.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

GRAFISMO

Photobucket
@ João Menéres

AS MINHAS ASAS

(excerto)

Eu tinha umas asas brancas,
Asas que um anjo me deu,
Que, em me eu cansando da terra,
Batia-as, voava ao céu.
-Eram brancas, brancas, brancas,
Como as do anjo que mas deu:
Eu inocente como elas,
Por isso voava ao céu.

(Almeida Garrett | 1799-1854)

30 comentários:

Luísa disse...

Que maravilha!
Podes emprestar essas asas?
Quem me dera voar ao céu e fazer piruetas acrobáticas!
Deve ser delicioso poder levantar voo e andar lá por cima.
Almeida Garrett esteve muito bem neste voo de palavras!
Foi um voo inpirado pelos anjos, talvez!

Beijinho terno, SENHOR!
As tuas fotos são fantásticas, como sabes!

Ana disse...

ADOREI!!!

Tanto o maravilhoso "excerto" de "As Minhas Asas" de Almeida Garrett com as tuas "asas" que registaste num céu muito azul e muito belo. Magnífica imagem!!!
Beijinhos,
Ana Paula

Giselle Costa disse...

Lindissimo !! Parabéns pela fotografia.

marcia disse...

Oi,
Parabéns pelas belas fotos! Amei também o excerto do poema do Carret!
Meu marido também é do Porto, sou brasileira e vivemos na Alemanha -que mistura nao é?
Abracos,
Márcia

Eduardo P.L disse...

Só voa quem tem asas! As brancas são dos anjos!

myra disse...

joao, que fotO!!! como conseguiu? incrivel! bellisssssssima, beijos com muito carinho e obvio un grande aplauso:)

angela disse...

Combinou tão bem a foto e o poema.
Crianças inocentes olhando o céu.
Sabe que este ceu que fica tão marcado pela passagem de um avião só o vi por ai. Aqui abaixo do equador não ficam nitidas e as vezes nem aparecem.
beijos

myra disse...

meu querido amigo, acabo de ver tuas fotos de 2008,dezembro, tuas viagens, que maravilha de imagens!!!!ADOREI!!!!!
muitos abraços com muiiitos aplausos!!!

Menina do mar disse...

PEFREITO!
O nosso Almeida foi de facto genial, quanto ao voo... bem, não posso com alturas ... tenho vertigens!
Mas a imagem não deixa de ser LINDA!

Quase Blog da Li disse...

Garret sempre tão bom de ler!

Parece quando pequenos e vamos com o indicador desenhar nos vidros embaçados.
Essa tua imagem remete à infancia.
Linda!
hoje beijos de criança pra ti

ellen disse...

Poema bem escolhido...aliás, como todos !!!
Gostei do conjunto.

Beijinho

Helena Oneto disse...

João,
Sou eu a aterrar! levo comigo Paris inteiro para ver esse mar...

mario nelson disse...

Amigo João.
se CAPELO GAIVOTA vir esta imagem...pode plagiar para um livro futuro.
por vezes registar "patentes" é uma salvaguarda...
a sensação de liberdade expressa nesta imagem, é na realidade uma delicia...mas nada comparada(na minha modesta opinião)uma outra liberdade...velejar.
bem haja pelos magnificos enquadramentos fotográficos.

se me é permitida uma outra "coisa"...na passada 4ª feira e enquanto estava numa tertulia de amigos e num intervalo de "dissertações poeticas" falei do seu blog..
Carlos Romão(blog cidade surprendente)
conheçe bem a sua obra e nutre uma grande admiração...muito mau se assim não fosse!!!


http://cidadesurpreendente.blogspot.com/



SDS
mario nelson

Maria Augusta disse...

João, dá vontade de vestir estas asas brancas do poema e seguir este "pássaro" que voa livre no céu.
A foto é magnífica e o poema perfeito para ela. Que lindo post!
Abraços e um bom fim de semana para você.

Carmem Salazar disse...

linda imagem, João... tenho uma semelhante no meu poema "blue dream".

bjs

João Menéres disse...

LUÍSA

Piruetas - acrobáticas ou não - é o que mais faço todos os dias !!!
Umas, quando me deparo com a minha ignorância para fazer aqui no blog qualquer coisa básica e não chego lá, por mais tentativas ou esforços mentais que faça.
Não há dúvida, não nasci para isto (ou nasci muitas décadas antes).

Outras, quando preciso que o tempo estique, para ser mais pronto nos agradecimentos que são devidos aos meus muito amáveis e generosos comentaristas, e não encontro maneira de ele ceder às minhas solicitações.

