido amigo Joao!!

João Menéres disse...

MYRA

PALAVRAS - Não faltariam...
NUVENS - Há tão lindas sob um céu AZUL...
HORAS - Nunca são suficientes...

Um beijo, minha Artista Amiga.

Eduardo P.L disse...

Clara Bóia! Como é rica e curiosa a nossa língua!
Forte abraço e parabéns pela imagem e "poema".

Sandra Rocha disse...

Palavras? para quê... esta imagem nem precisa fala por si só :)
Beijinhos e bom fds.

João Menéres disse...

EDUARDO

A sua sensibilidade está super afinada.
Na verdade, essas três simples palavras e os pontos de interrogação constituem, na minha opinião de não-poeta, um longo e, quem sabe, belo poema.Só quem o ler TODO o poderá confirmar (ou não !).

Um abraço.

João Menéres disse...

SANDRA

Agradeço a tua presença.
Estive há poucos anos ali no alto (no tempo da Estalagem), agora um Hotel SPA.
Mas, tive pouca sorte, pois apanhei tempo cinzento e sem grande visibilidade.
Ficou a vontade de voltar, facto que ainda não se verificou.

Um beijo.

m.a. disse...

Bela imagem de uma claraboia ambígua... As mesmas grades que prendem, libertam-nos para o firmamento!

Selena Sartorelo disse...

Olá João.
O tempo marcado e fragmentado.

Linda foto João.

Beijos

BRANCAMAR disse...

Belíssima foto.

Uma clarabóia e o mundo todo lá fora, o céu azul, as nuvens, o silêncio das palavras não ditas... e as horas que queremos aprisionadas para nos espreguiçarmos no tempo.

Uma foto única, marcante!

Parabéns
Beijos
Branca

Luísa disse...

Sempre CLARAMENTE bom nos registos de imagem que nos deixas olhar de perto!
Beijinho terno!

intimidades disse...

Uma proteccao que nos per mite sonhar com a falta de necessdidade de proteccao

A imagem e lindissimas

Beijos

Paula

João Menéres disse...

M.A.

É a maior claraboia que me lembro de ver em Portugal.
A observação PRISÃO x LIBERDADE é muito pertinente.

Agradeço o qualificativo.

Um beijo.

João Menéres disse...

SELENA

Prazer ver-te por aqui !

MARCADO, FRAGMENTADO e ...ORIENTADO!
Diz-me porquê...

Um beijo grande, querida amiga.

João Menéres disse...

BRANCA

Estás a praticar para o dia 28 ?
-Acho muito bem. E vais por bom caminho...
Cobre e ilumina o Pátio das Nações. Um espaço único, tanto pela área, como pela sua beleza.

Obrigado pelas PALAVRAS DITAS COM TEMPO.

Um beijo.

João Menéres disse...

LUÍSA

Estás, por certo, recordada de uma outra imagem feita dos clautros em que mostrava do magnífico pavimento até esta mesma claraboia...
Imagens absolutamente distintas.
A outra exigiu muita técnica e mais de uma hora para ser executada numa máquina de grande formato (o diapositivo tem 13x18 cm !).
Esta agora, foi feita â mão, com a digital e não me levou mais de 30".
Mas os conceitos são totalmente diferentes.
Além disso, já a trazia na mente há muito...
Faltavam umas nuvens assim, apenas.

E aqui fica, para te não esqueceres de lhe dares UM OLHAR DE PERTO !

Um beijo.

João Menéres disse...

PAULA

Tens razão no teu comentário.
Não nos sentimos condicionados tamanha a amplitude.

Obrigado pela tua presença AQUI.

Um beijo.

FAIRES disse...

Linda claraboia...
Linda imagem
Um abraço,

João Menéres disse...

FERNANDO

Obrigado.
Só para a semana conto estar mais disponível.
Tem sido muito difícil, tantos os asuntos e factos que me têm afastado por largas horas daqui.

Um abraço amigo.

expressodalinha disse...

Muito boa.

João Menéres disse...

JORGE

Pois...a claraboia é fantástica!

Mena G disse...

Não sei porquê, mas assustam-me.Prefiro céu aberto mesmo que me "caia em cima".
:)

Selena Sartorelo disse...

Olá João,

"MARCADO, FRAGMENTADO e ...ORIENTADO!
Diz-me porquê..."

Que hei eu dizer... pelas possibilidades que se possa ter mais do que ser.O tempo vivido é pela eternidade capturado.
Saber que a intensidade da partícula em cada sentido dá a dimensão infinita dessa fragmentação.
Esse que passa em tempos intensos e tão diversos, entre fases e gerações silmuntaneamente repete-se o desconhecido. O vento que trás o pensamento deixando marcas nas partículas de cada sentido arbitrado.
Se é livre, é orientado.

Marcado pelas lembranças que o tempo no tráz do passado que a cada piscadela presente notamos diferentes e novas marcas deixadas nelas.

Fragmentado pela distância e semelhança dos sentidos e pensamentos. O universo em constante movimento.
Orientado pela fé. O maior sentimento.

beijos João.

João Menéres disse...

SELENA

Ao teu comentário ( que ENTENDI PERFEITAMENTE ! ) só acrescentei :

" e ORIENTADO".

E AQUI é que eu pedi para me dizeres a razão do meu orientado...

Se reparares, na imagem existem DOIS CATAVENTOS que indicam o NORTE.

Ao teu MARCADO, relacionei o RELÓGIO.
Ao teu FRAGMENTADO, as IMENSAS SECÇÕES da clarabóia.

E totalmente de acordo com tudo o que dizes nest COMENTÁRIO ACIMA.

Aparece no dia 28 !!!!!!!!!!


Um beijo amigo.

João Menéres disse...

MENA

Desculpa ter saltado!

Pois a mim, não me assustam nadinha!
Nem quando o céu despeja contentores de água...

Um beijo.