.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

TEXTURAS

Photobucket

© João Menéres

O  QUE  PROPORCIONA  UM  PLÁTANO...

entremares disse...

Sim... verde, azul, cinzento.
E o cinzento bem tenta, nas não adere, o verde rasga-lhe as entranhas e 

espreita o sol.

O azul, paciente, espera.

As sombras... essas disfarçam e trocam segredos sobre quem passa.


(Uma vénia ao ROLANDO PALMA, por ter isto escrito no seu comentário

a esta imagem. Um obrigado bem sentido!)

45 comentários:

Luísa disse...

...humidade, ereosão, deterioração!
Efeitos do tempo no chão!
São sinais de vida em transformação
Motivo para elevar a imaginação!

Liquenes, fungos e bactérias
proliferam na pedra molhada
São motivo, são matéria
são vida já modificada!


Beijinho terno!

missixty disse...

Imagina o que uma simples árvore proporciona, o que não proporcionarão uma data delas! E ainda acham que desimar os espaços verdes, é coisa de pouca monta!
Não me tens vindo visitar e tenho lá um artigo muito interessante que tem sido muito apreciado! Não me digas que és um troglodita, devorador insaciável de carne?
Bela textura!

Eduardo P.L disse...

Imagens vistas do satélite!!!!

Chica disse...

Que lindo,João e teu olhar inspirado sobre elas valeu muito! abração,chica

João Menéres disse...

LUÍSA

Palavras inspiradas por uma alma de poeta.
Como te agradeço !

Um beijo.

João Menéres disse...

MISSIXTY

Comentei a tua anterior postagem.
Pelos vistos, não te saltou aos olhos...
Ainda não tive oportunidade de ver esta última.
Mas lá chegarei...no meu passo lento.
Tenho problemas no Microsoft Entourage que me estão a consumir a paciência.

Um beijo.

João Menéres disse...

EDUARDO

O grifo plana, plana...

Um abraço.

João Menéres disse...

CHICA

Muito agradeço as tuas palavras e as visitas frequentes.

Um beijo.

expressodalinha disse...

Umá betuminosa lancerante que pode perfeitamente ser o entrefolho de um boi!...

myra disse...

mas voce me deixa sempre de boca aberta pela beleza de tuas fotos!
tantos beijos, meu querido Joao

João Menéres disse...

Bem adequada para o MUSEU DE ARTE CONTEMPORÂNEA, de Serralves, nos jardins do qual foi realizada.
Pena o JP não ser o Director...

Um abraço.

João Menéres disse...

MYRA

Como vês, plano...sempre plano...
Olhos abertos é o que é necessário...

Acho que as sombras na parte superior emprestam um ambiente pictórico...

Muita bondade está nas tuas palavras!

Um beijo, querida amiga.

Lília disse...

Pinturas rupestres...

Mais Importante: a partilha de um olhar criativo que capta e puxa por nós! Grata pela partilha!

João Menéres disse...

LÍLIA

Já tinha saiudades de te receber!
Obrigado pelo teu comentário.
Pinturas rupestres?
É uma questão interpretativa.

Um beijo.

angela disse...

Linda foto, cheia de texturas e sombras que transformam em vida o cimento frio.
beijos

João Menéres disse...

ANGELA

O que é um plátano, sabes?

Um beijo.

entremares disse...

Sim... verde, azul, cinzento.
E o cinzento bem tenta, nas não adere, o verde rasga-lhe as entranhas e espreita o sol.
O azul, paciente, espera.

As sombras... essas disfarçam e trocam segredos sobre quem passa.

Um abraço, João.
Rolando

Sandra Rocha disse...

Fantástica, fez-me lembrar o blog da L. Reis :)
Beijinho.

Nívea disse...

Sensibilidade que seus olhos têm e nos trasmite tão bem.

É mais do que olhar, é ver e reparar. Como bem traz uma contracapa de Saramago.


Abraço forte João!

Nívea

João Menéres disse...

ROLANDO

Muito agradeço a sua interpretação literário-poética!
Ficava muito bem como suporte da imagem.
Vou tentar, posso?

Um abraço amigo.

João Menéres disse...

SANDRA

Espero que a L.REIS não se sinta ofendida...rrrsss

Mas há, por vezes, certas identidades...
Estou muito contente com este teu comentário.

Um beijo amigo.

João Menéres disse...

NÍVEA

Se as árvores oscilam quando o vento as afaga, porque não poderás ter tu o mesmo direito quando alguma coisa te toca?

