.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

ARTES PLÁSTICAS

© João Menéres

Christopher Wool
Sem título - 2001 / Tinta para serigrafia sobre pano

Este artista nasceu em Chicago em 1955.
A sua obra, em constante renovação, sugere e rejeita simultaneamente 
o significado.
Nesta obra, sentimos escorridos da tinta em diferentes sentidos .

9 comentários:

Eduardo P.L disse...

Gosto do seu trabalho.
Obrigado pela postagem!

expressodalinha disse...

Não sou adepto fervoroso deste tipo e pintura, mas reconheço quando alguém se expressa bem dentro do modelo. É o caso!

Alice Salles disse...

Pra mim é o seguinte: me fez sentir algo, algo que seja REAL, então é bom. É o caso dessa obra, portanto para mim, é bom.

FERNANDA & POEMAS disse...

Querido João, gostei da tela... Condidero um bom trabalho... Obrigada pela partilha... Um grande abraço,
Fernandinha

João Menéres disse...

EDUARDO
EXPRESSODALINHA
ALICE
FERNANDA

DOIS abraços e DOIS beijos para tão ilustres visitas comentadeiras.

erupção_do_ser disse...

Adoro entrar numa tela... o significado é dificil apanhá-lo quando tudo é muito "abstrato" sob o ponto de vista do observador... comparo-o à tentativa de apagar algo que se iniciou, mas que por algum motivo, ficou para trás...
Obrigado por me ter feito olhar para ele e "pensar" (juntos).
Tudo fica mais "rico"

L.Reis disse...

...e arte é isso mesmo...um significado que se desdobra ao ser tocado pela multiplicidade dos nossos sentidos...a arte é o verbo ser em constante mutação.

João Menéres disse...

ERUPÇÃO DO SER
e
L.REIS

Estes vossos comentários (sem qualquer desprimor para os outros, claro está), valeram o trabalho que eu tive em fotografar e em postar aqui.

Obrigado, mesmo. Ouviram?

erupção_do_ser disse...

Boa noite,

Claro que ouvi!!! agora posso ir dormir...
até já