.

quarta-feira, 24 de junho de 2009

D. JOÃO VI

Photobucket
© João Menéres

A ESTÁTUA EQUESTRE DE D. JOÃO VI

Esta estátua está implantada na Praça Gonçalves Zarco,
no extremo ocidental da Avenida da Boavista, a 50 metros
do Oceano Atlântico.
D. João VI, que por causa das Invasões Francesas, levou a
corte para o Rio de Janeiro, onde esteve catorze anos,
regressou a Portugal em 1821.
No Brasil ficara o seu filho D. Pedro, de espírito liberal e
já influenciado pela cultura da elite política brasileira.
Entretanto, por dificuldades políticas no reino,
D. João VI, que já retirara mordomias ao Brasil,
escreve uma carta ao seu herdeiro, ordenando o seu regresso.
Esta carta, recebida por D. Pedro, junto do Rio Ipiranga, a
7 de Setembro de 1822, provoca no príncipe uma forte
reacção. Logo afirma não regressar e é nessa ocasião
que a plenos pulmões proclama a independência do Brasil.
Quando o Rei D. João VI morre em 1826 ainda sonhava
com a reunião dos dois países na forma de um só soberano.

Por isso, esta estátua está voltada exactamente para o Rio de Janeiro !
Ao passar junto a ela, e quem souber deste pormenor,
não deixará de pensar nesse grandioso país
donde tantas riquezas vieram e onde tantas raízes deixámos,
hoje transformadas em tantas e tão sinceras
relações de amizade.

19 comentários:

Maria Augusta disse...

João, que beleza de postagem e de mensagem! Raramente se criam laços de amizade entre ex-colonizados e colonizadores, mas este carinho entre portugueses e brasileiros é uma feliz exceção, uma das riquezas que Portugal nos legou, assim como uma nação unificada e multi-racial. E d. João VI teve um papel importantíssimo nesta elevação do Brasil da condição de colônia à de nação.
Um abração e um bom dia para você.

entremares disse...

Plagiando alguém muito famoso:

" Eu tenho um sonho..."

Mas é verdade. Gostava de acreditar que um dia, todos os recantos onde se fala a lingua comum de Camões pudessem caminhar de novo juntos, não sob a forma de um império, mas antes como a união de muitas familias, unidos em busca do bem comum.
Não me interessa sequer o nome que teria tal " império da lingua ". Mas sinto que, lá no fundo, muitos também o desejam, tal como eu.

Como é que diz aquela canção?

" Minha pátria é minha lingua... "

Um grande abraço, caro João.

João Menéres disse...

MARIA AUGUSTA

Tal a força dessa espontânea relação de amizade entre brasileiros e portugueses que nem precisava de evocar D. João VI e o seu sonho.
As graças que os brasileiros contam dos portugueses, correspondem às mesmas que, entre nós, podemos contar dos alentejanos, ou os lisboetas dos portuenses. São graças que, na maioria dos casos, o tempo já diluiu, mas que a "tradição" manda que se repitam ou se renovem...
Como a Rainha Santa Isabel, eu diria "São rosas..."

Um beijo.

João Menéres disse...

ENTREMARES

Como Fernando Pessoa, direi que a Língua é o principal. É fundamental a sua preservação.
E não me parece que este último acordo, ao contrário da douta opinião dos sábios legisladores, favoreça seja o que for.
Se vocábulos teem tão diferentes significados em dois países, qual o interesse em impor que na lingua mater se altere a grafia de outras?

Um abraço com toda a amizade.

expressodalinha disse...

D. João VI foi um rei apatetado que só fez patetices a vida toda. Dominado pela mulher e pelas intrigas, acbou em fuga precipitada e caótica para o Brasil. Depois andou de trás para a frente a gerir dois irmãos opostos, sem nunca tomar uma posição de força. Um débil e indeciso. Um rei fora do seu tempo e do seu país. Nem se percebe porque tem estátua!

João Menéres disse...

EXPRESSODALINHA

De acordo.
A estátua?
-Talvez por esse sonho. Os sonhos com que Portugal sempre se debateu...

Um abraço.
(Até ao dia 5 ou 6).

Selena Sartorelo disse...

Olá João...Meu querido amigo, pois sinto que posso chamá-lo assim. Coisas lindas e sinceras foram ditas aqui pela Maria Augusta e entremares,o Jorge claro, não poderia ser diferente (não que descorde totalmente dele,infelizmente a história aqui não é ensinada com essa beleza rsrsr).

"minha pátria é minha lingua", e quando ela é bem dita, não importa o idioma que se fale.

beijos a todos,

João Menéres disse...

SELENA SARTORELO

É um prazer ter-te por aqui.
Muita coisa em comum entre nós os dois, não é?

Ainda estou nos ouvidos com o estourar dos foguetes ou do seu silvar!

Beijo grande, querida Selena.

Céu Vieira disse...

É verdade João, estou em falta consigo e com quase todos os amigos blogueiros, mas é assim, para fazer umas coisas tenho de deixar outras para trás!...Mas venho sempre pôr o olho, só que para comentar é preciso mais tempo! Mas pronto, cá estou!... Obrigada pelas suas visitas e tão simpáticos comentários no meu blog!...Agora também me deu para a fotomania e pronto, lá vou fazendo uns registozitos...até tenho gostado muito da experiência, só os noturnos é que me deram muito trabalho e desanimei, nem com tripé, nem sem tripé, não me volto a meter nessa,(e daí não sei).
Está excelente esta sua foto e a informação acerca de D. JoãoVI!
Sabia que hoje dia 24-6-2009 fazia 900 anos D. Afonso Henriques? Ouvi hoje de manhã na televisão.
Bem, ou há-de ser tudo ou nada, não é?
Beijinhos amigo João
Tenha uma boa tarde

tonhOliveira disse...