Um beijo amigo.

Selena Sartorelo disse...

João,

Tua imagem emociona pela frieza que consigo trás...Reflexos escritos com a sensibilidade que o poeta tem.
Rolando com os olhos
bondosos demais
para serem frios.

Parabéns meus amigos poetas.

João Menéres disse...

SELENA

Obrigado por tanta generosidade!
Um beijo.

angela disse...

É uma árvore que no outono suas folhas vão ficando acastanhadas e por fim caem. Uma árvore grande que faz sombra até perder suas folhas.
Estou certa?

luís filipe pereira disse...

Belíssima a imagem: textura que se prolonga ao longo da porosidade de uma paciência azul arborescendo no texto.

luís filipe pereira

João Menéres disse...

ANGELA

Mais que certa.
Certíssima!
Na quinta, tenho vários plátanos por onda a vinha trepa.
É a chamada VINHA DE ENFORCADO.

Um beijo.

Elaine Barnes disse...

Amigo, vim mais uma vez agradecer sua presença no aniversário e pelos amigos que enviou a festa, Obrigada por tudo! A imagem do plátano é belíssima e me vi como criança a procurar coisas, vi dois olhos naquela sombra a observar uma estrela caida no chão. Adorei! bjão

João Menéres disse...

LUIS FILIPE PEREIRA

Como pode imaginar, é um prazer ter aqui no GRIFO PLANANTE um comentário de sua autoria! :

>textura que se prolonga ao longo da porosidade de uma paciência azul arborescendo no texto.<

Abraço agradecido.

Jorge C. Reis disse...

Olhar de artista.

angela disse...

Vinha de enforcado! Apaixonei-me por este nome.
beijos

João Menéres disse...

ELAINE

E são mesmo!
Um piscou-me o olho e eu acordei de um cansaço não sentido.
Lindo o teu comentário, Elaine!

Nada tens que agradecer. Fiz por e com muito gosto.

Um beijo.

Fernanda disse...

Olá amigo João,

Tinha que ser do Museu de Serralves.

Maravilhoso trabalho.
Parabéns.

João Menéres disse...



Eu também leio QUASE TODOS os Comentários!
É uma das razões porque o tempo rara...

O trabalho foi da mãe natureza...

Um beijo agradecido.

ruimnm disse...

A fotografia também é assim: palpável.

João Menéres disse...

JORGE C. REIS

Peço desculpa de ter saltado involuntariamente.

Muito agradeço o seu qualificativo.

Um abraço.

João Menéres disse...

ANGELA

Segue mais informação...

Uveiras

A forma de instalação de vinha mais famosa e ancestral na região dos vinhos verdes é a uveira, ou vinha de enforcado. Junto a uma árvore, um castanheiro, um choupo ou um plátano plantam-se de uma a quatro videiras que se deixam crescer livremente, entrelaçando-se com os ramos da árvore de suporte (que são violentamente podadas para dar maior relevo à videira). Estas videiras podem atingir enormes proporções. Não exigem espaço nem adubação próprios, satisfazem-se muitas vezes com podas ano sim, ano não, e ainda por cima cada pé pode produzir vários cestos de uvas.

Um beijo.

João Menéres disse...

RUIMNM

Quem lê bem, sabe bem escrever.

Obrigado e um abraço.

angela disse...

Apaixonei de vez...rs guardei suas explicações.
Obrigada pelas informações;
beijos

João Menéres disse...

ANGELA

Será sempre um prazer!

Um beijo.

ellen disse...

O velho torna-se belo :) velha parede escamada e de plátano com belo poema...

Bjinho

mario nelson disse...

um belissimo poema
e um belo platano(dos poucos que ainda existem)
eis a conjugação perfeita e uma simbioze perfeita das suas cores
e nas suas palavras...




rz trz rzrzrz

mais um post para ,,,...
está lá quase nos 45.000.


s.d.s
mario nelson

João Menéres disse...

ELLEN

Desculpa o atraso do agradecimento...

Gostei do teu comentário. Muito!

Um beijo.

João Menéres disse...

MÁRIO NELSON

Curiosas palavras e sons.

Para os 45.000 ainda falta um naco bom.
A meta são os 50.000...(uma série de nacos).

Obrigado.

Um abraço.

Marco C. disse...

:/ mas as tais imagens que mencionou no comentário no "shoot me", foram já removidas aqui do blog, amigo João?