.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

MAR

Photobucket

© João Menéres



MAR DE SETEMBRO

                                                               Tudo era claro:
                                                               céu, lábios, areias.
                                                               O mar estava perto,
                                                               fremente de espumas.
                                                               Corpos ou ondas:
                                                               iam, vinham, iam,
                                                               dóceis, leves -- só
                                                               ritmo e brancura.
                                                               Felizes, cantam;
                                                               serenos, dormem;
                                                               despertos, amam,
                                                               exaltam o silêncio.

                                                      
                                                                                             Tudo era claro,
                                                                jovem, alado.
                                                               O mar estava perto.
                                                               Puríssimo. Doirado.


( Eugénio de Andrade, 1923- 2005, in O Mar de Setembro/1961)

30 comentários:

Menina do mar disse...

Perfeito!
Adoro Eugénio de Andrade!

jugioli disse...

Poetas reunidos aqui: aquele que fotografou, escreveu, e nos ofereceu belezas.

bjs.

Ana disse...

Magnífica imagem!!! Tão perfeita e tão transparente!!!
O poema de Eugénio de Andrade de Mar de Setembro é adequado à imagem. Tenho fotos que tirei em Setembro, em Albufeira, de um mar lindo, bem sereno e transparente:-))
Adorei!!!
Continuação de uma semana linda nesta época natalícia.
Beijinhos grandes,
Ana Paula

entremares disse...

Sim, o mar.
E os ventos, como as marés,
empurram o olhar.
Os sonhos não se sonham, acontecem.
A espuma os trás, a espuma os leva.
Fica a areia molhada
talvez uma concha aberta
uma pedra fora do lugar.
O mar os tráz, o mar os leva.

Pescador, onde estás?


Um abraço, amigo João.
Rolando

PS- O ENTREMARES mudou de paragens, a propósito.

Anónimo disse...

E nas águas cintilantes riam entre salpicos de felicidade ... e foi ... e será sempre entre essas águas crista...lina... s que entre marés de ondas de enlevo se voltam a reencontrar ...
T

Luísa disse...

Mar acolhedor, este teu mar!
Mar convidativo a molhar os pés entre passos seguros sobre rochas!
Doirado Mar!

Belo instante de foto!
Belo momento de água...

Nada surpreendida pelo bom gosto do que apanhas, desde a imagem ao belíssimo poema!
Beijinho terno!

missixty disse...

Pode ser acolhedor, mas não dá para nadar. Eu sei nadar e gosto de ficar a boiar, a olhar o céu! Aí arranhava-me toda! Mas no poema diz que "tudo era claro", quer dizer que se via o fundo, daí a escolha desta foto!
BOA COMPOSIÇÃO!

angela disse...

Que foto! Fico encantada olhando para ela, tão linda e tão forte, esse mar é forte, pode ser claro mas é magestoso.
beijos

Regina d'Ávila disse...

Uma foto que encanta e faz sonhar.
Transparente como as palavras...
Lindo poema..
Doces beijos,
Regina d'Ávila.

ellen disse...

O MAR é meu amigo, ele me acalma :)

Adorei a foto... e o poema!

Beijinho

vou estar 2 fds provavelmente muito ocupada e fora :)
não são os 15 dias :)

Silenciosamente ouvindo... disse...

Setembro é o meu mês.Também gosto
muito de Eugénio de Andrade.
Posso pedir-lhe um favor?
É Natal, podia colocar aqui uma
foto sua e oferecê-la a todos nós.
Assim todos nós (um a um) a iríamos
colocar no n/blogue com referência
a si e ao seu blogue. E o nosso
blogue ficaria mais enriquecido
com a sua foto. Era a prenda de
Natal que eu lhe pedia.
Bj./Irene

Lídia Borges disse...

Eugénio de Andrade... "rente ao dizer" tão perto do meu sentir.

Obrigada!

João Menéres disse...

MENINA

Não és só tu, como verás...

Um beijo.

João Menéres disse...

JUGIOLI

Estou inchado!!!

Obrigado.

Um beijo.

Lília disse...

O mar, um refúgio a lembrar-nos a grandeza da vida.

E, nada de ficar inchado, pois é merecido, hahaha

um beijinho

João Menéres disse...

ANA

Esta foi nos princípios de Setembro, na Praiinha.
Todo o Agosto , Setembro e princípios de Outubro foram dias de excepção contínua!

Um beijo.

João Menéres disse...

ROLANDO

Agradeço tão belo poema!
Posso guardá-lo?
Quem sabe se não há outro Setembro?...
Ainda vamos em Dezembro...

Por onde anda agora?
Não percebi bem a informação...

Um abraço com admiração.

João Menéres disse...

>> T <<

Qual a rocha que o AZULIN não inunda?
Como digo na ETIQUETA: MARES E MARÉS.

Um abraço.

NOTA: Preciso do e-mail ...

João Menéres disse...

LUÍSA

Aparências!
São muito escorregadias. Exigem extremo cuidado.
O cuidado que procuro ter na selecção de autores e das suas poesias.

Obrigado, como sempre, pelas tuas palavras.

Um beijo.

João Menéres disse...

MISSIXTY

Dez metros ao lado, boiavas tranquila.

Um beijo.

João Menéres disse...

ANGELA

É um recanto de uma praia.
Aqui, rochas e algas.
Logo ali, terás águas serenas em dias de não marés vivas.

Um beijo.

João Menéres disse...

QUEEN

Como escreveu o E.A:

CORPOS OU ONDAS:
IAM, VINHAM,IAM

Um beijo pela tua transparência.

João Menéres disse...

ELLEN

Se a ti o MAR te acalma, a mim, a sua ausência, não me encontra.

Um beijo.

João Menéres disse...

SILENCIOSAMENTE...IRENE, OUVINDO

Respondi por mail.
Perguntei tendo aqui a resposta no fim...

Obrigado e um beijo.

João Menéres disse...

LÍDIA

Porque não abriste a janela para SEGUIDORES nas SEARAS?

Um beijo grato.

João Menéres disse...

LÍLIA

Ai isso é que é!

E muito...

Um beijo também assim.

mario nelson disse...

o mar aqui tão perto e eu tão longe...


logo o mar que tanto respeito
o mar dos meus encantos
o mar onde mora a outra parte de mim

sitio repleto de segredos
alguns misterios até
planicie de grandes correntes onde os mais fortes se aventuram
até lugar sem fim...


mario nelson

tonhOliveira disse...



MARavilha!

Abraços!

João Menéres disse...

MÁRIO NELSON

Com enorme satisfação, confirmo o que suspeitava.
Uma veia poética sem fim que mora em si!
É um prazer redescobri-lo!!!

Muito grato pelo tempo e Amizade sempre manifestados.

Um abraço.

João Menéres disse...

TONHO

Sempre com as suas criatividades na ponta dos dedos vinda da sua genialidade:

Um abraço.