.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Tranquilidade

Photobucket

© João Menéres


AMOR COMO EM CASA

Regresso devagar ao teu
sorriso como quem volta a casa. Faço de conta que
não é nada comigo. Distraidíssimo percorro
o caminho familiar da saudade,
pequeninas coisas me prendem,
uma tarde no café, um livro. Devagar
te amo e às vezes depressa,
meu amor, e às vezes faço coisas que não devo,
regresso devagar a tua casa,
compro um livro, entro no
amor como em casa.


(Esta poesia é do meu amigo Manuel António Pina, nascido no
Sabugal em 1943 e a quem, em honra de seus méritos, a Câmara Municipal da Guarda
instituiu esta semana o Prémio literário com o nome deste homem da Cultura)


34 comentários:

Susana A disse...

Às vezes, em dias de luz perfeita e exacta,
Em que as cousas têm toda a realidade que podem ter,
Pergunto a mim próprio devagar
Por que sequer atribuo eu
Beleza às cousas.
Uma flor acaso tem beleza?
Tem beleza acaso um fruto?
Não: têm cor e forma
E existência apenas.
A beleza é o nome de qualquer cousa que não existe
Que eu dou às cousas em troca do agrado que me dão.
Não significa nada.
Então por que digo eu das cousas: são belas?
Sim, mesmo a mim, que vivo só de viver,
Invisíveis, vêm ter comigo as mentiras dos homens
Perante as cousas,
Perante as cousas que simplesmente existem.
Que difícil ser próprio e não ver senão o visível!

Alberto Caeiro, in "O Guardador de Rebanhos - Poema XXVI"

E mais uma vez, o João consegue captar como ninguém essa cor, essa forma, essa existência apenas...

Um grande beijinho,

Susana

Fê-blue bird disse...

Sim, é Tranquilidade a palavra certa para a sua bela fotografia e para o poema a ela adequado.
Que bom começar a semana com uma imagem assim.
Um beijinho

clara disse...

Bela foto.
O Pina também é dos meus preferidas e conto-o entre os meus amigos.
Tem uma sabedoria imensa e conversar com ele, ouvi-lo a contar histórias é encantatório.
Obrigada pela visita.

myra landau disse...

foto como sempre bela e o poema é lindissssssimo,
bjs

angela disse...

Jõao a foto é linda e convidativa á preguiça..rs
O poema é simples e direto´é muito bom amar assim tão tranquilamente, tão desarmadamente.
Beijo

Sandra disse...

Querido amigo João!
Fiquei muito feliz em te ver no meu cantinho que fala de amor..
Amei a sua presença.
Mas, vejo que aqui também tem amor...
"Devagar
te amo e às vezes depressa",
lindo...
Também és um grande inspirador, que deixa o coração falar.
Regressar de volta para casa é tudo de bom...

Quanto a imagem eu lhe agradeço.
Vou levar e colocarei os seus diretos autoras.
Muito obrigada pela sua companhia meu querido.
Sandra

Sandra disse...

Ambas aqui fazem a parceria e compartilham as emoções. Parabéns a vc. e ao seu amigo.
Ficou um lindo poema, para ilustrar com esta bela paisagem.
Se um dia precisares de alguns, é só chegar lá.
Com carinho
Sandra

João Menéres disse...

SUSANA A.

Ainda não agradeci os comentários por ocasião dos 50.000 (não estou esquecido!). e já me brindas com este maravilhoso XXVI poema do GUARDADOR DE REBANHOS ( que se poderia chamar de GUARDADORDE SONHOS).
Uma vez mais, fizeste uma escolha plenamente coroada de sucesso.
Admiro o teu vasto conhecimento poético!
Obrigado por teres trazido esta pérola aqui para o ninho!

Um beijo.

tonhOliveira disse...



Desta tranquilidade EU preciso...

Lindo poema, imagem tranquila como "água de poço"
e nada como uma pescaria para amainar as coisas.

Parabéns João.

João Menéres disse...



Agradeço a amabilidade das tuas palavras.
Esperemos que a semana para todos decorra assim TRANQUILA.

Um beijo.

Georgia disse...

Joao, tudo bem?

Linda imagem acompanhada de um lindo poema.

Boa semana

Abracos

João Menéres disse...

CLARA

A empatia com o MAP brota livremente.

Um beijo.

João Menéres disse...

MYRA

Obrigado pela visita.
E leste o poema que a SUSANA aqui lembrou?

