.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

ÁGUA

© João Menéres

A Água é um bem essencial da Vida. Por isso, nunca é demais cantá-la.

Treme em luz a água,
Mal vejo. Parece
Que uma alheia mágoa Na minha alma desce

Mágoa erma de alguém
De algum outro mundo
Onde a dor é um bem E o amor é profundo,

E só punge ver, Ao longe, iludida,
A vida a morrer
O sonho da vida.

( Fernando Pessoa - 05.08.1921)

10 comentários:

Georgia disse...

Eu nao poderia viver sem ela. No momento vejo aqui na Alemanha muita água congela, mas vai passar.

Bom dia meu amigo e entao já tentou???

Boieiro disse...

Buonos dies

Passei tán solo para dar un abraço bien arrochado. Por çtraimiento talbéç, inda nun habie cunseguido l númaro desta casa tán guapa mas péç-me que agora yá nun l bou a cantusar.
Cuntinuaçón dun buono anho.

expressodalinha disse...

Parece desenhda! A foto está óptima. Poema a condizer.

Elma Carneiro disse...

Parabéns pelo lindo blog, estava faltando mais esse espaço de arte.
Sabia que viria coisas boas de você.
Fotos lindas, poesias, temas variados, bom gosto, requinte e cultura.
Esse fluxo da água... pura arte. A poesia de Fernando Pessoa, amei.
Beijos

Alice Salles disse...

Água! É ela quem realmente dá a vida...

João Menéres disse...

GEORGIA
Sempre o prazer da tua visita.
Ainda não tentei. Mas, já está impresso. Talvez este fim de semana.

BOIEIRO
Sabia que não tinha desaparecido, porque o acompanho com muita frequência no seu blog.
Obrigado pela visita e aguarda comentários sempre que lhe seja possível.

EXPRESSODALINHA

Foi feita este Domingo. Palpitou-me que podia dar uma imagem apresentável.
Mais difícil foi encontrar a poesia!
Obrigado, Amigo.

ELMA CARNEIRO

Muito bem vinda nestes voos errantes e também hesitantes e, por vezes, medrosos.
As suas palavras me fazem ter orgulho (saudável !).
Apareça, sempre que possa. Cá estarei para a cumprimentar.

João Menéres disse...

ALICE

Olha que a água é um pau de dois bicos:
Tanto mata a sua ausência quanto, noutros casos, mata por afogamento ou por hipotermia...
Como vês, aplica-se aqui o velho ditado
"Preso por ter cão, preso por cão não ter".

Milouska disse...

Foto lindíssima com um belo poema a sublinhá-lo.
Parabéns com um bjo,

Milouska

João Menéres disse...

MILOUSKA

Muito obrigado pelas suas palavras elogiosas e amigas.
Bom fim de semana (com o frio que está. só se aconselha em casa...)
Bj.

Jorge Monteiro disse...

Olá João
Fantástica!
A técnica não podia ter sido melhor aplicada.
Excelente trabalho.
Abraço.