Um beijo, querida Luísa.

João Menéres disse...

ANA

É só estar atento...para tudo olhar com mil olhos despertos...

Obrigado pelas palavras elogiosas.

Um beijo (estou morto por ver a tua próxima escapadela por aí...deves andar à procura do nome da rua que te pedi... RsRsRs...).

João Menéres disse...

GISELLE

Também te agradeço a simpatia das palavras ( e as visitas SEMPRE!).

Um beijo.

João Menéres disse...

MARCIA

Numa altura em que se não falava em globalização, ela já há séculos era praticada.
É tudo uma questão de terminologia!
Quando das Cruzadas, o que eram, no fundo?
Quando das colonizações,o que eram, no fundo?
E as Explorações,no fundo, que eram?
E as Viagens no Espaço?

Coincidência o teu marido ser portuense...
Meu bisavô materno ( de apelido Hansch) era alemão. Formou-se em Engenharia (Caminhos de Ferro) na Universidade deDresden.
Veio a Portugal e travou-se de amores com a minha bisavó ( de apelido Maciel), com quem casou.
No Brasil, foi o projectista de uma linha de caminho de ferro (pelo menos). Neste momento, não posso precisar mais. Um irmão meu (o único vivo que tenho) é que tem documentação valiosa.
Eu costumo trocar os factos reais e, desta vez, não quero fazer mais "cruzamentos", para evitar um descarrilamento...

Obrigado pela tua presença neste ninho do grifo.

Um beijo.

João Menéres disse...

EDUARDO

Eu voo muitas vezes!
Mas, nesses voos, as asas não são minhas...
Com as minhas (e não sei se são brancas!) só em sonhos.
Em muitos sonhos.

Um abraço com asas de muitas cores.

João Menéres disse...

MYRA

Fico muito contente por teres gostado!

Como acima digo ao EDUARDO, eu também voo...não só em helicóptero, como nas carreiras comerciais.
Mas, ESSENCIALMENTE, em SONHO, em muitos SONHOS que ainda tenho para VIVER O DIA DE AMANHÃ!

Um beijo de Amigo.

João Menéres disse...

ANGELA

Esses rastos de voos físicos observam-se se o vento não os desfizer...
É como construir castelos no ar...
Ou castelos sem alicerces firmes.
Uma poesia é sempre uma boa raiz para os mantermos.

Um beijo e obrigado.

João Menéres disse...

MYRA

Então visionáste um cheirinho do nosso Cruzeiro?
Viste a estrelícia em grande plano?
É uma linda flor, muito estética!

Beijos neste Sábado.

João Menéres disse...

MENINA DOS MEUS MARES E DOS MEUS ARES

Vertigens?
Já experimentaste voar?
É algo de maravilhoso!
Até te passavam as vertigens!!!

Um beijo.

João Menéres disse...

ELIANA

Teres-te lembrado dos desenhos de crianças feitos em vidraças embaciadas...
Mesmo depois de se dissiparem, as marcas perduram até que os vidros sejam limpos...
Fiz vários nessa altura. Ainda me lembro!
Quase sempre rabiscava caras ou pessoas...
O meu jeito para o desenho ficou-se por essas manifestações efémeras !...
Hoje, procuro desenhar com a câmera. Sempre perduram mais !

Um beijo.

João Menéres disse...

ELLEN

Obrigado. Sempre presente nos comentários...
Como te agradecer?

Um beijo.

João Menéres disse...

HELENA

É preciso ter em atenção as indicações provenientes da torre de controle!
Mas, para amarar, também é necessário saber se as condições do mar o permitem. E, agora, não é aconselhável.
Uma sugestão : PLANA... (como este grifo!).

Um beijo.

João Menéres disse...

MÁRIO NELSON

As imagens que aqui apresento leval o ©.
Abusos estão sujeitos a processo crime, como sabe.

Tudo, mais tarde ou mais cedo, se descobre...

Quanto ao CARLOS ROMÃO, também eu admiro a qualidade do trabalho dele.
E ele sabe disso!
E tenho muita simpatia por ele!

Dois abraços (um para si, outro para ele).

NOTA: Não sei se já teve a oportunidade de ver quanto útil foi a sua observação relativa ao Farol de Felgueiras...
Já dei a César o que a César pertencia.

João Menéres disse...

MARIA AUGUSTA

Desvanecido com as tuas palavras !

Um beijo agradecido.

João Menéres disse...

CARMEM

Fui à procura no teu blogue, mas não encontrei.
Diz-me a data, por favor.
Estou cheio de curiosidade!!!

Um beijo.