.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

VOLUTA


© João Menéres






VOLUTA


Não faças versos sobre acontecimentos.
Não há criação nem morte perante a poesia.
Diante dela, a vida é um sol estático
não aquece nem ilumina. 


(Carlos Drummond de Andrade, in Antologia Poética)

26 comentários:

Hellag disse...

a onda celestial...aquela que vence tudo! :)

João Menéres disse...

HELLAH

Maravilhosa leitura!

Um beijo.

Luísa disse...

Dizem que "A poesia é o antídoto da imbecilidade". Então. porque não poetizar sobre a onda do mar que mora no telhado da casa?
Ondula pelas ideias....

Beijinho terno

tonhOliveira disse...



Continuas SURFando...

"Bela construção" em volta da onda azul do JoÃO!

Senti "os pingos das palavras ondulantes" da LUíSA!

Abração!

intimidades disse...

A foto fa-me lembrar uma cadeira onde ja estive sentada, e uma vista para um mar tranquilo, que estou a precisar.

O poema e lindo, nao preciso de disseca-lo em palavras, mas esta foto de uma homenagem feita ao Poeta que o escreveu pareceu-me indicada

http://frasesepensamentos.lisblogs.com/wp-content/uploads/2010/01/carlos-drummond-de-andrade.jpg

Beijos
Paula

momentos disse...

João???? Será para mim que me fala assim???

Amei o Azul...:):) gostei de Drummond...:):)
A imagem sou eu :) a fazer uma vénia,
a tamanha sensibilidade,
a todo este mimo...ao Amor, à Vida...
Não serão versos sobre acontecimentos...
serão beijos sempre ternos e eternos,
ao Sol, ao meu e ao seu dia...
a todo este carinho, esta energia!...

Lisonjeada:):)...embora longe, fez questão de me presentear!
O meu sincero obrigado João! Adorei!

João Menéres disse...

LUÍSA

Falas de poesia.
E tens razão...
Como vês tens aí uma forma que é um ornato. Isto já vem da Antiga Grécia, imagina...e pode ser aplicada em várias situações.
Aí no Minho, por exemplo, não faltam exemplos em solares cujos corrimãos terminam com uma voluta.
E quanta poesia não foi cantada ao fim de cada escada à fidalga casadoira...
Tás a ver?

E voluta é também o labirinto que, num instrumento de sopro, amplia as ondas musicais !
E cá tens por onde ONDULAR !

Um beijo com JUSTIÇA.

João Menéres disse...

TONHO

Por favor lê o que escrevi à LUÍSA, aí mesmo acima.

Tenho a certeza que te sorrirás entre POESIA, FIDALGAS e SOPROS !


Um abraço.

João Menéres disse...

PAULA

E porque não?
Na continuidade do mais acima já escrito, por certo, enquanto te dedicavam uma serenata (já que estavas, junto ao mar na cadeira sentada a ver a ONDA AZUL), em vez da habitual guitarra, era com um clarinete ou um saxifone !).

Um beijo e obrigado pela achega da cadeira.

João Menéres disse...

MOMENTOS

Hoje foi um dia em que espero tenhas tido muitos BONS MOMENTOS.

Hoje não és tu que fazes vénias!
São os que muito te querem e estimam.

Fico bem contente por teres gostado.

Deixo-te um beijo por largos MOMENTOS de alegria.

intimidades disse...

Nunca me cantaram uma serenata, mas se alguem alguma vez tiver essa intansao aconcelho a que lei am o teu comentario, como uma amante de blues ( das 3 da manha) uma serenata com eases instrumentos seri a perfeita.

Quanto ao mar esta com um reflex lindo e prata.

Beijos
Paula

João Menéres disse...

PAULA


Nunquinha mesmo?...

Que gente sem gosto...

Agora, olha para o meu cabeçalho e para a VOLUTA...
Não vês semelhanças?
TUDO AO PÉ DO MAR !
E ambas no Algarve !!!

Um beijo ao jeito de uma serenata...

intimidades disse...

Nunquinha, as pesos agora preferem mandar uma mensagem pelo Facebook, os grandees actos de amor for am derrotados por um sofa, um computador, uma Fraser que diz " What is on your mind".

So agora reparei, o teu cabecalho e a voluta, fantastica semelhanca.
Ah o algarve, tou com saudades de casa, apesar de estar ao pe do mar, o mar de casa e different :) mais 5 Meses e volto ao meu mar

Beijos
Paula

João Menéres disse...

PAULA

Mas essas inovações são de há pouco tempo !
Mesmo assim não há explicação !!!

Agora é tudo fácil e o resultado está à vista...melhor dito : Não se vêm resultados...

Um beijo.

intimidades disse...

Ora pertencemos e geracao rede social, mas nao sei porque gostva de pretender a geracao que socializa:)

Ora mas a solucao e relativamente simples, quango tiver apaixonada agar eu no saxofone e faco uma serenata:)

Beijos
Paula

João Menéres disse...

PAULA

Estás longe, pelo que vejo na escrita.

Vem para a Europa...

Mas a idéia vai endoidecer, podes estar segura!

Um beijo.

intimidades disse...

Mais uns mesinhos e estou de volta.

Um bocadinho e loucura, faz-nos bem a vida

Beijos
Paula

expressodalinha disse...

Uma voluta muito interrogativa como convèm nos tempos q correm.

Sandra disse...

Linda e bela imagem.
Grande poema de Carlos D.
Sandra

Deixei uma perguntinha no postar anterior.

João Menéres disse...

PAULA

Dá-me um toque quando regressares.
Certo?

BjKas.

João Menéres disse...

JORGE

Só interrogações que fizeram que isto demorasse a arrancar..

João Menéres disse...

OI, SANDRA !

Obrigado por teres aparecido !

Tenho andado com o tempo DEMASIADO preenchido.
Mas vai sossegar, espero.

Um beijo grato.

Quase Blog da Li disse...

João,
Magnífica Imagem!
Uma das mais belas!
Parabéns!
um beijo

João Menéres disse...

LI

E nem queiras saber como os COMENTÁRIOS (não me refiro a elogios, obviamente !) custaram a aparecer !!!
Estava muito desiludido, acredita.


Muito obrigado, querida amiga.

Um beijo.

Rute disse...

É dos azuis mais estrondosos que tenho visto!!!
Belíssima imagem, belíssimo quadro :)

1 beijo

João Menéres disse...

RUTE

Muito sensibilizado pela tua apreciação.

Um beijo no meio deste temporal que nos avassala.