.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

AÇORES

23
© João Menéres

AMANHECER NO PICO


Não estejas longe de mim um dia que seja, porque,
porque, não sei dizê-lo, é longo o dia,
e estarei à tua espera como nas estações
quando em algum sítio os comboios adormecerem.

Não te afastes uma hora porque então
nessa hora se juntam as gotas da insónia
e talvez o fumo que anda à procura de casa
venha matar ainda meu coração perdido.

Ai que não se quebre a tua silhueta na areia,
ai que na ausência as tuas pálpebras não voem:
não te vás por um minuto, ó bem-amada,

porque nesse minuto terás ido tão longe
que atravessarei a terra inteira perguntando
se voltarás ou me deixarás morrer.

(Pablo Neruda, in Cem Sonetos de Amor)

19 comentários:

Palavras de Osho disse...

Paixão maravilhosa!

missixty disse...

Espectacular este amanhecer no Pico! Soberba mesmo!
Estás a publicar fotos a uma velocidade que não consigo acompanhar! :))
Vem ver a minha fotoreportagem nos bastidores do fantasporto!
beijinhos

Eduardo P.L disse...

João,

mais uma das suas lindas e importantes imagens!

ellen disse...

Adorei os Açores principalmente a ilha do Pico :)

Um bom carnaval João

Dona Sra. Urtigão disse...

Uma foto linda com um lindo Neruda. Coisa melhor para eu (re)iniciar meu dia, que não estava como deveria?

Milouska disse...

Que belo amanhecer em terra dos Açores acompanhado do amor de Neruda...
Um beijo,

Milouska

Conceição Duarte disse...

Obrigada João, pela escolha tão a dedo, quanto foi a que aí está.

Neruda, amor e a natureza vista por você! Incrível!

bj, CON

Alice Salles disse...

Poético em tudo, na cor, no lugar, no sentido vivo pulsando em cada tom... LINDISSIMO, JOÃO!

Aníbal Raposo disse...

Belo o poema e a foto. Abraço açoriano.

L.Reis disse...

Pablo Neruda a "contracenar" com a esta silhueta de pedra que a lava esculpiu, com um cinzel de fogo e paixão...

ellen disse...

Tem um selo para si, lá no meu blog! :)

Beijinho

ellen disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João Menéres disse...

A todos que comentaram tão elogiosamente esta postagem, agradeço muito as palavras que dedicaram.
(Estou quase a recuperar da paragem do Carnaval...)

Codinome Beija-Flor disse...

Ler o poema e ver a imagem.
É como se a natureza tivesse eternizado o corpo da mulher amada deitado sobre a relva, depois dos "Cem sonetos de amor".
Abraços

Maria Augusta disse...

A foto esta mágica, e o poema combina muito bem com ela. Parabéns!

João Menéres disse...

CODINOME BEIJA-FLOR

Por haver muitos leitores assim, é que vale a pena uma selecção cuidada das poesias.

Um beijo agradecido

João Menéres disse...

MARIA AUGUSTA

Claro que se tem de ter sorte para apanhar algumas ambiências menos frequentes...
Obrigado, minha Amiga.
Um beijo.

Georgia disse...

Uma bela ilha com certeza! Tudo em sintonia imagem e soneto!

João Menéres disse...

GEORGIA

Desculpa também aqui o atraso do agradecimento à tua visita e comentário.

Beijo.