Obrigado João por recordar a história!
Somos irmãos e amigos!

...............
Língua
Caetano Veloso

Gosto de sentir a minha língua roçar
A língua de Luís de Camões
Gosto de ser e de estar
E quero me dedicar
A criar confusões de prosódia
E um profusão de paródias
Que encurtem dores
E furtem cores como camaleões
Gosto do Pessoa na pessoa
Da rosa no Rosa
E sei que a poesia está para a prosa
Assim como o amor está para a amizade
E quem há de negar que esta lhe é superior
E quem há de negar que esta lhe é superior
E deixa os portugais morrerem à míngua
Minha pátria é minha língua
Fala Mangueira
Fala!
Flor do Lácio Sambódromo
Lusamérica latim em pó
O que quer
o que pode
Esta língua
(3X)


Vamos atentar para a sintaxe paulista
E o falso inglês relax dos surfistas
Sejamos imperialistas
Cadê? Sejamos imperialistas
Vamos na velô da dicção choo de Carmem Miranda
E que o Chico Buarque de Hollanda nos resgate
E Xeque-mate, explique-nos Luanda
Ouçamos com atenção os deles e os delas da TV Globo
Sejamos o lobo do lobo do homem
Sejamos o lobo do lobo do homem
Adoro nomes
Nomes em ã
De coisa como rã e ímã...
Nomes de nomes como Scarlet Moon Chevalier
Glauco Mattoso e Arrigo Barnabé, Maria da Fé
Arrigo Barnabé

Incrível
É melhor fazer uma canção
Está provado que só é possível filosofar em alemão
Se você tem uma idéia incrível
É melhor fazer uma canção
Está provado que só é possível
Filosofar em alemão
Blitz quer dizer corisco
Hollywood quer dizer Azevedo
E o recôncavo, e o recôncavo, e o recôncavo
Meu medo!

A língua é minha Pátria
eu não tenho Pátria: tenho mátria
Eu quero frátria

Poesia concreta e prosa caótica
Ótica futura
Samba-rap, chic-left com banana
Será que ele está no Pão de Açúcar
Tá craude brô, você e tu lhe amo
Qué que'u faço, nego?
Bote ligeiro
arigatô,arigatô
Nós canto falamos como quem inveja negros
Que sofrem horrores no Gueto do Harlem
Livros, discos, vídeos à mancheia
E deixa que digam, que pensem,que falem.

Olavo disse...

Uma bela postagem..
e percebesse que a escreveu a pleno sentimento.
Abraços

Selena Sartorelo disse...

Tonho!!!!!!!
Composição: Marisa Monte / Moraes Moreira

Ando por aí querendo te encontrar
Em cada esquina paro em cada olhar
Deixo a tristeza e trago a esperança em seu lugar
Que o nosso amor pra sempre viva
Minha dádiva
Quero poder jurar que essa paixão jamais será

Palavras apenas
Palavras pequenas
Palavras

Ando por aí querendo te encontrar
Em cada esquina paro em cada olhar
Deixo a tristeza e trago a esperança em seu lugar
Que o nosso amor pra sempre viva
Minha dádiva
Quero poder jurar que essa paixão jamais será

Palavras apenas
Palavras pequenas
Palavras, momento

Palavras, palavras
Palavras, palavras
Palavras ao vento...


êita Tonho..que esses recados cantados são muito bonsssssss...

beijos,

Regina d'Ávila disse...

Que encanto..que amor..
Linda declaração ao nosso querido Brasil..
Super beijossssssssssss

Selena Sartorelo disse...

João perdoe-me a invasão, mas empolguei-me com as letras das nossas músicas que o Tonho postou e essa música é de uma interprete que gosto muito, pois ela cantava com muito sentimento e uma voz única, Cássia Eller...acabei postando a letra aqui para brincar com Tonho.

Beijos, João , Tonho e todos.

Luísa disse...

Acabo de ler a história em tom de história ás crianças cá de casa!
Amaram ouvir todo o encanto da proclamação do Brasil como nação independente!
A estátua, tantas vezes visualizada, passava-nos completamente despercebida, por não conhecermos a história do seu olhar...
Obrigada, João!
Beijinho com olhar sobre Rio de Janeiro!!!

Lina Faria disse...

Alguém perguntou o porque da estátua. Ora, pra ser fotografada pelo João já não basta (interrogação)
BJ, lina

Quase Blog da Li disse...

Joao,
sempre tao carinhoso!
Foto linda, como a amizade entre esses povos.
beijos
Li

(ainda ñao encontrei o til aqui na España...)

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

A foto está uma beleza;este céu azul como moldura para D.João VI é,de fato, maravilhoso.

Não entendo muito que seres humanos tenham denominações diferentes...o mundo deveria ser da humanidade sem nenhuma separação...

Um beijo!!!Sonia Regina.

João Menéres disse...

CÉU VIEIRA
tonhOliveira
OLAVO
SELENA SARTORELO
REGINA d'AVILA
LUÍSA
LINA FARIA
QUASE BLOG da LI
SONIA REGINA

Quantas gentilezas estão aqui deixadas!
Muito obrigado pela amizade.