Um beijo.

João Menéres disse...

ANGELA

Como escreveste: "convida à preguiça". E naquela tarde com uma temperatura cálida, nem imaginas o que me apetecia preguiçar!
Mas queria aproveitar para ir a outra localidade para tentar fazer uma outra imagem...

Um beijo.

Céu Vieira disse...

Que foto maravilhosa... pura tranquilidade!
Também gostei muito do poema do seu amigo, gostei muito mesmo!
Parabéns a ambos e agradecida ao João pela partilha
Beijinho e boa semana

João Menéres disse...

SANDRA acima de tudo, o ninho do grifo é onde o amor se abriga à hora que mais lhe aprouver.
Ainda não te tinhas apercebido dessa verdade?

Um beijo.

João Menéres disse...

TONHO

"Que difícil ser próprio e não ver senão o visível !" (ler o comentário da SUSANA A.).
Se estivermos inquietos não deve ser muito fácil darmos conta da tranquilidade quese resptra ao nosso lado.

Um abraço.

João Menéres disse...

GEORGIA

Já estou bem, sim.
O pior é que me anda a dar um pouco de preguiça...

Um beijo e boa semana.

João Menéres disse...

CÉU

O lugar também ajuda, não é?
Tem alguma mística...

Um beijo.

Luísa disse...

Amigo,
que entrada deliciosamente serena!
Entrada preventiva, calma, pensativa e em pleno!
Hoje o poema falou alto e tocou cá dentro.
Adorei a foto.
Beijinho terno!

Menina do mar disse...

Bem... Arrepiei-me até ao tutano... Não conhecia o autor, mas vou-te contar um segredo: só por esta delícia virei fã!
Vou procurar bibliografia e depois conto-te uma história!
MUITO OBRIGADA pela maravilha de partilha, meu Mestre.
Muito obrigada por nos ofereceres mais uma deliciosa imagem daquelas que só quem vê o mundo com a alma consegue captar!
Um beijo daqui, com saudades das que já te disse.

João Menéres disse...

LUÍSA

Tu és uma pessoa de uma enorme sensibilidade.
Ter-te como Amiga é um privilégio.

Um beijo.

João Menéres disse...

MENINA DOS MEUS MARES

Sabes uma coisa engraçada?
Como o Expresso da Linha, tem o curso de Direito mas nunca exerceu...
O MAP fez -me o texto para uma das minhas exposições.
Uma maravilha, como agora mais facilmente podes imaginar.

Fico ansioso por essa história prometida!

Um beijo.

ellen disse...

Lindo poema João e bem escolhido para a imagem...

e,
obrigada pelas suas palavras sempre tão amáveis nos meus postes, mas estas suas no meu penúltimo post foram mais fortes!

Beijinho até si

João Menéres disse...

ELLEN

Tu compreendes que eu não consigo ir mais vezes aos blogues.
Passo por muitos e não deixo rasto.
Se algo me prende como roupa no varal, encosto à berma e namoro para quem está naquela janela.
Acho que temos uma relação distante mas bem estacada.

Um beijo.

Zaclis Veiga disse...

A foto é um poema e ambos, foto e poema, são lindos.

Selena Sartorelo disse...

Olá João

Já andei por aqui e deixei meu comentário mas acho que fui boicotada por essa maquininha que ainda não entendo bem.
Enfim!!!! Teu céu foi riscado pelo dedão de Deus que acordou inspirado e você com teus olhos registra esse momento eternizando-o simplesmente com as palavras do poeta e um olhar que é só teu. Deus pintou, poeta escreveu e tua câmera registou...o que chamo de um bom trabalho em equipe rsrsr.

beijos,

Selena Sartorelo disse...

Ah perdão..comentei na foto errada!!

Ana disse...

Uma maravilhosa imagem associada a um belíssimo poema. Adorei!!!
Beijinhos

João Menéres disse...

ZACLIS

Então, temos dois poemas lindos, segundo teu parecer.
Sorte a minha ter visitantes assim bondosos!

Um beijo.

João Menéres disse...

SELENA

Vou comentar no sítio da imagem.
Certo?

Um beijo.

João Menéres disse...

ANA

Falas com conhecimento do local, não é?

Obrigado e um beijo.

Helena Oneto disse...

Harmonia na natureza e paz na alma...

João Menéres disse...

HELENA

Há que tempos !!!...

Obrigado e um beijo assim mesmo.